sábado, 27 de agosto de 2016

Lacazette se lesiona e Dijon esmaga o Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Enquanto o atacante artilheiro estava em campo, o OL tinha controle total do jogo, após sua saída, o time se perdeu e os donos da casa se aproveitaram da situação em de jogo de resultado inusitado




Para adentrar ao gramado do Stade Gaston Gérard, o Lyon inspirava moral. Tinha vindo de duas vitórias consecutivas no Campeonato Francês, com Lacazette marcando já cinco gols na competição e o goleiro Anthony Lopes sem sofrer gols. O curto retrospecto na competição era bastante favorável: OL com duas vitórias, Dijon com duas derrotas. Cenário perfeito para o time prosseguir na liderança e fazer valer pontos valiosos no princípio da competição para manter a competição parelha com o PSG. O time da casa, recém promovido da Ligue2, tinha somente a torcida ao seu favor como fator de vantagem.

Comandados por Olivier Dall’oglio, o Dijon tinha como claro objetivo não perder nessa partida. Um empate seria mais do que comemorado. Contudo, o treinador tinha três desfalques que seriam, certamente, peças do time titular: o defensor Bouka Moutou e os meias Belmonte e Marvin Martin, este último, considerado o craque do elenco. Ainda assim, o técnico armou o time no 4-4-2 variando para um 4-2-3-1 com muito poder de marcação e com homens rápidos na frente. A ideia, como todos os pequenos da Ligue1 fazem, era tentar surpreender no contra-ataque. Confira como ficou armando o Dijon:




Pelo Lyon, nenhum grande mistério. O time que Bruno Génésio escalou é o mesmo que pode ser considerado titular e que vem jogando de forma recorrente. Mesmo com o retorno de Christophe Jallet, o treinador optou por manter o brasileiro Rafael no lado direito. No miolo de zaga, o elogiadíssimo Mammana continuava esperando sua oportunidade no banco de reservas. Nas próximas semanas, o OL deve ganhar “um reforço”, quando Ghezzal voltar de lesão e resolver seus imbróglios contratuais. Disputaria, certamente, uma vaga no time titular. De todo modo, veja como ficou armado os Gones:




A superioridade qualitativa do Lyon era clara desde o começo do jogo. Antes mesmo dos 15’ de jogo, o OL já havia criado quatro ou cinco grandes oportunidades de gol claras. Duas delas muito bem evitadas pelo goleiro Reynet. A estratégia de contra-ataque do Dijon pouco incomodava e o time, defensivamente, dava inúmeros espaços para os homens de frente do time visitante fazer suas tabelas e chegar com perigo.

O gol parecia claramente uma questão de tempo. O Lyon praticamente fazia o que queria no seu setor ofensivo. As trocas de passes entre Fekir, Lacazette, Darder, Rybus e Cornet deixavam a zaga do Dijon a ver navios. Mas não foi com tabelas que o OL abriu o placar. Aos 19’, Darder arrancou em velocidade, entrou na área e bateu rasteiro. Reynet defendeu e deu rebote para Tolisso aparecer no segundo pau e fazer 1 a 0!

Cheirinho de goleada era sentido no Gaston Gérard. Parecia que era o momento do OL crescer ainda mais no jogo e fazer valer seu favoritismo monstro naquele momento. Mas não foi exatamente isso que aconteceu. O atacante do Dijon, Julio Tavares, recebeu em profundidade e com muita velocidade deixou os zagueiros pra trás. Quando entrava na área, foi derrubado por N’Koulou. Pênalti marcado, amarelo para o zagueiro do OL – que era pra ter sido expulso – e cobrança convertida por Sammaritano. 1 a 1 com 24’ de jogo.

Tentando impor novamente aquele ritmo que tinha antes de abrir o placar, o Lyon voltava com tudo agitando seus homens de frente. Lacazette parecia estar jogando contra amadores e desfilava em campo. Por outro lado, Maxwel Cornet brincava de perder gols e se cobrava muito a cada bola desperdiçada. Perto dos 30’ de jogo, o Lyon parecia estar muito perto do seu segundo gol no jogo.

