sábado, 23 de junho de 2018

Le Podcast du Foot #79 - Classificados!

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi/Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


A França jogou mal de novo, mas melhorou em relação ao primeiro jogo e agora está garantida na próxima fase (Foto: europafootball.wordpress.com)


Duas rodadas, duas vitórias e classificação garantida para a França. Os Bleus corresponderam ao favoritismo no grupo C e não deram sopa para o azar na Copa do Mundo ao vencer os jogos contra Austrália e Peru.

Em "Le Podcast du Foot", a vitória sobre a seleção de Paolo Guerrero esteve em discussão. O editor Eduardo Madeira recebeu Bruno PessaFlávio Botelho e Renato Gomes, que analisaram a vitória sobre os peruanos e projetaram o jogo contra a Dinamarca, na rodada final.


OUÇA O MATERIAL NO DISPLAY ABAIXO:

Ouça a TODAS AS OUTRAS EDIÇÕES do podcast.

Agora, o material também pode ser assinado via ITUNES!!!

Comente também nos blogs do Eduardo Madeira e na minha coluna do SporTV! Ahh... passe lá na fan page da Ligue1Brasil no Facebook também!

Passe aqui depois e me diga o que achou. Deixe seu pitaco, sua dica, sua reclamação e também a sua pergunta. Você pode ter seu nome lido no programa. Seja corneteiro. Faça parte do podcast!


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Le Podcast du Foot #78 - Prévia da França na Copa

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi/Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Allez les Bleus!! (Foto: europafootball.wordpress.com)

A Copa do Mundo começa no sábado (16) para a França. A partir das 7h (horário de Brasília), os Bleus encaram a Austrália, na estreia do grupo C do torneio.

Le Podcast du Foot não fica fora dessa cobertura. Na edição #78, Eduardo Madeira comanda três materiais especiais projetando tudo que a França pode apresentar no Mundial. Na primeira parte, ao lado de Filipe Papini, do C’est Le Foot e BrasiLyonnais, e Renato Gomes, do Footure, analisam os perfis dos convocados por Didier Deschamps.

Já na segunda parte, convidados especiais analisam os adversários do grupo C. Gabriel Pazini, do Goal.com, fala da Austrália, adversária da estreia; Joza Novalis, especialista em futebol sul-americano, comenta sobre o Peru; enquanto Rafael Oliveira, comentarista dos Canais ESPN e realizador do Copa Tática no Lance, trouxe as análises da Dinamarca.

Na terceira – e última – parte, Vinícius Ramos, do blog Ici c’est Paris, e Flávio Botelho, jornalista, projetam os confrontos e o que a França pode apresentar na Copa.

OUÇA O MATERIAL NO DISPLAY ABAIXO:






Ouça a TODAS AS OUTRAS EDIÇÕES do podcast.

Agora, o material também pode ser assinado via ITUNES!!!

Comente também nos blogs do Eduardo Madeira e na minha coluna do SporTV! Ahh... passe lá na fan page da Ligue1Brasil no Facebook também!

Passe aqui depois e me diga o que achou. Deixe seu pitaco, sua dica, sua reclamação e também a sua pergunta. Você pode ter seu nome lido no programa. Seja corneteiro. Faça parte do podcast!


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sábado, 19 de maio de 2018

Lyon vence o Nice no sufoco e na virada e está de volta à Liga dos Campeões

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Hat-trick de Memphis Depay foi de fundamental importância para o Lyon terminar a Ligue 1 em 3º lugar




A última rodada da Ligue 1 reuniu todos os jogos de forma simultânea. O título já estava definido e nas mãos do PSG. Mas muitas outras coisas ainda estavam em jogo, como a zona de rebaixamento e também a parte de cima da tabela – esta última, inclusive, era a que interessava ao OL. O time começava a rodada na terceira colocação, posição limite para garantir vaga na próxima edição da Liga dos Campeões. No entanto, das duas vagas ainda em aberto, o Lyon disputava elas com Monaco e Marseille. Isso significava que só a vitória interessava, mas o OL tinha um adversário duríssimo pela frente: o Nice de Balotelli e Lucien Favre.

