quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Juninho sonha em treinar o Lyon / Seguin emprestado ao Dijon / Sorteio da Taça da Liga / Jogadores voltam de lesão

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi

Ex-capitão do Olympique de Lyon, o meia Juninho Pernambucano, atualmente no Al Gharafa, do Qatar, declarou nesta sexta-feira que, caso receba uma boa proposta, pensa em comandar o clube francês depois que se aposentar. O jogador, inclusive, já está se preparando para exercer a função.

- Quero treinar o Lyon. Tenho vontade de ser o técnico - afirmou Juninho à revista "Planète Lyon".

O brasileiro, de 35 anos, deixou o clube em junho de 2009 depois de defender a camisa do Lyon por oito anos e conquistar o Campeonato Francês sete vezes, além de uma Copa da França, com um total de 100 gols marcados.

- Se me convidarem para o Lyon para realizar uma atividade de que não goste, não voltarei. Mas se tiver uma boa proposta, voltarei.


FONTE: Globoesporte.com
FOTO: ANSA

Seguin emprestado ao Dijon:

Depois de perder Chaher Zahour por quatro meses devido a uma lesão no joelho, o Dijon precisou ir atrás de algum zagueiro para subistituí-lo. O escolhido foi Nicolás Seguin, de 20 anos. O defensor do Lyon assinou um contrato até o final da temporada, mas seu vínculo com o OL continua até junho de 2013.

Sorteio da Taça da Liga:

O Lyon
não deu muita sorte no sorteio da Taça da Liga. O adversário será o forte PSG, atual quinto colocado da Ligue1. Os jogos devem ocorrer entre os dias 26 e 27 de outubro, uma semana após o confronto contra o Benfica, válido pela Liga dos Camepeões.

Jogadores voltam de lesão:

De acordo com o próprio treinador do Lyon, Claude Puel, os jogadores Jean Makoun, Cris e Lisandro Lopéz estarão disponíveis para jogar no final de semana. Por outro lado, Ederson e Delgado ainda seguem em tratamento. No duelo contra o Hapoel, Michel Bastos sentiu uma dor na coxa, e teve que ser substituído. No entanto, a lesão não preocupa. Ele já fez uma ressonância magnética que por sua vez não apontou nada mais grave. Hoje de manhã, o brasileiro não sentiu nenhum incomodo. Puel tranquilizou e afirmou que pode ter sido cãibra, devido ao desgaste físico que tiveram, somado ao forte calor que fazia em Israel.

Michel Bastos supera as expectativas e lidera o Lyon em sua segunda vitória na UCL

Luis Guilherme Doméniche

Brasileiro, que disputou mundial como lateral-esquerdo, provou que joga mesmo é no meio campo.




O Lyon viajou nesta quarta à Israel. O adversário era o Hapoel Tel-Aviv, time considerado o saco de pancadas do grupo B. E o time francês estava disposto a começar uma sequência vitoriosa na UEFA Champions League. No decorrer do jogo, dois fatos puderam ser constatados. O primeiro: o Hapoel não é "saco de pancadas", como muitos pensam. E pelo jeito não vai se entregar. Segundo: Michel Bastos se tornou definitivamente uma engrenagem diferenciada no time do Lyon, algo que os torcedores já esperavam dele desde a temporada passada, quando não teve muitas chances.

O ambiente no vestiário francês era uma incógnita. Se por um lado poderiam estar confiantes pela eficiente vitória sob o Schalke 04, também poderiam estar profundamente abalados pela derrota de domingo passado, sofrida em casa para o St Etienne, maior rival e no derby de número 100. Os fieis Bad Gones, que foram até Israel fazer seu barulho, só esperavam profissionalismo e empenho do time, caso contrário a situação ficaria ainda pior para o já ameaçado Claude Puel.

O estádio Bloomfield era um mar vermelho, lotado de torcedores fanáticos e confiantes a empurrarem o "pequeno" Hapoel para cima do gigante Lyon, supostamente fragilizado. Na entrada dos times em campo destacou-se o barulho feito pelos poucos torcedores do OL que ali estavam. Mesmo em minoria não deixaram de chamar atenção. O Lyon apresentava-se novamente muito desfalcado. Além de Cris, César Delgado e Ederson, o time de Puel agora não podia contar também com uma de seus maiores destaques, o argentino Lisandro Lopez. Alias, Delgado e Licha foram exemplos de vontade e raça na histórica temporada passada pela UCL.

Agora, a missão foi confiada a Gomis, Briand e Michel Bastos, e esse ultimo não decepcionou, fazendo valer a titularidade que ironicamente só apareceu com os desfalques, mesmo ele demonstrando ser um jogar diferenciado já a algum tempo. Do lado israelita, o destaque vai para o goleiro nigeriano Enyeama. Ele chamou a atenção do planeta, quando disputou a última edição da Copa do Mundo e faz inúmeras defesas incríveis, impedindo que Messi, por exemplo, marcasse um belo gol, em um confronto entre suas seleções.

Ao começar o jogo, o Lyon não demorou muito para demonstrar fortes sinais de sua superioridade técnica, e logo começou a pressionar. Källström, Michel Bastos e Gourcuff trabalhavam bem a bola no meio-de-campo, armando as melhores jogadas, dando pouca chance ao Hapoel, que ainda se mostrava tímido no jogo.

