domingo, 22 de janeiro de 2017

No clássico “Olympico”, Lacazette faz dois e garante vitória

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


A partida também marcou a estreia de Memphis Depay pelo Lyon, que entrou no finalzinho e também uma linda homenagem a Gueïda Fofana!




Olympico! Este é o nome dado ao clássico entre Olympique Lyonnais e Olympique de Marseille. A 21ª rodada encerrou com essa partida, na noite deste domingo. No Parc OL, o objetivo das duas equipes era bem claro desde o começo: vencer para querer entrar na briga entre os três primeiros da Ligue1. Mesmo com o Monaco querendo disparar sobre os demais, ainda existe todo um segundo turno em vista e as ambições seguem à flor da pele. Em caso de derrota, para qualquer uma das equipes, o sonho tornava-se cada vez mais distante. Como tempero, os dois elencos apresentavam novas peças.

Pelo Lyon, a jovem estrela Memphis Depay chega do Manchester United a preço de ouro. Um investimento que o clube não fazia desde 2010, com Yoann Gourcuff. A expectativa da diretoria e dos próprios torcedores são as maiores possíveis. Sendo assim, o jogador de 22 anos já chegava com um grande peso nas costas de algo que ele já havia falhado jogando pelo time inglês. Ainda assim, para a partida de hoje, Memphis começava no banco de reservas, tornando uma expectativa para o estádio no segundo tempo. Abaixo, é possível ver como ficou montado do OL.




Pelo time do OM, a novidade não era um nome de tão grande porte assim. Mas era, de toda forma, um bom reforço. Morgan Sanson, meio-campista que até semana passada vestia a camisa do Montpellier, chegou com a pedida de resolver o problema no setor marselhês. Diferentemente de Memphis, Sanson começava jogando, até mesmo pela grande quantidade de desfalques que o técnico Rudi Garcia tinha para a partida de hoje: Bedimo, Sané, Hubocan, Kamara, Diaby, Vainqueur e N’Jié. Na imagem abaixo, é possível ver como ficou montado o elenco do Marseille:




Como todo bom clássico, os primeiros dez minutos de partida foram totalmente intensos. O Marseille teve mais domínio de jogo, queria propor o jogo e fazia isso muito bem. Maxime Lopez e Sanson conseguiam dominar o meio de campo. Gomis bagunçava a defesa adversária e dava os espaços para Sarr e Thauvin fazerem suas incursões, saindo do lado do campo para o meio. O Lyon passou aperto no começo do jogo.

O OL só foi conseguir se encontrar perto dos vinte minutos de jogo, principalmente em ataque pelo lado esquerdo do campo. Primeiro, um contra-ataque em que Lacazette achou Fekir entrando, ele dividiu com o goleiro e, na sequência, Valbuena parou em Pelé. Na sequência, foi a vez de Tolisso parar no goleiro adversário em cruzamento de Morel. E, por último, Tolisso desperdiçou de novo quando saiu frente a frente com Pelé e mandou, de cavadinha, por cima.

O lado esquerdo do Lyon funcionava bem no primeiro tempo. Faltava uma melhor sintonia entre Valbuena e Fekir para fazerem as coisas funcionarem. A bola custava a chegar nos pés de Lacazette, que é o jogador com maior poder de definição do clube e, não à toa, ele reclamava da falta de bola que recebia. Do outro lado do gramado, Cornet praticamente não encostava na bola e ainda tinha que fazer a cobertura quando Rafael subia.

O ímpeto ofensivo que o Marseille criou nos primeiros momentos da partida já não existia mais no desenrolar da etapa inicial. Gomis ficava isolado e servia somente como homem responsável por aparar a bola nos tiros de meta do goleiro Pelé. Thauvin e Sarr se apagaram e o meio de campo, que parecia estar ganho no início, não funcionava mais. O time dependia da individualidade de seus homens de frente para construir algo.

O Lyon chegou de novo somente aos 35’ de jogo. Em lançamento vindo da defesa, Tolisso foi achado perto da entrada da área. Com uma matada no peito e apenas um toque na bola, ele colocou na frente para Lacazette fazer a incursão. O atacante do OL entrou na área e, no momento da finalização, Rolando apareceu e, junto com o goleiro Pelé, conseguiram evitar o gol e mandar para escanteio.