Para tentar segurar a pressão do time visitante, o Lyon propôs um jogo na mesma formação que vem utilizando recentemente, o 4-4-2. Mesmo com o retorno do atacante Mariano Díaz, Bruno Génésio optou por deixar ele escalado no banco de reservas, com o ataque ficando formado por Bertrand Traoré e Memphis Depay, com Fekir encostando um pouco mais por trás. Outra novidade no time do OL era o retorno do brasileiro Marcelo. O zagueiro estava suspenso na derrota para o Strasbourg e agora retorna a sua posição. Veja na imagem abaixo o Lyon escalado:




Já Lucien Favre optou pelo 4-4-3. O treinador suíço também tinha desfalques importantes. Dois, para ser mais preciso. Não jogava o experiente lateral, ex-Lyon, Christophe Jallet, assim com o jovem meia Lees Melou, que vinha em ótima temporada no novo clube, depois de ser destaque no Dijon até a temporada passada. Com isso, as forças do Nice ficavam, definitivamente, no seu meio de campo supercompacto, com Temèze, Cyrprien e Seri. E seu ataque veloz, com Pléa e Saint-Maximin, além de Super Mário Balotelli no comando da área. Confira abaixo como ficou escalado o time:




Com bola rolando, o Lyon parecia encarar o jogo como uma final, como já dissera Bruno Génésio na coletiva de ontem. Fekir e Memphis Depay muito bem no início, com o capitão, inclusive, criando uma ótima oportunidade logo aos dez minutos de jogo, quando quase acertou o gol de Benítez. Poucos minutos depois, Tousart também tentou arriscar no meio da rua e também passou perto.

O Nice parecia acuado. Via o Lyon jogar e quase não tinha ações ofensivas. Mas o time de Lucien Favre precisou de apenas uma única oportunidade para incendiar o jogo e abrir o placar, aos 18. A lei do ex aconteceu quando Alassane Pléa se deslocou em alta velocidade e recebeu uma esplendorosa assistência de Mario Balotelli. O italiano achou o ex-atacante do Lyon, que avançou sem sequer sentir Morel na sua cola e tocou na saída de Gorgelin. Marcou sem comemorar. 1 a 0!

Sem se abater com o gol sofrido, o Lyon continuava se lançando ao ataque. Era quase um jogo de defesa Vs. Ataque, com o único e grave problema do Nice ter dois jogadores extremamente velozes, Pléa e St-Maximin, que estavam sempre na espreita para puxarem contra-golpes. Em uma dessas tentativas de empate, o Lyon acertou uma boa finalização com Aouar, cabeceando no cantinho e Benítez fazendo boa intervenção, aos 22’.

Aos 31’ de jogo, o Lyon conseguiu mais uma boa finalização e só não virou chute ao gol por detalhe. Tudo começou com uma ótima jogada de Ferland Mendy pela esquerda. Ele achou Traoré na ára – que até então estava muito apagado no jogo. O burkinabé até conseguiu se antecipar ao defensor, mas a finalização saiu de qualquer jeito, meio aos trancos e barrancos e não assustou Benítez.

As tentativas do Lyon para mudar o cenário começavam a parecer insuficientes. Ainda mais que do outro lado do país, Monaco vencia, assim como o Marseille. Isso significa que o OL dependia apenas dele mesmo para mudar o próprio cenário de classificação, e isso não parecia nem perto de ocorrer. Perto do fim do primeiro tempo, o Nice já equilibrava um pouco mais o jogo e isso deixava o Lyon muito nervoso em campo.

Ao menos nessa primeira metade do jogo, havia um nome que queria e encarava o jogo com uma verdadeira decisão: Nabil Fekir. Ele fazia uma de suas melhores partidas e, do meio pra frente, sempre aparecia com perigo, seja pelo centro ou pelos lados. Mas ele parecia isolado, com poucas opções, e acabava jogando um pouco de forma individual, demonstrando até o nítido nervosíssimo do jovem time do OL.