Logo aos 7', a força lionêsa surtiu efeito. Briand sofreu falta de Badier dentro da área. Resultado? Pênalti! Foi confiado ao brasileiro Michel Bastos cobrar, e foi fatal! Mesmo Enyeama impondo respeito, Bastos não se acanhou e arrematou com maestria, goleiro para um lado e bola para o outro. O OL abria o placar rapidamente, fora de casa. Provavelmente algo crucial para o domínio do jogo.

Como já foi dito, a torcida do Hapoel se mostrava apaixonada e destinada a incentivar seu clube. Os jogadores responderam a altura, e ao invés de se deixarem abalar pelo gol sofrido tão cedo, levantaram a cabeça e partiram para um jogo extremamente ofensivo, sem demonstrar medo do adversário tecnicamente superior.

Os desconhecidos jogadores Israelenses até provaram grande vontade, chegaram a criar belas oportunidades de gol, como aos 10', onde fizeram bonita jogada de ataque, mas culminou em um constrangedor resvalo de bola, que Lloris parou tranquilamente só com os pés.

Em seguida fariam o goleiro da seleção francesa trabalhar mais uma vez, mas em todas as oportunidades em que conseguiam penetrar na área – e não foram poucas – erravam na finalização, ou o próprio Lloris tratava de defender os atrapalhados chutes. Exemplo disso foi aos 18', quando o Hapoel chegou ao ataque, limpou toda a defesa dos visitantes, mas errou o alvo por muito. Poderia ser a chance de empatar e levar o jogo para outro rumo.

O Lyon, como já é de praxe em suas ultimas exibições, deu uma resposta a altura. Penetrava na área e também pecava na finalização. Aos 35’, Briand esteve na cara do gol e presenteou a arquibancada com um chute que passou ao lado dos torcedores. Em seguida, Gomis recebeu passe perfeito de Cissokho e chutou de maneira primária. Ainda teve a sorte de pegar Eneyama desprevenido. No entanto o nigeriano conseguiu espalmar para escanteio. Após a cobrança, a bola sobrou na entrada da área, perfeita para Michel Bastos.O brasileiro não pensou duas vezes, meteu uma de suas típicas bombas de canhota para o gol e acertou em cheio no ângulo. Os espectadores, e provavelmente até o próprio Bastos, sequer viram a trajetória da bola, tamanha força e rapidez que ela tomou.

No restante da primeira parte ainda houve tempo para Gourcuff desperdiçar um gol praticamente feito.




Na volta do intervalo, vimos um Lyon relaxado, e um Hapoel ainda agressivo e cheio de gás. isso culminou num inicio de segunda etapa com diversas chances para os donos da casa, todas jogadas no lixo. Foi um momento Israelense de euforia que duraria cerca de quinze minutos. Dai em diante, o jogo ficou extremamente sem graça e morno, e os únicos agitados ali eram a torcida do do próprio Hapoel, ainda muito esperançosa e animada, apesar dos 2 a 0 contra.

Nem mesmo o pênalti causado por Lovren, e cobrando com excelência pelo goleirão Eneyama fez o Lyon acordar. Pelo contrário, empolgado, quem ficou ainda mais agressivo foi o Hapoel, que queria arrancar um empate a todo custo. Mera ilusão. Já aos 94', Pjanic, que entrou no lugar do brilhante, porém lesionado Michel Bastos, começou bonita jogada, tocou para Pied, que dividiu com Enyeama. Por fim, a bola sobrou, de novo para Pjanic que não titubeou, 3 a 1 e fim de jogo!

Apesar dos erros defensivos, foi uma boa vitória em território inimigo. O Hapoel foi um time subestimado, que não se encolheu. Jogou como gente grande no estádio da Luz contra o Benfica, e dentro de casa não abaixou a cabeça em minuto algum. Mérito do Lyon por ter conseguido superar a vontade dos israelenses de fazer história.

Agora voltamos para a velha ironia do contestado treinador Claude Puel; O OL finalmente decolará na L1? Continuará na zona de degola, enquanto faz campanha vitoriosa no campeonato mais difícil e assistido do futebol mundial, a UEFA Champions League? Só o tempo pra dizer.

Próximo adversário: Ligue1, 8ª rodada. O confronto será contra o Nancy, fora de casa. Dia 02/10, sábado próximo, às 14h, horário de Brasília.

FOTOS: ESPN.com.br / olweb.fr


COMPACTO DE HAPOEL TEL-AVIV 1-3 LYON

terça-feira, 28 de setembro de 2010

[UCL – 10/11] Grupo B - Hapoel Tel-Aviv x Lyon

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

Após sofrer para derrotar os israelenses do Hapoel Tel-Aviv por 2 a 0 na rodada inaugural do seu grupo, o Benfica agora encara uma dura pedreira contra o Schalke, fora de casa, nesta quarta-feira, às 15h45. Para os portugueses, esse é um duelo chave no que se refere às pretensões de classificação da equipe para a próxima fase da competição.

Segundo o técnico do clube, Jorge Jesus, um triunfo em Gelsenkirchen deixará seus comandados em ótima situação no Grupo B. "Com uma vitória, diria que ficamos com 60/70% de chances. É um grupo com três times muito iguais. Ninguém deve perder pontos para o Hapoel, por isso, se vencermos amanhã, será um passo grande para passarmos de fase.