E foi exatamente isso que aconteceu. Lacazette estava impossível. A defesa adversária parecia crianças do bairro em comparação ao artilheiro do OL. Ele pegou a bola de fora da área, tabelou com Fekir, recebeu de volta e, de fora da área acertou o canto de Reynet com uma facilidade que saltava aos olhos. O 2 a 1 marcava o placar, mas já era para ter entrado outas três ou quatro bolas. Très facile, já diria o narrador.

O “muito fácil” tornou-se “muito complicado” minutos depois. Lacazette, logo após marcar o gol, desceu direto pro vestiário após sofrer uma pancada no joelho de Varrault. Valbuena entrou no seu lugar e imediatamente após a troca, o Lyon sofreu o empate. Sammaritano avançou pela direita, nas costas de Rybus e colocou na cabeça de Tavares. 2 a 2 em um primeiro tempo injusto.

Para a segunda etapa, o Lyon sem Lacazette perdia muito em qualidade ofensiva, assim como no moral. Os jogadores voltaram um pouco mais dispersos sem sua referência no ataque. Na defesa, o que já era um bate-cabeça no primeiro tempo, voltou ainda mais tumultuado. Aproveitando a deixa, Dall’Oglio mexeu e colocou ainda mais velocidade, com Bahamboula no lugar de Sammaritano.

Não muito tempo depois, Lees-Melou entrava no lugar de Diony enquanto Rybus deixava o campo no OL para dar lugar a Ferri. O Lyon queria a vitória a qualquer custo e sacrificou seu lateral esquerdo para colocar mais gente no meio de campo. O resultado acabou não surtindo muito efeito e tudo continuava no mesmo cenário: o Lyon com mais posse de bola e sem assustar. O Dijon saia em contra-ataque e sempre pegava a zaga de calça arriada.

Ainda assim, o gol da virada dos donos da casa aconteceria não em lance de contra-golpe, mas em uma jogada de bola parada. Em cobrança de escanteio, Bahamboula recebeu do corner  e chutou em cima de Gonalons. No rebote, ninguém conseguiu chegar e Bahamboula apareceu novamente, agora para colocar sutilmente no cantinho de Anthony Lopes. Um bizarro 3 a 2 apontava no placar!

Percebendo o cenário catastrófico, Bruno Génésio fez sua última troca, colocando Clément Grenier no lugar de Nabil Fekir. Do meio pra frente, naquele momento, o OL era uma bagunça só. Ninguém mais sabia suas funções. Não existia ninguém enfiado na área e jogadores batiam cabeça tanto do lado de campo quanto na entrada da área. Definitivamente, o time não estava preparado para jogar sem Lacazette.

Já perto do fim do jogo, faltando pouco menos do que dez minutos para o término, Mathieu Valbuena apareceu sozinho dentro da área após um passe magistral de Sergi Darder e mesmo estando somente frente ao goleiro, Reynet conseguiu levar a melhor sobre o atacante e fazer uma defesa importantíssima para manter a vitória do seu time. O OL assustado, tinha poucas oportunidades como esta para reagir.

A reação, além de não aparecer, ainda teve revés. O Dijon conseguiu ampliar antes mesmo do relógio apontar os 90’. Enquanto tocavam bola perto da área do OL, Lees-Melou recebeu na ponta da grande área, olhou pro gol e bateu colocado como quis. Sem marcação e com muito espaço, ele colocou a bola dentro do gol. Ela encostou na trave antes de entrar. 4 a 2, placar final. O time terá agora duas semanas para recuperar Lacazette e refletir o que aconteceu.

Os comandados de Bruno Génésio agora voltam aos gramados somente no dia 10 de setembro, um sábado, em função das datas Fifa. O jogo será contra o Bordeaux, no Parc OL, às 15h do horário de Brasília. Até lá!

FOTOS: FranceFootball / L'Equipe / olweb.fr 


OS GOLS DA PARTIDA:



Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


sexta-feira, 26 de agosto de 2016

[Ligue1 16/17] 3ª rodada - Dijon x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: dfco.fr

Invicto, o Lyon entrará em campo neste sábado para tentar abrir distância na liderança do Campeonato Francês . Pela 3ª rodada do torneio, o OL visitará o Dijon no Estádio Gaston Gerard, às 12h (de Brasília).