No segundo tempo, o Lyon veio com uma mudança logo de cara. Entrava Mariano Díaz no lugar de Tanguy Ndombélé. E o resultado disso já era uma pressão do OL nos primeiros minutos. Primeiro, Aouar bateu de fora da área e forçou excelente intervenção de Benítez, que mandou para escanteio. Na cobrança, Mariano Díaz apareceu no segundo pau sozinho, mas cabeceou pra fora.

No lance seguinte, portanto, o Lyon não perdoou. Em ótima jogada de Fekir, ele dominou na área, prendeu, segurou até abrir espeço e foi para o fundo fazer o cruzamento. Na assistência rasteira, ele acabou encontrando Memphis Depay para apenas colocar o pé e empurrar para as redes, colocando a igualdade no placar. O placar, no entanto, ainda era insuficiente para a vaga. Precisava de mais! 1 a 1!

Aos 16’ de jogo, o Nice poderia ter acabado com o sonho do Lyon. Tudo isso por causa de um chute que Pléa aarriscou de fora da área e rebateu na defesa. Neste rebote, a bola acabou sobrando para Balotelli, sozinho, dentro da área. Em uma oportunidade melhor que um pênalti, ele foi bastante afobado e mandou na lua. O próprio jogador ficou lamentando a chance inacreditavelmente perdida.

Se a lei do ex é um a entidade máxima do futebol, “quem não faz, leva” também é outra. E foi exatamente isso que aconteceu. O OL teve uma ótima oportunidade de falta e Memphis Depay se colocou a disposição para cobrar. Ao melhor estilo Ronaldinho Gaúcho, ele bateu por debaixo da barreira, forte e rasteiro, e virou o jogo no Groupama Stadium. Agora, o Lyon estava na frente e se classificando: 2 a 1!

Após sofrer o revés, Favre mexeu duas vezes. Primeiro, colocou Le Bihan, tirando o volante Tamèze. Minutos depois, o jovem Srarfi era quem substituía Saint-Maximin. O Lyon aproveitou para mexer pela segunda vez também. Com Rafael mancando, Fernando Marçal entrou improvisado na direita. Enquanto isso, o Nice ia voltando a gostar do jogo e, a cada minuto, parecia perto do gol de empate, empurrando o OL pro seu campo de defesa.

Antes mesmo dos 40’ da etapa final, o Lyon queimou sua última alteração, com Ferri no lugar de Fekir. O capitão deixou o campo exausto e aplaudido de pé por toda a torcida do estádio (seria uma despedida?). E tudo ainda iria acontecer nos minutos finais. Memphis Depay marcou seu hat-trick, de cavadinha no goleiro após ótima assistência de Traoré. Quando parecia tudo consolidado, Pléa ainda diminuiu a vantagem e o Nice pressionou até o fim, mas não conseguiu o empate, nem com quatro minutos de acréscimos.

Enfim acaba a temporada para o Lyon. Agora, descanso para os jogadores que não devem atuar na Copa do Mundo, enquanto começam os bombardeios de especulações no mercado de transferências. OL com vaga assegurada na Liga dos Campeões deve, naturalmente, segurar algumas peças e contratar outras. A tendência é que o time fique ligeiramente melhor do que este atual. É o que veremos? Fique de olho no nosso blog e, principalmente, no nosso Twitter. Até lá!

Qui ne saute pas n'est pas Lyonnais!!!...

FOTOS: L'Equipe / olweb.fr
CAMPINHOS: L'Equipe


MELHORES MOMENTOS:

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

[Ligue1 17/18] 38ª rodada - Lyon x Nice

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: groupama-stadium.com

Reta final de Campeonato Francês. Nenhum time da liga disputa quaisquer outras competições e o foco fica apenas nesta última rodada. Todos os jogos acontecem simultaneamente e a emoção das últimas decisões ficam para os minutos finais. Rebaixamento e vagas para as próximas edições de competições europeias ainda estão em aberto. 1º, 2º e 3º lugares pegam vaga direta para a fase de grupos da Liga dos Campeões. O PSG já garantiu a dele. Monaco, Lyon e Marseille brigam pelas outras duas. Para o OL, basta uma vitória diante do Nice para carimbar o passaporte.