LYON BUSCA SEGUNDA VITÓRIA EM ISRAEL - Na outra partida do grupo, o Lyon tenta conquistar a sua segunda vitória na Champions e encaminhar a sua passagem para as oitavas contra o Hapoel, em Israel, no mesmo horário. O clube conta com os três pontos diantes dos israelenses, tidos como saco de pancadas da chave.

No duelo, o técnico Claude Puel não terá o atacante Lisandro Lopez, que se lesionou novamente e deve ficar de fora por duas semanas. No seu lugar deve entrar Gomis. Do lado do Hapoel, a esperança é na dura partida feita ante o Benfica, quando tiveram boas chances de sair até com o empate do Estádio da Luz.

FONTE: Terra.com.br



LYON:

GOLEIROS: Hugo LLORIS, Rémy VERCOUTRE e Mathieu GORGELIN;
LATERAIS: Anthony RÉVEILLÈRE, Timothée KOLODZIEJCZAK, Aly CISSOKHO e Lamine GASSAMA;
ZAGUEIROS: Pape DIAKHATÉ e Dejan LOVREN;
VOLANTES: Jérémy TOULALAN e Maxime GONALONS;
MEIAS: Kim KÄLLSTRÖM, Yoann GOURCUFF, Michel BASTOS, Clément GRÉNIER e Miralem PJANIC;
ATACANTES: Bafétimbi GOMIS, Alexandre LACAZETTE, Jérémy PIÉD, Ishak BELFODIL e Jimmy BRIAND;
TÉCNICO: Claude PUEL;
DESFALQUES: César DELGADO, Jean II MAKOUN, CRIS, LISANDRO Lopez e Honorato EDERSON


HAPOEL TEL-AVIV:

GOLEIROS:
LATERAIS:
ZAGUEIROS:
VOLANTES:
MEIAS:
ATACANTES:
TÉCNICO:
DESFALQUES:

domingo, 26 de setembro de 2010

Jean-Michel Aulas e os Bad Gones

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: FranceFootball

Ontem, após a derrota contra o Saint-Étienne, um grupo de torcedores do Lyon, chamados de Bad Gones, ficaram no estádio, protestando e pedindo a cabeça do técnico Claude Puel. Um protesto calmo, realizado pelos aparelhos sonoros do estádio e pela força das gargantas. Entretanto, os torcedores não esperavam que o presidente do clube, Jean-Michel Aulas apareceria por ali e abriria uma conversa com os próprios torcedores, dentro do estádio e após uma derrota amarga contra o rival.

Por enquanto, o cartola lionês preferiu dar mais uma chance para Puel, e apresentou motivos aos torcedores. Ainda deu tempo de fazer uma piada com os rivais do Saint-Étienne, afirmando que os "verdes só poderão disputar a Liga dos Campeões desse ano, pelo Playstation".

Veja abaixo, o vídeo do site Lyon-Capitale, que mostra a conversa tranquila de Aulas e os Bad Gones. Já imaginou algo parecido aqui no Brasil? Pouco provável de acontecer, não é mesmo?





Nota triste: Segundo informações do jornal Le Parisien, após o derby de ontem, 16 torcedores foram presos em um estacionamento próximo ao Stade de Gerland. Era um grupo formado por 12 torcedores do OL e outro composto por 4 do Saint-Étienne. Segundo informações, acontecia um confronto entre eles e dois envolvidos na confusão são presidiários que estavam sob custódia.

sábado, 25 de setembro de 2010

Lyon faz sua melhor partida na temporada, mas cai frente ao rival

Filipe Frossard Papini

28 a 5. Esse foi o scout de chutes do Lyon contra o St. Etienne. Time de Gautier soube aproveitar as poucas chances que teve.





Duelo de número 100 entre os dois confrontantes do dia. Lyon e Saint-Etienne, em situações opostas, entraram em campo sob pressões diferentes. O time da casa com a iminência de perder seu treinador em caso de enventual derrota. Os verdes, com o artilheiro da competição, brigam pela ponta da tabela. Não se pode negar que é uma inversão de papeis, levando em conta as últimas 3 ou 4 temporadas dos dois clubes.

Machucados durante a semana, o Lyon perdeu Lisandro e Makoun. Oportunidade para Bafétimbi Gomis começar jogando. E ele já mostrou que contra o seu ex-time, possui uma motivação diferenciada. Veja o time inicial do OL:




Por outro lado, o ASSE também tinha problemas de lesão durante a semana. Era nada mais, nada menos, que o artilheiro da Ligue1, Dimitri Payet. No entanto, o jogador foi relacionado e começou jogando, para alívio dos Stéphanois. Abaixo, a escalação do St.Etienne:




Aimet Jaquet, ex-técnico da seleção francesa foi o responsável por dar o pontapé inicial antes de iniciar o clássico. E a bola começou rolando empurrada por um Stade Gerland abarrotado de torcedores que gritavam incessantemente em prol do Lyon.

A primeira jogada de perigo surgiu aos 11’, com Gomis. A jogada toda foi trabalhada pelo brasileiro Michel Bastos, que cruzou com perfeição. O ex-Saint-Etienne tocou na bola, que foi parada pelo toque na trave. Era o Lyon mostrando sua força desde o início.

O ASSE permanecia acuado, diante de um OL motivado e tocado pela raça demonstrada por todos os seus jogadores. Um exemplo era Gourcuff, que fazia um ótimo primeiro tempo, digno de dizer que era seu melhor momento com a camisa lionesa, até então.