Antes de chegar o intervalo, o Lyon criou sua última oportunidade no primeiro tempo. Lacazette tentava trocar passes na entrada da área, errou e na sobra, o Marseille voltou a bola para o OL. Na esquerda, Morel recebeu, abriu para Valbuena que dominou e fez todo o gestual corporal de quem iria cruzar a bola. Surpreendendo todo mundo, inclusive o goleiro Pelé, ele colocou no ângulo e abriu o placar. 1 a 0! Após o gol, o time todo do Lyon foi comemorar erguendo uma camisa de Fofana, volante de 25 anos do OL, aposentado esta semana devido a uma lesão incurável

Já no segundo tempo, quem teve a oportunidade de marcar logo no começo foi o Marseille. Em cobrança de escanteio, Zambo Anguissa apareceu no primeiro pau e se antecipou a todos, forçando ótima defesa de Lopes. Na sequência, foi a vez do OL quase marcar por duas vezes, e também de cabeça. Primeiro foi Rafael, em jogada bem parecida com a do OM. Em seguida, foi a vez de Yanga-M’Biwa. Pelé foi bem em todas elas.

O Lyon conseguiu ampliar o marcador aos 16’ do segundo tempo. E tudo aconteceu por uma falha bizarra do estreante (e bom) Morgan Sanson. Ele tentou cortar uma bola no meio de campo e ela sobrou nos pés de Lacazette, que só teve o trabalho de correr em direção ao gol e depois finalizar, tirando do goleiro. 2 a 0! Naquele momento, o OL tinha controle do jogo e a vantagem do placar.

Essa vantagem do placar, portanto, não durou muito tempo. Poucos minutos depois, foi a vez do OM marcar. Em falta quase no meio de campo, o Marseille colocou a bola na área. Ninguém conseguiu desviar a bola, ela ficou rebatendo dentro da área do OL e o brasileiro Doria conseguiu empurrá-la para dentro do gol, diminuindo a vantagem dos donos da casa. Naquele momento: 2 a 1!

Antes do gol dos visitantes, Rudi Garcia já tinha feito duas trocas. Colocou Cabella e Alessandrini, tirando Sarr e Lopez. E quando parecia que o Marseille poderia entrar novamente no jogo, Génésio tirou Fekir – que não fez um bom jogo – e colocou Tousart. Isso dava mais segurança ao meio-campo do OL. E foi aí que Lacazette fez mais um! Avançando a linha de marcação, o atacante pressionou a saída de bola de Rolando e Dória, que se complicaram e entregaram para ele fazer o 3 a 1!

Após fazer o terceiro, Bruno Génésio sentiu-se seguro para lançar Memphis Depay para estrear. O holandês substituiu Valbuena. Depois foi a vez de Ferri substituir Tolisso, que foi outro a fazer um excelente jogo neste domingo. Quase nos acréscimos, foi a vez de Rudi Garcia queimar sua última alteração e também a última do jogo. Ele tirou Florian Thauvin, que ficou apagado e colocou Saïf-Eddine Khaoui.

Nos minutos finais, o Lyon quase conseguiu ampliar e, novamente, seria com Lacazette. Mas ele foi displicente e acabou chutando muito forte e isolando a bola mesmo sendo uma finalização de dentro da área. No mais, no finzinho, deu pra ver uma pequena sintonia entre Memphis e Lacazette, mas nada substancial. O Lyon conseguiu levar o placar positivo até o final da partida, vencendo o Olympico.

O OL volta a campo no próximo sábado, dia 28/01, às 14h do horário de Brasília. O time jogará novamente no Parc OL e o adversário, desta vez, será o Lille. O jogo é válido pela 22ª rodada da Ligue1. Até lá!

FOTOS: Icon Sport / L'Equipe / olweb.fr


MELHORES MOMENTOS:



Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sábado, 21 de janeiro de 2017

[Ligue1 16/17] 21ª rodada - Lyon x Marseille

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: om.net

A 21ª rodada do Campeonato Francês terá um encerramento com chave de ouro. O "Choc des Olympiques", ou simplesmente Olympico, acontecerá no Parc OL. Olympique Lyonnais e Olympique de Marseille se enfrentam. A briga das duas equipes é para tentar avançar na tabela e chegar perto do pelotão inicial, formado atualmente por Nice, Monaco e PSG que estão totalmente embolados perto da liderança. O Lyon, um degrau mais abaixo, é o quarto, com uma diferença de três pontos do Guingamp e quatro do próprio Marseille, que querem chegar perto.