A boa notícia para o torcedor do Lyon é o retorno de dois jogadores primordiais para a qualidade do elenco. Marcelo, que cumpriu suspensão pelo jogo diante do Marseille, está de volta e assume seu lugar na defesa. Já no ataque, Mariano Díaz não sente mais dores e está relacionado. Se começa jogando, ou não, esta já é um decisão do treinador Bruno Génésio. Lopes e Diakhaby estão suspensos, assim como Kenny Tete e Myziane Maolida estão lesionados. Dentre todas estas ausências, apenas o goleiro é considerado titular.

No Nice, Lucien Favre também tem problemas com desfalques. Sem o experiente - e ex-lyonnais, Christophe Jallet e o jovem meia Pierre Lees Melou, o técnico suíço vai precisar depositar todas as suas fichas no ótimo setor ofensivo, com excelentes nomes como os jovens Srarfi e Saint-Maximin, além de Pléa e Balotelli, que já se tornaram praticamente pilares do elenco do time da Riviera Francesa. O Nice também precisa da vitória para garantir vaga na Liga Europa. Portanto, o jogo é considerado uma final para ambas as equipes.

O confronto entre Lyon e Nice acontece neste sábado (19/05), às 16h do horário de Brasília. No Brasil, a ESPN Extra, Watch ESPN e TV5 Monde transmitem a partida, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.




LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony RACIOPPI;
LATERAIS: RAFAEL, Fernando MARÇAL e Ferland MENDY;
ZAGUEIROS: Jérémy MOREL, MARCELO e Mapou YANGA-M'BIWA;
VOLANTES: Lucas TOUSART, Jordan FERRI, Pape Cheikh DIOP e Tanguy NDOMBÉLÉ;
MEIAS: Houssem AOUAR e Nabil FEKIR;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, Bertrand TRAORÉ, Amine GOUIRI, MARIANO Díaz e Maxwel CORNET;
TÉCNICO: Bruno GÉNÉSIO;
DESFALQUESAnthony LOPES, Kenny TETE, Mouctar DIAKHABY e Myziane MAOLIDA



NICE:

GOLEIROS: Walter BENÍTEZ e Yoan CARDINALE;
LATERAIS: Racine COLY, Patrick BURNER e Arnaud SOUQUET;
ZAGUEIROS: MARLON, Malang SARR, Maxime LE MARCHAND e DANTE;
VOLANTES: Jean Michaël SERI, Jean-Victor MAKENGO, Nampalys MENDY, Adrien TAMÈZE e Wylan CYPRIEN;
MEIAS: Bassem SRARFI;
ATACANTES: Alassane PLÉA, Allan SAINT-MAXIMIN, Mario BALOTELLI e Mickaël LE BIHAN;
TÉCNICO: Lucien FAVRE;
DESFALQUESChristophe JALLET e Pierre LEES MELOU


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Confira os dois uniformes que o Lyon usará na temporada 2018/19

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi/Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Estes serão os uniformes da próxima temporada! (CLIQUE PARA AMPLIAR)

Como já é de praxe, o Lyon esperou chegar no finalzinho da temporada para anunciar os novos materiais esportivos que serão utilizados já na temporada seguinte. E desta vez, o clube acertou em cheio em seus dois novos modelos "home" e "away". O primeiro, sempre predominantemente branco, desta vez apresenta detalhes na parte superior. Uma listra azul na região do ombro, em traço horizontal e, logo acima preenchimento total em vermelho, só interrompido com o branco, que aparece novamente nas golas. Os traços da marca aparecem na região da costela, tradicionalmente na vertical.




O calção não apresentou nenhuma grande novidade. Manteve os traços da Adidas nas laterais e uma borda, perto da extremidade inferior, também com um traço em vermelho.

Já as meias, também se mantiveram com o padrão predominantemente brancas e apenas um detalhe em vermelho na parte superior, contrastando com três listras azuis.