O desenho tático do setor ofensivo Lyon era de fácil entendimento. Bastos pela esquerda, Briand pela direita. Gomis plantado no centro como referência e Gourcuff centralizado, vindo de trás e abrindo para os pontas. Källström era o elemento surpresa.

A formação deu certo. O OL jogava mais e sufocava o Saint-Etienne. Aos 23’, foi a vez de Toulalan. O volante cabeceou com firmeza. A bola iria entrar no ângulo de Janot, se não fosse Ebondo, que tirou, também de cabeça, aquele que seria o primeiro gol da partida.

Cinco minutos depois o Lyon apareceria com perigo novamente. Briand fez boa jogada em velocidade, armou um belo contragolpe. Chamou a marcação pra si e descobriu Bastos entrando livre pela esquerda. O brasileiro só tinha Janot em sua frente, mas o chute sai fraco e no meio do gol, facilitando a vida do goleirão adversário.

Na primeira etapa, o ASSE não chegou com perigo sequer uma vez. O único chute ao gol foi realizado por Payet, do meio de campo, a bola chegou rasteira e fraca para Lloris defender. Definitivamente, o OL estava melhor.

Na volta dos vestiários, pouca coisa mudou. O Lyon continuava sua pressão – talvez até maior no segundo tempo –, a torcida inflamava o estádio, e Gourucuff continuava sendo caçado em campo. De diferente, apenas a inversão de Briand com Michel Bastos. Agora o brasileiro jogava pela direita e o ex-Rennes pela esquerda.

O primeiro lance polêmico da partida, veio aos 10’ da etapa final. Depois de um bate-rebate na área do Saint-Étienne, Lovren pegou o rebote e a bola foi desviada no braço de Perrin. O árbitro apontou para o escanteio, sob os protestos do estádio e dos jogadores do OL.

Aos 17’ da segunda etapa, mais pressão lionesa. Primeiro com Toulalan, que arriscou de fora da área e por pouco não acertou o canto direito de Janot. No lance seguinte, foi a vez de Briand, que recebeu cruzamento de Cissokho, antecipou o goleiro do ASSE, mas a bola bateu no travessão. No rebote, Gourcuff não conseguiu completar.

No entanto, o balde de água fria veio aos 30’. Todos conhecem a velha máxima: “Time não faz, leva”. Foi isso que aconteceu no Gerland. O Lyon era só pressão. Tinha domínio total. 55% de posse de bola, sem falar nos chutes ao gol: 17, contra apenas 2 do ASSE.

Na intermediária, quando Payet tentava buscar jogo, Källström retirou-lhe a bola de forma limpa. Sem falta. Mas não foi isso que o árbitro Antony Gautier viu. Ele marcou falta. Foi dali que surgiu o gol do Saint-Étienne, cobrado por Payet, que não tinha nada a ver com a decisão errônea do juiz.

Atrás do placar, e ainda assim, com a torcida jogando junto, o OL partiu novamente para a pressão, mas agora na base do desespero. Sem muita armação, sem muita técnica. O chapéu de Claude Puel estava em jogo, e os jogadores pareciam não querer o pior. Faltando 10’, para o término de jogo era só Lyon no ataque, mas novamente sem nenhuma efetividade. No apito final, o árbitro Antony Gautier ainda expulsou Rémy Vercoutre, goleiro reserva do Lyon, provavelmente por reclamação. Ele já tinha recebido um amarelo no primeiro tempo por isso.

Injustamente o ASSE saiu do Gerland com os três pontos. Não mereciam. Payet e Perrin foram muito bem neutralizados por Källström e Toulalan. O time de Christopher Gautier não jogou bem, mas fez o suficiente para levar a vitória. Não desperdiçou a única oportunidade real que tiveram. Agora resta aguardar os próximos dias, pra ver qual será o futuro de Puel, que repito, hoje não mereceu tamanha decepção.

Próximo adversário: Quarta-feira, dia 29. O confronto é contra o Hapoel Tel-Aviv, time israelita que também disputa a Champions League pelo Grupo B. 15h45, horário de Brasília.

FOTOS: L'Equipe / FranceFootball / Football.fr / Football365.fr / Sports.fr / Yahoo.fr / sofoot.fr


Lyon 0-1 St. Étienne - DIMITRI PAYET

[LIGUE1 – 10/11] 7ª Rodada - Lyon x Saint-Étienne

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

Na sétima rodada do Campeonato Francês, mesmo com a liderança da competição bastante disputada, o jogo do Lyon é o que mais chama a atenção. Além de enfrentar o Saint-Etienne - líder ao lado do Toulouse -, a equipe dos brasileiros Cris, Michael Bastos e Ederson luta para deixar as últimas posições da tabela.

O Lyon - na 17ª posição, uma acima da zona de rebaixamento -, tem uma missão complicada. Os Gones encaram o líder Saint-Etienne, que soma 13 pontos, no estádio Gerland, neste sábado. Para animar o clube, a principal contratação para a temporada vai para o jogo. O meia Gourcuff, ex-Bordeaux, era dúvida devido a um problema dentário, mas foi confirmado pelo técnico Claude Puel. Porém, o Lyon segue sem o argentino Lisandro López que, devido a uma lesão muscular, só voltará aos gramados daqui a duas semanas.