O grande trunfo dessa partida vem por parte do Lyon. O time deve aproveitar o clássico em casa para também apresentar Memphis Depay, sua novíssima contratação, aos torcedores. O jogador foi contratado esta semana e, provavelmente, deve começar a partida no banco. Ainda pelo OL, Diakhaby, lesionado desde a última partida e Darder, com uma lesão ainda não informada, estão fora. N'Koulou e Ghezzal, na CAN, completam os desfalques.

Pelo OM também tem novidade! Morgan Sanson, recém contratado do Montpellier, é outro que pode estrear nesta rodada. O meio-campista deve aproveitar a suspensão de Vainqueur para, quem sabe, pegar a vaga. Outros desfalques de Rudi Garcia são os lesionados Bedimo, Sané, Hubocan, Kamara e Diaby. N'Jié, ex-jogador do OL, está com Camarões na CAN.

A partida entre Lyon e Marseille acontece neste domingo (22/01), às 18h do horário de verão de Brasília, com transmissão dos canais ESPN+ e Watch ESPN (este último, via web). Abaixo, você pode conferir os jogadores relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, RAFAEL, Maciej RYBUS e Jérémy MOREL;
ZAGUEIROS: Emanuel MAMMANA e Mapoy YANGA-M'BIWA;
VOLANTES: Maxime GONALONS, Corentin TOLISSO, Jordan FERRI e Lucas TOUSART;
MEIAS: Nabil FEKIR e Mathieu VALBUENA;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, Maxwel CORNET, Jean-Philippe MATETA e Alexandre LACAZETTE;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: Mouctar DIAKHABY, Nicolas N'KOULOU, Sergi DARDER e Rachid GHEZZAL


  
MARSEILLE:

GOLEIROS: Brice SAMBA e Yohann PELÉ;
LATERAIS: Julien DA COSTA e Hiroki SAKAI;
ZAGUEIROS: DÓRIA, Karim REKIK, ROLANDO e Rod FANNI;
VOLANTES: Zinédine MACHACH, Maxime LOPEZ e André-Frank ZAMBO ANGUISSA;
MEIAS: Rémy CABELLA, Florian THAUVIN, Romain ALESSANDRINI, Saïf-Eddine KHAOUI e Morgan SANSON;
ATACANTES: Bouna SARR e Bafétimbi GOMIS;
TÉCNICO: Rudi GARCIA;
DESFALQUESHenri BEDIMO, Alphousseyini SANÉ, Tomas HUBOCAN, Boubacar KAMARA, Abou DIABY, William VAINQUEUR e Clinton N'JIÉ


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Memphis Depay troca o Manchester United pelo Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


O jogador chega em definitivo, com contrato de quatro anos e meio e o OL ganha um reforço de peso para o ataque


O atacante holandês posa para foto ao lado de Florian Maurice, ex-jogador e responsável pelo recrutamento de novos atletas ao OL (FOTO: olweb.fr)


O Lyon anunciou, na tarde desta quarta-feira (18), a contratação do atacante Memphis Depay, de 22 anos, que estava no Manchester United. Cria das categorias de base do PSV Eindhoven, o holandês estava nos Red Devis desde 2015. Sem render o esperado, passou pelas mãos de treinadores experientes como Louis Van Gaal e José Mourinho, que não conseguiram fazer a promessa estourar de vez. Depay foi vendido por 17 milhões de euros, podendo chegar a 21 milhões em caso de bonificações por desempenho. Ele já está em Lyon e deve fazer exames médicos nesta quinta-feira (19).

A carreira do jogador começou, de certa forma, meteórica. Com passagens por todas as seleções de base da Holanda, o atacante surgiu como profissional e logo foi artilheiro do Campeonato Holandês, marcando 22 gols na temporada 2014/15, com a camisa do PSV. Foi nesse momento em que despertou atenção de todo o mundo e acabou se transferindo para o Manchester United pelo valor de 22,3 milhões de libras em 2015.