O modelo utilizado, apesar de bonito, mostra total falta de criatividade, já que é exatamente igual ao apresentado pelo Palmeiras, ainda este ano. Com diferença, claro, nas cores dos times. CLIQUE AQUI para ver como é a camisa do Verdão e faça você mesmo o comparativo.

Já a camisa "away" foi a que mais agradou pelos comentários recebidos nesta semana pelo blog. Predominantemente azul marinho, o modelo é praticamente minimalista, dedicando-se ao contraste em tom salmão nas listras, na personalização de nome e número do jogador, além do próprio logo da marca e nas golas. De forma quase imperceptível por fotos (clique nelas para dar zoom), a camisa mantém uma pequena textura preta em blocos retangulares, formando uma espécie de mosaico triangular que lembra, grosseiramente, uma pele de cobra.




O padrão de azul com laranja salmão segue o mesmo nos shorts e meiões, causando um efeito muito "uniforme" (sem trocadilhos) em todo o aparato esportivo.




Além do lançamento por fotos, o clube e a marca também utilizaram-se de dois vídeos para ajudar na campanha. O primeiro mais institucional e o segundo utilizando a revelação da temporada, Houssem Aouar, como "garoto propaganda". Você pode conferir ambos abaixo. Somado a isso, o Lyon também já deve utilizar este uniforme "home" no jogo deste sábado, já na última rodada da atual temporada, contra o Nice, em casa.




Fora as duas camisas já apresentadas, o clube também já disponibilizou todo seu material de treino, que está disponível para venda NESTE LINK (sério, cliquem e vejam. São bem bonitos também). Costumeiramente o clube também tem estratégia para lançar mais uma camisa, por volta do fim do ano. Esta, sempre permanece como mistério até o dia de seu lançamento.

As camisas, por mais absurdo que isso possa parecer, não estão sendo comercializadas no Brasil por motivos que a Adidas nunca quis responder ao blog em todas as suas tratativas como consumidor e colecionador. Está será a quarta ou quinta temporada consecutiva que o OL caminha sem vender seus produtos oficiais aqui na América do Sul. Se você se interessou e quiser comprar, o único meio oficial para se fazer isso é através do e-commerce oficial do clube. Mas prepare seu bolso para pagar em euro até a Adidas criar vergonha na cara e retornar com suas vendas dos clubes franceses para cá.


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

terça-feira, 15 de maio de 2018

Le Podcast du Foot #77 – OM em busca da taça

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi/Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


A final da Liga Europa terá o Marseille. E será na casa do Lyon! (Foto: OM.net)

O dia 16 de maio de 2018 é um dos mais importantes da história recente do Olympique de Marseille. Diante do Atlético de Madrid, o OM tenta erguer a taça de campeão da Liga Europa pela primeira vez na história.

Mais do que o título em si, a conquista traz outros contornos, como a possibilidade de festejar na casa de um dos rivais – o Groupama Stadium, casa do Lyon, é palco da final – e a chance de tripudiar outro, o PSG, que gastou tufos de grana para morrer nas oitavas de final da Liga dos Campeões.

E o que esperar desse jogo? Na edição #77 de Le Podcast du Foot, Eduardo Madeira, do Europa Football, Renato Gomes, do Footure, e o convidado especial Gabriel da Cruz, do perfil Brasil OM, no Twitter, se reuniram e projetaram o confronto.

A grande novidade é que a partir desta edição, Le Podcast du Foot será hospedado no Soundcloud e compartilhado também no iTunes. Portanto, siga nosso programa, assine o feed nas plataformas e fique por dentro das próximas edições:

OUÇA O MATERIAL NO DISPLAY ABAIXO:

Ouça a TODAS AS OUTRAS EDIÇÕES do podcast.

Agora, o material também pode ser assinado via ITUNES!!!

Comente também nos blogs do Eduardo Madeira e na minha coluna do SporTV! Ahh... passe lá na fan page da Ligue1Brasil no Facebook também!

Passe aqui depois e me diga o que achou. Deixe seu pitaco, sua dica, sua reclamação e também a sua pergunta. Você pode ter seu nome lido no programa. Seja corneteiro. Faça parte do podcast!