FONTE: LanceNet



LYON:

GOLEIROS: Hugo LLORIS e Rémy VERCOUTRE;
LATERAIS: Anthony RÉVEILLÈRE, Aly CISSOKHO e Lamine GASSAMA;
ZAGUEIROS: Pape DIAKHATÉ e Dejan LOVREN;
VOLANTES: Jérémy TOULALAN e Maxime GONALONS;
MEIAS: Kim KÄLLSTRÖM, Yoann GOURCUFF, Clément GRÉNIER, Michel BASTOS e Miralem PJANIC;
ATACANTES: Bafétimbi GOMIS, Alexandre LACAZETTE, Ishak BELFODIL, Jérémy PIÉD e Jimmy BRIAND;
TÉCNICO: Claude PUEL;
DESFALQUES: César DELGADO, CRIS, LISANDRO Lopez, Jean II MAKOUN e Honorato EDERSON



SAINT-ÉTIENNE:

GOLEIROS: Jérémie JANOT e Jessy MOULIN;
LATERAIS: Albin EBONDO, Sylvain MARCHAL e Loris NÉRY;
ZAGUEIROS: Moustapha BAYAL Sall, Carlos BOCANEGRA e Sylvain MONSOREAU;
VOLANTES: Blaise MATUIDI, Josua GUILAVOGUI e Christophe LANDRIN;
MEIAS: Laurent BATLLES, Bakary SAKO, Dimitri PAYET e Loïc PERRIN;
ATACANTES: Gonzalo BERGESSIO, Emmanuel RIVIÈRE e Idriss SAADI;
TÉCNICO: Christophe GALTIER;
DESFALQUES: Boubacar SANOGO e Yoann ANDREU

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Presidente do Lyon revela que tentou contratar José Mourinho / Lyon desmente contato com Lippi / Nice contrata Clerc

Segundo Jean-Michel Aulas, questões financeiras impediram a negociação

O presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, revelou neste segunda-feira à rádio francesa RMC que tentou levar o português José Mourinho, atual treinador do Real Madrid, ao clube.

Segundo Aulas, o desejo ainda existe.

- Sonho em terminar minha carreira com um grande treinador estrangeiro. Tentei fazer o Mourinho vir, antes de contratar o Puel. Não aconteceu por razões financeiras. Mas podemos tentar ter essa experiência depois que o Puel sair.

Claude Puel, atual treinador do Lyon, chegou ao clube em 2008 e está com o cargo em risco.

FONTE: GOAL.com


Lyon desmente contato com Lippi:
Em nota, o OL desmentiu nesta quinta-feira, de forma categórica, que o clube tenha entrado em contato com o treinador Marcelo Lippi: "O Lyon desmente qualquer tipo de contato com Lippi, contrariando aqueles que afirmaram o contrário". O boato surgiu depois que o presidente Jean Michel-Aulas determinou um prazo para o atual técnico, Claude Puel, mostrar resultados. De acordo com os burburinhos, o presidente do OL teria jantando com o treinador italiano.

Nice contrata Clerc:
No início desta semana, o Nice anunciou a contratação do lateral-direito François Clerc. O ex-lyonnais assinou um contrato de duas temporadas, após ter passado três meses se tratando de uma lesão e se recuperando fisicamente no time rubro-negro. No fim da temporada passada, Clerc foi dispensado do Lyon depois de jogar apenas 16 partidas do campeonato francês em dois anos, por culpa de uma lesão persistente no joelho. O jogador também já defendeu a seleção francesa por 14 vezes e chegou a a disputar a Euro2008. Clerc começou sua carreira no OL, teve uma rápida passagem pelo Toulouse e depois retornou ao time de origem, onde jogava até então. Os valores do contrato não foram divulgados.
FOTO: les-transferts.com

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Insatisfeito, presidente do Lyon estipula prazo de validade ao treinador

Jean-Michel Aulas, presidente do Lyon, confirmou nesta terça-feira em entrevista ao jornal francês "L'Équipe", que o treinador Claude Puel poderá deixar o clube, caso os resultados do time não melhorem. Aulas disse que um treinador que não tem sucesso no Lyon, está em risco, e deu prazo de validade para o comandante: 23 de novembro.

- Apenas cinco pontos em seis jogos. Isso é muito pouco, mas também ganhamos o nosso primeiro jogo para a Liga dos Campeões, contra o Schalke. Vamos ter uma reunião no dia 23 de novembro, após 10 jogos no Francês e três pela Liga dos Campeões. Se os resultados não forem bons, teremos de mudar alguma coisa - disse.

O Lyon é o 17º na tabela de classificação do Campeonato Francês com cinco pontos, ao lado do Lens, primeiro time na zona do rebaixamento. A equipe vem de derrota por 2 a 0 para o Bordeaux. Os comandados de Puel terão um compromisso difícil na próxima rodada, quando enfrentarão o Saint-Étienne, atual líder do campeonato, no próximo sábado.

FONTE e FOTO: Globoesporte.com



Lisandro Lopez desfacará Lyon de duas a três semanas:
Após sofrer uma lesão na coxa na derrota por 2 a 0 sobre Bordeaux no último domingo, pelo Campeonato Francês, Lisandro Lopez deverá ficar de fora dos gramados de duas a três semanas. “Nós ainda precisamos esperar alguns dias para saber se ele sofreu uma distensão ou um rompimento nos músculos. Lisandro se ausentará por duas ou três semanas”, disse o presidente do clube, Jean-Michel Aulas. Com isso, Lisandro não participará da partida contra o Hapoel Tel Aviv pela Liga dos Campeões na próxima quarta-feira. O atacante argentino é um dos principais destaques do Lyon. Na temporada passado, foi o eleito melhor jogador do Campeonato Francês pelos jogadores e técnicos da competição.