Com cinco gols feitos e nenhum tomado nas duas primeiras partidas do Francês, o Lyon é a melhor equipe da competição até aqui . Com seis pontos, o clube entra em campo para buscar o triunfo e jogar pressão em cima do vice-líder Paris Saint-Germain, que atua apenas no domingo.

Mesmo jogando em casa, o pequeno Dijon deve ser presa fácil para os visitantes. O time foi derrotado pelo Nantes e pelo Lille nas duas primeiras rodadas, ainda não conseguiu pontuar e está na antepenúltima colocação do torneio.

ADAPTADO DE: Gazeta Esportiva

A partida acontece nesta sábado (27/08), às 12h do horário de Brasília. No Brasil, somente a emissora de TV Francesa, TV5 Monde irá transmitir a partida. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, Maciej RYBUS e RAFAEL;
ZAGUEIROS: Mapou YANGA-M'BIWA, Nicolas N'KOULOU e Emanuel MAMMANA;
VOLANTES: Maxime GONALONS, Corentin TOLISSO, Jordan FERRI e Sergi DARDER;
MEIAS: Clément GRENIER, Nabil FEKIR e Mathieu VALBUENA;
ATACANTES: Alexandre LACAZETTE, Gaëtan PERRIN e Maxwel CORNET;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: Jérémy MOREL, Rachid GHEZZAL e Aldo KALULU


DIJON:

GOLEIROS: Benjamin LEROY e Baptiste REYNET;
LATERAIS: Fouad CHAFIK, Quentin BERNARD e Vincent RÜFLI;
ZAGUEIROS: Yunis ABDELHAMID, Cédric VARRAULT e Jordan LOTIÈS;
VOLANTES: Johan GASTIEN, Florent BALMONT e Jordan MARIÉ;
MEIAS: Romain AMALFITANO, Frédéric SAMMARITANO, Dylan BAHAMBOULA e Pierre LEES-MELOU;
ATACANTES: Jérémie BELA, Julio TAVARES e Loïs DIONY;
TÉCNICO: Olivier DALL'OGLIO;
DESFALQUESArnold BOUKA MOUTOU, Anthony BELMONTE e Marvin MARTIN


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


domingo, 21 de agosto de 2016

Torcedora brasileira do Lyon foi ao jogo e conta o que viu

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Julia Freitas, seguidora antiga do BrasiLyonnais, contou o que viu de Lyon e do Parc OL




O Lyon enfrentou o Caen, no Parc OL, na última sexta-feira. A vitória por 2 a 0 foi acompanhada por uma das leitoras e seguidoras mais apaixonadas pelo Lyon. A paulista de Santo André, Julia Freitas, estava de viagem pela frente e nos mandou fotos, vídeos e um relato bem interessante de uma primeira impressão de um torcedor que, até então, só podia torcer com um oceano de distância. Confira o material da Julia

"Logo no caminho para o estádio, no trem, um menininho sentado a minha frente chamou minha atenção. Não parava de falar no Lyon, em como seria a partida, e do Lacazette. Conversando com o pai, disse com a maior convicção que ele acreditava que poderíamos ganhar a Copa da Liga. O pai, não convencido, respondeu que talvez. O menino, então, olhou bem diretamente nos seus olhos e disse: "Pai, pai. Os parisienses tem muitos jogadores machucados, a gente pode ganhar". Sim, a gente pode, pensei. Me conquistou.

Chegando ao estádio, não tem como não se surpreender pelo tamanho. Talvez fosse pela minha falta de experiência, ou era incrível mesmo. A torcida organizada do Virage Nord, sempre presente, estava no setor embaixo do meu, então só pude ver uma parte. Os caras não param um segundo mesmo. E o mérito vai para os que ficam em pé, de costas para o campo, incentivando a galera. Eles mandam a hora de cantar, de gritar o nome de algum jogador, de vaiar o adversário (ou o juiz). E a festa deles foi linda. Cheio de bandeiras da França, de Lyon, e a energia que sem dúvidas empurra o time. Achei legal quando o Malbranque entrou em campo que todos o ovacionaram. Assim como o Vercoutre (ex-jogadores do Lyon).