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sábado, 12 de maio de 2018

Em noite lamentável, Lyon sofre dois gols no apagar das luzes e é ultrapassado na tabela

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


OL vencia até os 43’ de jogo. Com os dois gols marcados pelo Strasbourg, o Monaco – que venceu – é o atual vice da Ligue 1. O time alsaciano ainda escapou do rebaixamento.




A Ligue 1, a duas rodadas do seu fim, e com um time já campeão, segue com toda a emoção. As brigas pelas vagas internacionais e a luta contra o rebaixamento dão uma tônica das mais interessantes. E dois times que batalham exatamente por estes objetivos distintos, entraram em campo hoje. O Lyon precisava da vitória para se manter no topo, com a vice-liderança e já tiraria qualquer possibilidade do Marseille de alcançar esta posição na tabela – já que perderam na sexta. O Strasbourg precisava vencer para seguir sua batalha fora da zona de rebaixamento.

Em campo, as duas equipes tinham problemas sérios para montar seus times principais. O time da casa, por exemplo, não tinha sua principal joia, uma das revelações deste ano no Campeonato Francês. Martin Terrier, com lesão, ficou assistindo das bancadas. Além dele, Thierry Laurey também não tinha N'Dour, Tchamba, Aaneba, Vincent Nogueira, Zemzemi e Zohi. O time depositava esperanças em jogadores como Liénard e Bahoken para tentar surpreender o OL. Olha como ficou os 11 inicias:




Também problemático por desfalques, o Lyon tinha uma situação desconfortável em seu setor defensivo. Anthony Lopes e Marcelo, os dois pilares da defesa, estavam suspensos. Diakhaby também iria ficar de fora, mas entrou jogando por efeito suspensivo. Ainda assim, Bruno Génésio não tinha a sua disposição, além dos já citados, Tete (fez artroscopia no joelho), Maolida (retornando de lesão) e Mariano Díaz (com fortes dores no tornozelo). Com as ausências, Yanga-M’Biwa, Diop e Gouiri apareceram no banco de reservas. Veja como ficou o OL:




Jogo pegado! Era essa frase que poderia resumir os primeiros minutos de jogo no Stade de la Meinau. A equipe da casa tem um perfil muito físico e isso complicava as ações do OL. E, na vez que os Gones conseguiam escapar do adversário, uma falta era marcada. Enquanto Bahoken não recebeu o primeiro amarelo, aos 11’ de jogo, a peleja não se normalizou. E o próprio OL estava entrando nessa que não era muito do seu feitio.

Enquanto o Lyon apanhava no meio de campo, o Strasbourg, ainda que tímido, conseguiu chegar ao gol de Gorgelin. A primeira boa oportunidade foi com Liénard. Ele cobrou falta cruzada na área e Grimm apareceu com muito perigo, fechando o cruzamento. A bola acabou passando por todo mundo e não causou perigo. Depois, aos 17’, foi a vez de Gorgelin evitar a cobrança de falta de Liénard, desta vez, direta para o gol.

Definitivamente, o Strasbourg surpreendia e era melhor no começo do jogo. Mas ainda assim, faltava qualidade para surpreender de vez a defesa do OL. O que ninguém contava era que Diakhaby falharia de forma grotesca. O jovem zagueiro tentou sair jogando e acabou entregando de bandeja para Bahoken. O artilheiro do time da casa não perdoou e, ali mesmo, acabou abrindo o placar, aos 22’.

Os donos da casa, com a vantagem no marcador, continuavam jogando seu futebol de marcação intensa, mas agora também faziam de tudo para enrolar o jogo. Ainda assim, era quem mais criava. O segundo gol quase saiu dez minutos depois do placar aberto. Em cobrança de escanteio, Gorgelin cortou mal no alto e a bola sobrou para Corgnet mandar uma bela bicicleta no travessão. Seria o lance da rodada na França se estivesse entrado.

Durante toda a primeira etapa, o Lyon não jogou. Tentou pouquíssimas jogadas ofensivas e parou no encaixotamento da defesa alsaciana, muito bem projetada por Laurey no jogo de hoje. Essa apatia ofensiva forçava jogadores como Fekir, Memphis Depay e Traoré abusarem das tentativas com jogadas individuais. Mas, obviamente, eles não conseguiriam ultrapassar todos os adversários sozinhos.