FONTE: Trivela.uol.com.br

domingo, 19 de setembro de 2010

Lyon não joga bem de novo e deixa Bordeaux dominar

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


Time foi ineficaz na frente e errou muito atrás. Derrota amarga e com direito a gol antológico de brasileiro.




Um clássico fechou a 6ª rodada do campeonato francês. O Bordeaux recebeu o Lyon com um estádio abarrotado de torcedores dispostos a empurrar o time e tentar ofuscar a empolgação do OL por ter vencido o Schalke04 no meio da semana. Nos últimos dias antes do duelo, o meia Gourcuff sentiu uma lesão e era dúvida para a partida. Dúvida essa que foi sanada antes do jogo, e o camisa 29 foi pra campo.

Puel, sabendo do poderio ofensivo do adversário, não escalou o time frequente. Resolveu lançar Makoun e jogar com dois volantes. Veja o time inicial:




Tiganá também não ousou. Colocou um time também recuado. O brasileiro Fernando jogava improvisado na zaga, assim como Jussiê de volante. Confira a escalação:




Ao começar o confronto, notava-se que nenhum time procurava se impor, justamente com receio de sofrer um contra-golpe. Exatamente por isso, as jogadas ficavam concentradas no meio-campo, possibilitando poucas jogadas de perigo.

Gourcuff fazia o seu retorno ao Chaban Delmas, mas dessa vez jogando por outro time. O que se via e escutava, era uma sonora vaia, em todos os momentos que ele encostava na bola. Lasers também eram apontados ao jogador, centro das atenções de todos ali presentes no estádio.

A estratégia do Bordeaux era não permitir o toque de bola do OL e pressionava a saída de bola do time de Puel. Em alguns momentos Gourcuff tinha que voltar para buscar o jogo e assim fazer a bola circular, criando uma dificuldade posterior na chegada ao ataque.

Para tentar chegar a meta de Lloris, o GdB tentava surpreender com o avanço de seus volantes. Ora Diarra, ora Jussiê. Os dois únicos chutes a meta do arqueiro do Lyon foram chutes de fora da área dos dois jogadores.

No entanto, o único lance de real perigo na primeira etapa foi do Lyon, aos 30’. O argentino Lisandro recebeu excelente passe em contra-ataque, venceu a defesa na velocidade. Quando ficou cara-a-cara com Carrasso, o atacante colocou com categoria, mas a bola saiu riscando a trave esquerda. Nem o próprio Licha não acreditou no lance que acabara de perder.




No segundo tempo, logo aos 5’, o mesmo Lisandro sentiu uma lesão e pediu para ser substituído. Puel colocou o jovem Pied. Enquanto Jean Tiganá, mais ousado, retirou Ben Khalfallah e mandou o atacante Gouffran para o jogo.

A troca deu certo para o Bordeaux. Minutos após a substituição, Plasil cobrou falta na cabeça de Diarra, que subiu mais alto que Lovren e abriu o placar aos 60’, para delírio dos torcedores no Chaban Delmas.

O gol deu mais ânimo aos Girondinos, que pouco depois da saída de bola, poderia aumentar o marcador. Gouffran saiu em disparada, conseguiu achar Maazou livre. O atacante chutou certeiro, na saída de Lloris. Entretanto o nigeriano estava impedido e o gol foi muito bem invalidado pelo auxiliar.

Necessitando de uma força maior no ataque, Puel colocou Bafé Gomis em campo e retirou Michel Bastos, que vinha fazendo boa partida, enquanto Tiganá resolveu enviar Modeste ao duelo, tirando Maazou, protagonista do gol anulado.

Aos 68’, após dividir uma bola com Wendel, Diakhaté sente uma espécie de tontura e cai de forma esquisita no gramado. Foi atendido ali mesmo. Felizmente foi apenas um susto e o jogador prosseguiu em campo.

Queimando as últimas alteraçãos, Tiganá colocou Ducasse no lugar de Wendel, e Claude Puel apostou em Pjanic. O bósnio substituiu Makoun, que fez uma partida mediana.

Nos últimos dez minutos de jogo, o Bordeaux já tinha o domínio do jogo. A torcida jogava a favor, o time realizava uma bela atuação e Gourcuff, principal nome da noite, era individualista e queria resolver tudo sozinho.

Gomis chegou a acertar o travessão, aos 89’, mas quem realmente ficou marcado na noite foi Jussiê. O ex-cruzeirense marcou um gol antológico! Após Lloris rebater a bola errado, ela sobrou pro atacante, ainda no meio campo. Ele driblou Diakhaté, levou Lovren e cortou Toulalan antes de tocar com categoria no cantinho do goleiro liones.

Um gol para colocar uma placa no estádio. Um gol digno de craque. Um gol para desestabilizar qualquer treinador adversário... e falando de Puel, que já estava na corda bamba, depois de hoje, não se sabe de mais nada do futuro do professor. Jean-Michel Aulas terá uma dor de cabeça imensa durante a semana.