Como já citado, sua passagem por lá não foi das mais efusivas. Titular apenas uma vez na "era Mourinho", despertou a raiva do treinador português quando assumiu que queria deixar o clube no mercado de inverno. Mourinho não titubeou em encostá-lo e, mesmo com interesse do Everton, o atleta preferiu se mudar para Lyon. Pelos Red Devils, Depay fez 53 partidas e marcou apenas sete gols e a mesma quantidade de assistências.

Seu fraco desempenho pelo clube inglês, gerou sentimento dúbio dos torcedores. Após anunciada sua saída, uma parte quer que ele estoure no OL e reencontre seu futebol. Já a outra metade alega que o atacante se preocupava mais com seu status nas redes sociais e não tinha capacidade para vestir a camisa de um clube grande.

RECEPTIVIDADE NA FRANÇA

Se na Inglaterra Depay é dúvida, na França - além dos torcedores do Lyon comemorarem muito a nova contratação - dois jogadores do clube também já demonstraram entusiasmo e revelaram isso publicamente. Ao site olympique-et-lyonnais, Alexandre Lacazette elogiou o novo colega: "Ele tem um talento de nível mundial. Assim que ele chegar ao vestiário, tenho certeza que todos ficaremos bem felizes".

O lateral Christophe Jallet, que já enfrentou Depay em duelos de seleções, também deu seu pitaco na Rádio RMC: "Já o vi jogar pelo United e pela Holanda. Esse cara tem um fogo nas pernas, principalmente na direita. Quando ele está para finalizar, consegue fazer a bola passar pelas duas penas de uma forma que só vi Thierry Henry fazer. Certamente vai somar muito pra gente e podemos conquistar coisas grandes com ele esta temporada".

Memphis Depay assina por quatro anos e meio com o Lyon. Por serem formadores do atleta, o PSV deve receber 3,75% da compensação financeira total e o Sparta Rotterdam, clube em que ele jogou na juventude, receberá 0,25%.

Para quem não conhece as características do atleta, assista ao vídeo abaixo contendo todos os gols dele com a camisa do ManUtd:




Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

domingo, 15 de janeiro de 2017

OL tropeça nos próprios erros e perde para o Caen

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Lyon perdia por 2 a 0, buscou o empate, mas sofreu mais um gol no segundo tempo, terminando sem forças para buscar uma reação




O Lyon, com um jogo a menos no Campeonato Francês, persiste! Quer tumultuar o topo da tabela, atualmente preenchido por Nice, Monaco e PSG. Na quarta colocação, e vencendo a partida contra o Caen, ficaria dependendo do jogo ainda pendente para ficar somente dois pontos de distância do time parisiense. A ideia era essa, com praticamente força total de ambos os lados, a partida era uma das três que encerrava a 20ª rodada da Ligue1 neste domingo. E esses três jogos poderiam mexer com a parte de cima, já que envolviam Nice (que empatou), OL (que perdeu) e  Monaco (que goleou).

Para tentar bater o Lyon, Patrice Garande tinha apenas um desfalque no seu elenco. Syam Ben Youssef, defendendo a Tunísia pela Copa Africana de Nações, era a única ausência. Com o plantel praticamente completo, a regra era vencer para sair da antepenúltima colocação e da zona de rebaixamento. Montado de forma defensiva e com cinco defensores no esquema, o time da casa tinha como destaques o meia Féret (ex-Rennes), o jovem Karamoh e o centroavante Rodelin (ex-Lille). Além disso, dois ex-jogadores do Lyon, experientes, também compunham o elenco: o goleiro titular Rémy Vercoutre e o meia, no banco, Steed Malbranque. Confira como ficou armado o time:




No time do Lyon, algumas mudanças em relação aos jogos anteriores. Com o retorno de Corentin Tolisso, que estava machucado desde o fim do ano passado, ele volta ao time titular e deixa Lucas Tousart – que vinha fazendo excelentes exibições – no banco. Armando no 4-4-2, a ausência de Ghezzal, defendendo a Argélia na CAN, foi muito bem reposta. Cornet caia pela direita e Valbuena pela esquerda. O ataque ficou com a dupla Fekir e Lacazette. Outras duas ausências do OL eram os zagueiros N’Koulou (No Gabão, defendendo Camarões) e Mammana, com dores nas costas. Abaixo é possível ver como ficou montado o time do OL para encarar o Caen:




Com o Stade Michel D’Ornano colocando ótimo público, mesmo com a chuva intensa, o time da casa se sentia empurrado e totalmente ambientado para tomar partido do jogo. Logo nos primeiros três minutos, Rodelin sofreu falta na intermediária e, dali mesmo, resolveu cobrar. A bola atingiu certinho o ângulo do goleiro português Anthony Lopes que caiu nela para buscar em ótima defesa.