Voltando para o apartamento com a camisa do Lyon após o jogo, um carro parado com no semáforo disse alguma coisa para mim que a inicio não entendi. Três caras dentro de um carro em uma rua deserta e eu sozinha. Fiquei com medo, afinal tinha motivo. Mesmo assim, resolvi perguntar o que era.

- Quem ganhou o jogo?
- O Lyon. 2-0
- 2-0?
- Sim, Lacazette.
- Beleza, obrigado.
- De nada.

Não foi só o estádio que me surpreendeu, afinal de contas"








FOTOS E VÍDEOS: Julia Freitas 

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Na segunda vitória do Lyon na Ligue1, Lacazette brilha de novo

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Depois de marcar um hat-trick no domingo, o atacante do OL marcou mais dois nesta sexta-feira e já soma cinco gols em dois jogos no Francês




Com dois gols de pênalti do atacante Alexandre Lacazette, o Lyon isolou-se na liderança do Campeonato Francês ao derrotar o Caen por 2 a 0, no Parc OL, pela segunda rodada da competição.

Lacazette já havia marcado outras três vezes na estreia, na vitória por 3 a 0 sobre o Nancy. Agora a equipe aguarda os resultados do final de semana para saber se ficará com a liderança isolada.

O Lyon vai tentar manter os 100% na competição no próximo dia 27, quando visitará o Dijon pela terceira rodada.

ADAPTADO DE: Terra.com

LYON(4-3-3): Lopes; Rafael, Yanga-M'Biwa, N'Koulou e Rybus; Gonalons, Darder (Ferri, 36' 2ºT) e Tolisso; Fekir (Valbuena, 26' 2ºT), Cornet (Grenier, 41' 2ºT) e Lacazette

CAEN(4-3-3): Vercoutre; Dabo (Genevois, 12' 2ºT), Yahia, Ben Youssef e Imorou (Bessat, 8' 2ºT); Delaplace (Malbranque, 33º 2ºT), Da Silva e Féret; Rodelin, Karamoh e Santini




FOTOS: olweb.fr 


MELHORES MOMENTOS:



Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

[Ligue1 16/17] 2ª rodada - Lyon x Caen

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: olweb.fr

A segunda rodada do Campeonato Francês será aberta nesta sexta-feira com um jogo isolado. O Lyon recebe o Caen no Parc OL, em Lyon, em uma partida entre duas equipes que estrearam ganhando na temporada. Os anfitriões fizeram 3 a 0 no Nancy e querem cada vez mais se consolidarem como candidatos ao caneco.

"Sabemos que ganhar nas primeiras rodadas é algo que não chega a ser tão valorizada, mas nós sabemos o impacto que um bom começo pode ter no objetivo final de uma equipe em uma competição muito disputada como é o Campeonato Francês. Vamos trabalhar muito para ganharmos o jogo contra o Caen, que não vai ser fácil, pois o adversário tem qualidade e também começou a temporada com o pé direito, portanto, está embalado. Temos que fazer prevalecer o fator campo para atingirmos a nossa meta nesta sexta-feira", analisou Bruno Génésio, técnico do Lyon.

O Caen também busca a segunda vitória, já que fez prevalecer o fator campo na estreia, batendo o Lorient por 3 a 2.

ADAPTADO DE: Gazeta Esportiva

A partida acontece nesta sexta-feira (19/08), às 15h45 do horário de Brasília. No Brasil, nenhuma emissora irá transmitir o jogo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Jordy GASPAR, Maciej RYBUS e RAFAEL;
ZAGUEIROS: Mapou YANGA-M'BIWA, Nicolas N'KOULOU e Emanuel MAMMANA;
VOLANTES: Maxime GONALONS, Corentin TOLISSO, Jordan FERRI e Sergi DARDER;
MEIAS: Clément GRENIER, Nabil FEKIR e Mathieu VALBUENA;
ATACANTES: Alexandre LACAZETTE, Gaëtan PERRIN e Maxwel CORNET;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUES: Christophe JALLET, Jérémy MOREL, Lucas TOUSART, Rachid GHEZZAL, Aldo KALULU


CAEN:

GOLEIROS: Rémy VERCOUTRE e Matthieu DREYER;
LATERAIS: Mouhamadou DABO e Emmanuel IMOROU;
ZAGUEIROS: Romain GENEVOIS, Alaeddine YAHIA, Damien DA SILVA e Syam BEN YOUSSEF;
VOLANTES: Nicolas SEUBE, Jonathan DELAPLACE e Jordan ADÉOTI;
MEIAS: Steed MALBRANQUE, Julien FÉRET e Vincent BESSAT;
ATACANTES: Ronny RODELIN, Yann KARAMOH, Pape SANÉ e Ivan SANTINI;
TÉCNICO: Patrice GARANDE;
DESFALQUESPaul REULET, Ismaël DIOMANDÉ, Valentin VOISIN, Jeff LOUIS, Jordan N'KOLOLO, Hervé BAZILE e Andy DELORT


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


domingo, 14 de agosto de 2016

Com hat-trick de Lacazette, Lyon começa a Ligue1 com o pé direito

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


O artilheiro do time, que era dúvida durante toda a semana, não só jogou como também foi o grande protagonista do time




Finalmente o Lyon está de volta aos jogos da Ligue1. Depois de quase dois meses do encerramento da temporada, algumas partidas de preparação e o fiasco diante do PSG pela Supercopa da França, o time comandado por Bruno Génésio entra para o ano de 2016/17 com praticamente o mesmo elenco que terminou a última temporada. A única grande perda foi, realmente, a saída de Samuel Umtiti. Esse cenário pode mudar até o final do mês mas, por enquanto, o OL entra com um grupo muito entrosado para disputar seus objetivos.

Para esse primeiro encontro, o adversário foi o recém-promovido da Ligue2, Nancy. O time comandado por Pablo Correa foi o campeão da segundona da França e volta com objetivo de não ser rebaixado novamente. Do time que enfrenta o Lyon neste domingo, o único grande nome conhecido é do experiente volante Benoît Pedretti, inclusive, ex-jogador do OL. De desfalques, o time comandado pelo técnico uruguaio tinha a sentida ausência do veterano Youssouf Hadji. Abaixo, você pode ver como ficou escalado o ASNL:




A grande dúvida ao longo da semana no Lyon era a participação, ou não, de Lacazette neste jogo inaugural. O principal atacante do clube havia sentido uma lesão no jogo contra o PSG, pela Supercopa da França, e precisou sair de campo no começo do segundo tempo. Com uma leve contratura, ele conseguiu retornar a tempo da estreia da L1. Dessa maneira, o OL entrava com o time praticamente titular para o duelo frente ao Nancy. Ghezzal ou Jallet, outros desfalques, também podem integrar o time principal, mas não são titulares absolutos. Confira como ficou o time:




Empurrado pelos eufóricos torcedores no Marcel Picot, o Nancy começou a partida bem melhor, mais organizado e sabendo o que deveria fazer no jogo. Antes mesmo dos 15’ do primeiro tempo, o time já havia chegado por três vezes com muito perigo. O primeiro lance, inclusive, passou muito perto da trave  direita de Anthony Lopes. As jogadas explorando o lado esquerdo do OL, por Morel, eram um caminho interessante que o ASNL explorava.

Nesse começo de partida, o Lyon não conseguia aparecer para o jogo. Fekir e Lacazette, apesar da intensa movimentação, não conseguiam fazer muitas coisas. A válvula de escape do OL acabava sendo Darder, que não conseguia dar vasão as jogadas. Mesmo Cornet, com muita velocidade, tinha dificuldades para passar da defesa do Nancy, que apesar de incomodar mais, jogava defensivamente, mesmo dentro de casa.

A primeira grande oportunidade do Lyon e até mesmo do jogo, aconteceu aos 27’ do primeiro tempo. Em rápida jogada, Lacazette achou Cornet em passe que rasgou a defesa. O atacante do OL sairia de frente com o goleiro e foi derrubado na entrada da área. Na cobrança de falta, Lacazette pegou a bola e cobrou no ângulo. Mas N’Dy Assembé, bem posicionado, conseguiu voar para buscar o chute.

A partir desse lance, o Lyon cresceu um pouco mais no jogo. E com isso, Lacazette e Fekir também começaram a aparecer mais. No primeiro lance que Fekir conseguiu carregar a bola, ele achou Darder entrando dentro da área. O volante espanhol finalizou em cima de N’Dy Assembé e, no rebote, Lacazette apareceu para bater de primeira e concluir em gol aos 33’ de jogo. 1 a 0!