Final de jogo: Bordeaux 2x0 Lyon, fora o show. Próximo adversário: Clássico no Gerland – Lyon x Saint Etienne, que está embalado e mostrando um ótimo futebol. Sábado, dia 25/09, ás 16h, horário de Brasília.

FOTOS: L'Equipe / Le10sport / Yahoo.fr / Football365.fr / aujourdhui-en-france / Football.fr / FranceFootball / olweb.fr

Bordeaux 1-0 Lyon -- Diarra:



Bordeaux 2-0 Lyon -- Jussiê:


Agradecimento especial:
Vinícius Coimbra (embed do vídeo)

sábado, 18 de setembro de 2010

[LIGUE1 – 10/11] 6ª Rodada - Bordeaux x Lyon

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

A vitória do Lyon sobre o Schalke 04 na Liga dos Campeões não foi suficiente para acabar com os problemas franceses, mas ao menos fez Michel Bastos voltar a sorrir. Após uma frustrante Copa do Mundo e o “começo de temporada mais duro” de sua carreira, o ponta-esquerda, autor do gol do triunfo na terça, disse estar se recuperando aos poucos. Mas terá novo desafio neste domingo: o Bordeaux, fora de casa, pela sexta rodada do Campeonato Francês.

– O gol que marquei na terça-feira me ajudou muito e deu a vitória à equipe em sua volta à Liga dos Campeões. Por um lado, estou muito feliz, mas, por outro, gostaria ser mais eficiente. Temos uma equipe que pode chegar à final em qualquer competição, até na Liga dos Campeões. Não podemos passar dois anos sem conquistar um título – afirmou Michel Bastos.

O clássico dos ex-campeões é também o dos desesperados. Com apenas quatro pontos, o Bordeaux ocupa a 17ª colocação, empatado com o Auxerre, a primeira da zona de rebaixamento. O Lyon vem logo acima, com cinco, em 16º. A partida também pode marcar o reencontro do meia Yoann Gourcuff com o ex-clube. O ex-companheiro de Wendell, Jussiê, Fernando e Henrique foi vendido por cerca de R$ 50 milhões.

– Cheguei cansado e não pude descansar durante minhas férias. Comecei a preparação atrasado antes de me machucar. Preciso trabalhar fisicamente. Nunca tive problemas físicos. Sempre subia e descia do ataque para a defesa e vice-versa, mas joguei muito no ano passado – afirmou Michel Bastos.

FONTE: Globoesporte.com



LYON:

GOLEIROS: Hugo LLORIS e Rémy VERCOUTRE;
LATERAIS: Anthony RÉVEILLÈRE, Aly CISSOKHO e Lamine GASSAMA;
ZAGUEIROS: Pape DIAKHATÉ e Dejan LOVREN;
VOLANTES: Jean II MAKOUN, Jérémy TOULALAN e Maxime GONALONS;
MEIAS: Kim KÄLLSTRÖM, Yoann GOURCUFF, Clément GRÉNIER, Michel BASTOS e Miralem PJANIC;
ATACANTES: Bafétimbi GOMIS, Jérémy PIÉD, LISANDRO Lopez e Jimmy BRIAND;
TÉCNICO: Claude PUEL;
DESFALQUES: César DELGADO, CRIS e Honorato EDERSON



BORDEAUX:

GOLEIROS: Cédric CARRASSO e Kevin OLIMPA;
LATERAIS: Mathieu CHALMÉ e Benoît TRÉMOULINAS;
ZAGUEIROS: Michaël CIANI, Vujadin SAVIC e Ludovic SANÉ;
VOLANTES: Alou DIARRA, FERNANDO Menegazzo e Jaroslav PLAŠIL;
MEIAS: WENDEL, Pierre DUCASSE Fahid BEN KHALFALLAH e Floyd AYITÉ;
ATACANTES: JUSSIÊ, Anthony MODESTE, Moussa MAAZOU e Yoan GOUFFRAN;
TÉCNICO: Jean TIGANÁ;
DESFALQUES: Ulrich RAMÉ, Abdoulaye KEITA, HENRIQUE, Marc PLANUS e Cheikh DIABATÉ

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Michel Bastos reconhece que Lyon não foi "brilhante" contra Schalke 04

FOTO: sports.fr

Michel Bastos fez o gol da vitória por 1 a 0 do Lyon sobre o Schalke 04 nesta terça-feira pela Liga dos Campeões. Apesar do triunfo, o meia reconheceu que o time francês não teve uma grande atuação, mas exaltou a boa estreia na fase de grupos do torneio continental.

“Controlamos realmente o jogo. Não marcamos mais gols e não jogamos de forma tão brilhante, mas o mais importante foi vencer. Nesta fase da Liga dos Campeões é necessário somar pontos. Agora, se tudo correr bem, podemos ganhar mais confiança”, afirmou o brasileiro, em entrevista ao site oficial da Uefa.

Michel Bastos, que fez parte da seleção brasileira na Copa do Mundo, afirmou que o gol também serviu para apagar uma falha. No sábado, ele perdeu uma chance incrível durante o empate por 1 a 1 com o Valenciennes pelo Campeonato Francês.

“O erro contra o Valenciennes me marcou. No final da conversa com a equipe, [o técnico] Claude Puel nos mostrou novamente esse lance, e depois disse: 'Hoje, ela vai entrar’”, completou o jogador.