A supremacia inicial do Caen era grande e isso era impresso na forma como o Lyon se postava em campo. Faltava o elo entre a defesa e o ataque. Valbuena tentava fazer a função, mas errava muito. E foi em um erro dele que gerou um contra-golpe pela direita do ataque adversário. Morel falhou na marcação e deu espaço para Guilbert chegar até o fundo e cruzar para a área. Cornet, que fechava na marcação, acabou colocando para as próprias redes. Gol contra! 1 a 0!

O primeiro lance de ataque com chance de gol do Lyon só foi aparecer aos 24’ de jogo. Tolisso fez tabela com Valbuena que perdeu a bola, recuperou e conseguiu acionar Lacazette passando em velocidade no meio da defesa. O atacante do Lyon recebeu em profundidade e na hora de bater para o gol, pegou meio de tornozelo e acabou passando um pouco longe do canto esquerdo de Vercoutre

Quando o OL tentava se achar ainda no jogo, o árbitro Franck Schneider forçou a barra e achou um pênalti em Delaplace. Ele entrava dentro da área tentando dominar a bola quando Gonalons levantou um pouco a perna para tentar interceptar a penetração do volante. Ele caiu e a arbitragem marcou pênalti. Aos 29’, Santini cobrou do lado direito de Lopes, que caiu para o outro e o 2 a 0 era colocado no placar!

Apenas três minutos após tomar o segundo gol, o Lyon tentava reverter o placar. Em cobrança de falta cruzada na área, Valbuena cobrou e achou Diakhaby no primeiro pau. O zagueiro subiu mais alto que todo mundo e acertou o travessão de Vercoutre. No lance seguinte, o OL trocava passes perto da área quando Lacazette conseguiu dominar perto da marca do pênalti e, quando a bola subiu, Adeoti encostou a mão na bola. Pênalti marcado e o próprio Lacazette cobrou no cantinho. 2 a 1!

Já perto do fim do primeiro tempo, Diakhaby, que vinha mais uma vez fazendo uma boa partida, sentiu dores e tentou se manter em campo. Fez uma falta boba, viu o cartão amarelo e pediu alteração. Sem opções de zagueiros em campo, Génésio tinha duas cartadas em mãos. Ou colocava Rybus e deixava Morel na zaga, ou mandava Tousart e Gonalons recuava. Optou pela segunda opção.

Já nos acréscimos do primeiro tempo, quando achava-se que a partida iria para o intervalo com vantagem para os donos da casa, o Caen errou na saída de bola e entregou nos pés de Cornet. O atacante entrou dentro da área, foi até a linha de fundo e achou Lacazette do segundo pau. O artilheiro do OL, que estava marcado, conseguiu subir mais alto que todos e marcou o segundo do Lyon e o segundo dele na partida. 2 a 2!

O segundo tempo começou com muito menos intensidade do que a primeira parte. A chuva forte os primeiros 45’ muito pegados, o físico dos atletas já não era o mesmo e a luta pelo resultado também caia de nível. Ainda assim, os erros dos dois times se mantinham e o resultado final era praticamente imprevisível, uma vez que, de forma equilibrada, ambos tinham chances de chegar a todo instante.

E foi em uma dessas chances despretensiosas que o Caen conseguiu ficar na frente do placar novamente. Aos 16’ do segundo tempo, o time da casa roubou bola no meio de campo e rapidamente acionou Karamoh na extrema direita. Ele não pensou duas vezes, foi até o fundo e cruzou na área. Santini bem posicionado e surpreendendo a marcação, apareceu sozinho e só teve o trabalho de saltar e cabecear para baixo. 3 a 2!