Com o gol marcado e a vantagem no placar, era esperado que o Nancy saísse mais pro jogo, até mesmo para não padecer na partida e sair dali com zero ponto. Mas o que aconteceu foi exatamente o contrário. O Lyon agora tinha amplo domínio do jogo e praticamente jogava dentro do campo do adversário. Não se sabe se essa estratégia foi pensada por Correa, para ter mais liberdade no contra-ataque, ou se o time da casa realmente desanimou logo cedo.

Já no finalzinho do primeiro tempo, quando o Nancy tentava emplacar um contra-golpe, Lopes saiu do seu gol e disputou bola na entrada da área. Com o chutão dado pelo português, a bola sobrou para Lacazette que, sem qualquer marcação, saiu de frente com N’Dy Assembé. E dali ele não perdoa. Marcou o segundo dele e o segundo do OL na partida. 2 a 0! E só não foi três no primeiro tempo pois Cornet, logo em seguida, perdeu uma chance incrível de aumentar o marcador.

Para a segunda etapa, o jogo voltou a se equilibrar. O cenário só não ira idêntico ao do começo do jogo por dois fatores: 1º, o Lyon estava vencendo e tinha certo controle do jogo; 2º, o Nancy até tentava chegar, mas não conseguia criar chances da mesma maneira que conseguiu nos primeiros minutos de partida. Ainda assim, a defesa do OL estava bem melhor postada que antes, o que dificultava as ações dos comandados de Pablo Correa.

Percebendo que o seu time estava ficando sem recursos e já sem muito ânimo na tentativa de reverter o placar, Correa, que já tinha tirado Dalé e Muratori no intervalo para colocar Mandanne e Badila, fez sua última alteração do jogo, trocando um de seus atacantes. Saiu Koura para a entrada de Puyo. Depois foi a vez de Génésio também mexer. Tirou um de seus melhores jogadores em campo, mas que certamente ainda não deve estar 100%. Fekir deu lugar a Valbuena.

Logo após a troca do Lyon, o time quase precisou fazer uma segunda troca, isso porque Rafael sofreu uma entrada forte de Tobias Badila e ficou estirado no campo durante alguns minutos. Após atendimento médico, ficou decidido que ele continuaria no jogo. A partir de então, o Lyon fez sua segunda alteração no meio de campo. Corentin Tolisso deixava a partida e entrava Jordan Ferri.

Já nos últimos minutos de jogo, o Nancy tentava esboçar alguma pressão, atacava e encurralava o Lyon dentro da área em busca, talvez, de um improvável empate. O melhor jogador do time da casa acabou sendo Antony Robic, que criou as melhores chances, mas que nenhuma levou muito perigo a Anthony Lopes. Enquanto o Nancy se matava para conseguir algo, o OL já se poupava. Nos últimos minutos, Grenier entrava no lugar de Darder.

E foi o próprio Grenier quem quase ampliou o marcador. Em bola cruzada do lado direito, Lacazette dominou na área e passou para Grenier que já entrava de frente para o gol. O meia, no entanto, pegou mal o chute e acabou batendo meio de trivela, meio torto e a bola ficou fácil para a defesa do goleiro N’Dy Assembé, que praticamente não foi incomodado durante o segundo tempo de jogo.

No final do jogo, enquanto Robic tinha um gol bem anulado por impedimento, o Lyon ainda tinha tempo de fazer mais um. Valbuena dominou no meio sem marcação, achou Ferri passando pela esquerda. Ele esperou a penetração de Lacazette pelo meio que só chegou e empurrou para as redes, do modo como ele realmente sabe fazer. Terceiro gol do Lyon, terceiro dele na partida. Hat-trick na estreia e excelente resultado para o OL no primeiro jogo.

O OL agora terá uma pausa de apenas quatro dias. Pela 2ª rodada da Ligue1, vai enfrentar o Caen, no Parc OL, já na sexta-feira próxima, dia 19/08. Nessa rodada inaugural, o time da Baixa Normandia venceu o Lorient por 3 a 2. O jogo será às 15h45. Até lá!

FOTOS: olweb.fr 


MELHORES MOMENTOS:



Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!