Antes do fim da primeira parte, Thierry Laurey precisou fazer uma alteração. Seu volante Aholou deu um carrinho para matar uma jogada e já levantou sentindo uma forte fisgada na parte posterior da coxa. Imediatamente pediu substituição e concedeu seu lugar para Anthony Gonçalves. Mas, nem mesmo os três minutos de acréscimos e uma chance em escanteio foram suficientes para o OL reagir.

Na segunda etapa, o Lyon voltou com outra postura. Logo no primeiro lance, percebia-se uma vontade de atacar com mais inteligência e o primeiro gol só não saiu por falta de capricho de Traoré. Mas na sequência, Fekir passou por um dentro da área e quando iria passar pelo segundo, sofreu um sanduíche. Pênalti marcado por Clément Turpin. O próprio Fekir cobrou, deslocou Oukidja e deixou tudo igual: 1 a 1!

Após sofrer o empate, o Strasbourg acabou perdendo seu segundo jogador no jogo por lesão. Jonas Martin deixou o campo mancando e deu lugar a Ernest Seka. Mas foi só quase dez minutos depois da troca forçada que o time alsaciano incomodou de novo. Gonçalves aproveitou falha na saída de bola do OL e, em dividida, quase conseguiu um gol sem querer. Lá estava Gorgelin, atento no lance, evitando o problema.

Enquanto o Strasbourg incomodava (pouco, mas era mais persistente), o Lyon voltava com a apatia anterior. Praticamente não criava e dependia de lampejos dos homens de frente. Mas, em lance quase despretensioso, Aouar mudou o panorama da partida. Ele carregou bola pela esquerda, tentou passar da marcação e perdeu a bola. Memphis recuperou e rapidamente acionou o mesmo Aouar, que recebeu na saída de Oukidja e virou o jogo: 2 a 1!

Thierry Laurey buscava uma reação. Mexeu no time colocando Nuno da Costa no lugar de Benjamin Corgnet. Mas agora era o Lyon quem tinha o controle do placar e quem fazia o relógio correr. Já faltavam menos de dez minutos para o término da partida e Bruno Génésio não havia feito quaisquer mexidas. Estava utilizando-as para queimar tempo mais para o fim da partida.

Só aos 38’ que houve a primeira troca de Génésio. Ele colocou Maxwel Cornet no lugar de Memphis Depay, que apesar de apagado, foi um dos poucos que tentou algo ofensivamente hoje no time – e ainda fez uma assistência. Poucos minutos depois, Jordan Ferri era quem adentrava o gramado, para a saída do amarelado Ndombélé, que teve um papel físico bem importante durante o jogo.

O que o Lyon não imaginava é que o destino reservava uma surpresa. O Strasbourg conseguiu virar no final do jogo. Mais dois gols com responsabilidade direta em Mouctar Diakhaby. No primeiro, ele não conseguiu subir mais alto que Nuno da Costa, que cabeceou e completou pro gol aos 43’. Depois, ele quase cometeu um pênalti. Na cobrança, Liénard mandou uma falta milagrosa no ângulo oposto. Uma maravilha de cobrança aos 94’. Não tinha tempo de reação e o OL sofreu seu castigo por realizar um péssimo jogo.

Agora, o Lyon tem foco apenas na última rodada do Campeonato Francês. O duelo será contra o Nice, no Groupama Stadium, no próximo dia 19, sábado, às 16h – mesmo horário em que todos os demais jogos da Ligue 1. Essa partida será importante. Ela decide tudo. Para terminar em segundo, o Lyon precisa vencer e o Monaco perder ou empatar com o Troyes. Não existe outro cenário. Até lá!

FOTOS: olweb.fr
CAMPINHOS: L'Equipe


OS GOLS DA PARTIDA:

Bahoken 1-0:


Fekir 1-1:


Aouar 1-2:


Nuno da Costa 2-2:


Liénard 3-2:


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!