Perto dos 30’ do segundo tempo, Bruno Génésio fez mais duas mudanças e queimou suas alterações. Colocou Maciej Rybus e Sergi Darder nos lugares de Mathieu Valbuena e Jérémy Morel. Pelo outro lado, Garande também fez uma troca, a sua primeira na partida. Ele tirou o jovem Karamoh e colocou Hervé Bazile. Lyon partiria para uma formação com extrema liberdade também para os dois laterais, na tentativa de garantir pontos no jogo.

No finzinho do jogo, o Lyon tentava de tudo para empatar o jogo. Era praticamente ataque contra defesa. O Caen, extremamente defensivo e quase trabalhando somente dentro da sua área, esperava o erro do OL para agir em contra-ataque, enquanto isso, os Gones metiam bola na trave e chuva de cruzamentos na área adversária. A pressão criava expectativa no torcedor, mas não surgiu efeito prático.

Nos minutos finais, o Lyon ainda tentava suas chances na base do abafa e não conseguiu nenhum efeito prático. A bola praticamente não chegava em Vercoutre e o ferrolho defensivo do adversário, misturado com a falta de qualidade na troca de passes do próprio OL, foi o grande dificultador para conseguir alguma reação. Não havia mais tempo e o Caen acabou levando todos os pontos do jogo.

Agora o Lyon se concentra para o jogo diante do Olympique de Marseille, no Parc OL, no próximo domingo (22/01), às 18h do horário de verão de Brasília. A partida é válida pela 21ª rodada da Ligue1. Até lá!

FOTOS: Sport365.fr / L'Equipe / SoFoot / Le Parisien / Le Progrès / SoFoot / Icon Sport


OS GOLS DA PARTIDA:



Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sábado, 14 de janeiro de 2017

[Ligue1 16/17] 20ª rodada - Caen x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: smcaen.fr

A briga pela ponta do Campeonato Francês continua forte. Todas as três partidas que encerram o dia da 20ª rodada da Ligue1, podem movimentar a parte de cima. Primeiro, o Nice defende a liderança diante do Metz. Mais tarde, é a vez do Lyon visitar o Caen e depois, encerrando a rodada, o Marseille recebe o vice-líder Monaco. A briga do OL, por enquanto, não é pela primeira posição e, sim, pela 3ª, atualmente ocupada pelo PSG que venceu neste sábado pelo placar mínimo. Como o Lyon tem um jogo a menos, vencer cada partida pode continuar mantando o time parisiense no visor.

Para o jogo desta rodada, os técnicos de ambos os times podem agradecer a equipe do departamento médico e, ao mesmo tempo, criticar os organizadores da Copa Africana de Nações. Patrice Garande, treinador do Caen, não tem qualquer jogador contundido ou suspenso e busca sair da zona de rebaixamento com força máxima. Seu único desfalque é Syam Ben Youssef, que defende a Tunisia na CAN. Pelo Lyon, a boa notícia é o retorno de Tolisso, que recuperava-se de lesão. Por outro lado, Mammana, com dores nas costas e N'Koulou, assim como Ghezzal, defendem seus países no torneio do continente africano.

A partida entre Caen e Lyon acontece neste domingo (15/01), às 14h do horário de verão de Brasília, com transmissão do canal SporTV. Abaixo, você pode conferir os jogadores relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, RAFAEL, Jordy GASPAR, Maciej RYBUS e Jérémy MOREL;
ZAGUEIROS: Mouctar DIAKHABY e Mapoy YANGA-M'BIWA;
VOLANTES: Maxime GONALONS, Corentin TOLISSO, Jordan FERRI, Lucas TOUSART e Sergi DARDER;
MEIAS: Nabil FEKIR e Mathieu VALBUENA;
ATACANTES: Maxwel CORNET, Jean-Philippe MATETA e Alexandre LACAZETTE;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: Emanuel MAMMANA, Nicolas N'KOULOU e Rachid GHEZZAL


  
CAEN:

GOLEIROS: Rémy VERCOUTRE e Matthieu DREYER;
LATERAIS: Vincent BESSAT;
ZAGUEIROS: Damien DA SILVA, Frédéric GUILBERT, Alaeddine YAHIA e Jordan ADÉOTI;
VOLANTES: Ismaël DIOMANDÉ, Nicolas SEUBE, Jonathan DELAPLACE e Jean-Victor MAKENGO;
MEIAS: Steed MALBRANQUE e Julien FÉRET;
ATACANTES: Ivan SANTINI, Yann KARAMOH, Ronny RODELIN, Pape SANÉ e Hervé BAZILE;
TÉCNICO: Patrice GARANDE;
DESFALQUESSyam BEN YOUSSEF


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

domingo, 8 de janeiro de 2017

Lyon não toma conhecimento do Montpellier e mete cinco

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Fekir foi um dos destaques da partida com um gol e três assistências. Cornet também brilhou, marcando dois gols e dando o passaporte para o OL nos 16 avos de final da Copa da Frana, contra o Marseille




O ano de 2017 finalmente começou para o Lyon. Na noite deste domingo, os Gones receberem o Montpellier, no Parc OL, pelo 32 avos de final da Copa da França, torneio que é considerado um dos mais tradicionais e ecléticos de todo o futebol. Com poucos desfalques de cada lado, o objetivo de ambos os clubes era avançar na competição e pegar um atalho em um torneio de tiro curto para, quiçá, pegar uma classificação para a Liga Europa no fim do torneio. O recesso, certamente, era o grande empecilho para ambos.

Pelo lado do Lyon, Bruno Génésio tinha desfalques de três jogadores. Tolisso, ainda se recuperando de uma lesão sofrida no ano passado, era peça fora do tabuleiro. Além dele, dois outros jogadores foram convocados para seus seleções na Copa Africana de Nações e podem ser ausências durante muito tempo – dependendo do desempenho de seus países. Ghezzal e N’Koulou representam Argélia e Camarões, respectivamente. Fora isso, o elenco estava forte para o primeiro jogo do ano. Confira:




Frédéric Hantz, treinador do Montpellier, certamente tinha nesse jogo uma das grandes apostas na temporada. O clube já não almeja muitas coisas na Ligue1 e vencer uma competição como essas, ou mesmo chegar longe, pode ser o grande alento para o seu trabalho ao longo de toda a temporada. Como ausências, Daniel Congré e Casimir Ninga, ambos lesionados dificultavam o trabalho do técnico. Ainda assim, o MHSC contava com nomes interessantes e que poderia trazer trabalho ao OL. Souleymane Camara e Morgan Sanson são bons exemplos. Confira como ficou escalado:




Com o apito do árbitro e Letexier François parecia que só um clube havia entrado em campo. Foi logo no primeiro minuto de jogo que Lacazette recebeu na entrada da área, tentou tirar do goleiro Pionnier e finalizou pra fora, passando pelo lado esquerdo do goleiro. O lance serviu para inflamar a torcida que não estava presente em bom número, mas entoava cânticos há meia hora antes do jogo começar.

Logo aos 4’ de jogo, a torcida empolgada seria agraciada com o primeiro gol da partida. Em cobrança de falta perto da lateral do lado esquerdo do ataque do OL, a bola foi levantada na área por Mathieu Valbuena. Enquanto todo mundo esperava a bola no miolo da área, o meia achou Lacazette logo no primeiro pau. Ele, sem marcação, dominou e só teve o trabalho de girar para o gol a bater. 1 a 0!

Após o primeiro gol, o time visitante até tentou esboçar uma ligeira reação. Primeiro com Lasne e depois com Marveaux. Dois chutes de fora da área que até levaram um ligeiro perigo, mas era o Lyon quem ditava o jogo naquele momento. Em cobrança de escanteio pelo lado direito, Fekir tentou cruzar, a zaga rebateu. A bola voltou para Fekir que, dessa vez, conseguiu colocar na cabeça do jovem Mouctar Diakhaby, que subiu mais alto que todos e marcou o segundo aos 9’ de jogo! 2 a 0!

O placar precoce não deixou o Lyon acomodado, muito pelo contrário. Abatido, o time visitante já adormecia em campo e deixava o OL tocar a bola quase dentro de sua própria área. Aos 14’, Valbuena teve uma ótima oportunidade para ampliar o marcador, mas Pionnier apareceu para desviar para escanteio. A zica era tamanha para o MHSC que Morgan Sanson, um de seus principais jogadores, saiu antes dos 20’, sentindo dores, para dar lugar a Deplagne.

Aos 31’, o OL teve mais uma excelente chance para colocar mais um gol no placar. Com um passe mágico, Cornet cortou verticalmente toda a defesa adversária e Lacazette saiu sozinho de frente com o goleiro Pionnier. O artilheiro do OL conseguiu tirá-lo do lance, mas perdeu um pouco de ângulo, na hora de finalizar, Vitorino Hilton apareceu para salvar e tirar a bola em cima da linha.

Antes ainda do fim do primeiro tempo, aquilo que estava se desenhando finalmente aconteceu. O Lyon ampliou para 3 a 0 e, dessa vez, quem marcou foi Nabil Fekir. O meia roubou a bola no meio de campo, carregou, tabelou com Lacazette e recebeu na entrada da área. O goleiro Laurent Pionnier tentou fechar seu ângulo ao sair nele. Mais esperto, Fekir só deu um toque por cima e a bola entrou suavemente na rede. 3 a 0!

Diferentemente do primeiro tempo, na segunda etapa, o OL começou muito menos intenso. Claro que o placar extremamente favorável era motivo para o time segurar o freio e ir jogando com mais calma, até mesmo para se poupar do desgaste físico. Com o jogo totalmente dominado, o segredo era fazer o feijão com arroz, não deixar o adversário chegar e controlar o placar, ao som da torcida que empurrava.

Aos 16’ do segundo tempo, quem surpreendeu foi o Montpellier. Em jogada despretensiosa pelo meio de campo, Sessègnon poderia dar segmento na jogada abrindo com um passe pelo lado direito, mas o meia preferiu arriscar dali mesmo e com um chute fortíssimo e cheio de veneno, mirou o ângulo de Anthony Lopes que quase foi surpreendido com a pancada. Bem posicionado, evitou o gol de honra dos adversários.

Antes mesmo dos 20’ do segundo tempo e já com a partida dominada, Bruno Génésio decidiu fazer duas alterações de uma vez só. Colocou Ferri e Darder nos lugares de Valbuena e Tousart. Claramente, o treinador já queria poupar seus jogadores para o restante do jogo. Mas a troca surtiu efeito imediato e o 4º gol apareceu. Fekir dominou na entrada da área, achou Cornet passando por de trás da zaga. Ele recebeu, tirou o goleiro e empurrou para as redes. 4 a 0!

E não parava por aí. O Lyon teve tempo para mais. Novamente apareceria a dupla Fekir e Cornet. Dessa vez não foi uma troca de passes na entrada da área. Pelo lado esquerdo do ataque, Fekir olhou pra área, fez o levantamento e, muito mais alto que toda a zaga, Cornet subiu e empurrou para as redes. 5 a 0! Vale lembrar que minutos antes, Lacazette havia perdido um gol em cima da linha por causa do montinho que lhe atrapalhou. O OL esmagava o Montpellier.

Depois do gol, Génésio sacou Cornet e colocou o jovem Jean-Philippe Mateta no jogo. Com o jogo propício, era o momento oportuno pro jovem centroavante mostrar serviço. Mas o OL perdeu duas chances claras de gol na sequência. A primeira com Fekir, que chutou fraco um cruzamento certeiro e deu de bandeja para o goleiro e depois foi o próprio Mateta que esperava demais a bola vir pronta, antes da zaga cortar certeiramente.

O MHSC também perderia uma chance clara antes dessas duas, Skhiri, na marca do pênalti, bateu de tornozelo e mandou bisonhamente pra fora. Esse e o chute anterior de Sessègnon, talvez tenham sido as duas únicas chances boas de gol do time visitante. O Montpellier, definitivamente, assistiu o passeio que o OL aplicou no primeiro no segundo tempo. O resultado foi de 5 a 0, mas poderia ter sido sete, oito...

No próximo domingo, (15/01), o OL volta aos gramados, desta vez fora de casa, para enfrentar o Caen. O jogo é válido pela 20ª rodada do Campeonato Francês, abrindo o segundo turno da competição. A partida será às 14h do horário de verão de Brasília. Até lá!

FOTOS: olweb.fr


OS GOLS DA PARTIDA:


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!