FONTE: UOL

terça-feira, 14 de setembro de 2010

É dado o primeiro passo

Luis Guilherme Domeniche

Lyon espanta os maus resultados do francês e vence seu primeiro desafio na UCL




E começa mais uma Liga dos Campeões da Europa, a competição que nomeia o melhor do continente, um dos títulos mais desejados pelos times europeus, e que a França só foi conquistado uma única vez, pelo Olympique de Marseille.

O Lyon, porém, nos últimos anos despontou como um dos melhores times franceses, e tem a UCL como seu grande objetivo a ser conquistado. Depois do ano passado, quando chegaram pela primeira vez as semi-finais, indo contra todas as previsões, parece que finalmente Juninho ficou para trás, e o Lyon começa a andar renovado e com identidade própria.

E hoje, no Gerland, o Olympique Lyonnais começou dando seu primeiro passo para a conquista da Liga dos Campeões, o primeiro passo para tentar superar a campanha do ano passado. Além disso, tanto Lyon, quanto o Schalke estão péssimos em seus respectivos campeonatos nacionais, era uma chance para fazer as pazes com a vitória.

O estádio estava abarrotado de torcedores do Lyon, os "Bad Gones", cantavam, estendiam faixas e chacoalhavam bandeiras, era um verdadeiro caldeirão, disposto a "cozinhar" o Schalke 04, para começar a temporada europeia com o pé direito, e em casa!

Os times entraram em campo. Pelo Schalke, brilhava o veterano Raúl que esbanjava certa tranquilidade. No Lyon, quase todos os mesmo rostos da heróica temporada passada estavam lá, o grande desfalque era o capitão Cris, e o lateral esquerdo Cissokho. As novidades eram as contratações desse ano: Pape Diakhaté, Jimmy Briand e Yoann Gourcuff. Todos começando no time titular. Kolodziejczak supria a lateral esquerda, e Lovren preenchia a zaga.

Começa o jogo. Inicialmente muito pegado. Algumas vezes até violento em demasia, mas muito equilibrado. A bola rolava muito no meio de campo, mas nada de muito concreto, até os 11', quando Kolodziejczak, visivelmente nervoso, erra feio e entrega a bola de presente para o adversário Jones 04 chegar livre pelo lado esquerdo e despejar um chute venenoso, que foi milagrosamente espalmado por Hugo Lloris, salvando o time mais uma vez, e jogando a bola para escanteio. Na cobrança, o mesmo Jones cabeceia bem e novamente quase marca, mas desta vez foi para fora.

O jogo seguia bem equilibrado, com boas chances para ambos os lados, até que novamente aos 15', Kolodziejczak erra novamente. Farfán chega bem e chuta rasteiro para o gol, forçando Lloris se esticar de maneira incrível para evitar mais uma vez o que seria um gol na certa. A resposta veio rápido. Aos 20’, em jogada de contra ataque Michel Bastos demonstrou toda sua raça. O brasileiro antecipou o goleiro Neuer, e na hora de completar uma jogada confusa, os se chocou com o zagueiro Howedes, mas a bola acabara dentro do gol (há quem diga que o gol foi contra, mas a UEFA anotou para o Michel Bastos). Um gol confuso, mas com pitacos de golaço, e o placar se abre no Gerland, 1 a 0 para o Lyon.



Moritz aos 23', tenta dar fôlego a equipe alemã em boa jogada individual, mas acaba barrado pela dupla Pape Diakhaté e o criticado Lovren, que fez uma bela partida. O Schalke 04 continuaria lutando por mais cinco minutos, mas aos 28', suas esperanças vão embora, Briand recebe de Gourcuff e fica em ótima posição para marcar, mas Howedes, de novo ele, entra violentamente no atacante. Resultado? Uma justa expulsão. A partir desse momento, até o final do primeiro tempo, o jogo ainda continuava relativamente equilibrado, mas o Lyon já dava pequenos sinais de domínio.

Começa o segundo tempo, e esses 45 minutos finais foram definitivamente os momentos mais notáveis para o Lyon, que voltou forte e confiante. Já o Schalke 04 voltou fraco, acanhado, e claro, com um a menos em campo.

Aproveitando da situação, o OL só não ampliou o placar devido a uma mistura de raça da defesa adversária, principalmente o goleiro Neuer, e muito azar do ataque francês, que pecava nas finalizações. Um exemplo foi aos 61’, quando Lisandro recebeu passe de Gourcuff, driblou a defesa e levou perigo ao Schalke. Foi parado pela zaga alemã. Depois aos 65’, novamente Lisandro errou por pouco. E aos 68’, o lance mais polêmico do jogo. O argentino recebeu uma ótima bola, ficou cara-a-cara com Neuer, e quando se preparava pra arrematar, o auxiliar marcou impedimento de forma errada. Licha não estava nem um pouco impedido. Três jogadores alemães davam condições ao atacante do Lyon, que apenas lamentou o equívoco da arbitragem

O jogo prosseguiu com o OL pressionando. Parecia mais um treino, do que uma partida de nível internacional. Prova disso, foi aos 70’, quando Gourcuff cobrou falta no travessão, e aos 77’, Pjanic também em cobrança de tiro livre, fez a bola desviar em Toulalan e quase entrar, se não fosse o arqueiro do S04. Em seguida, na cobrança de scanteio, o mesmo Toulalan não soube aproveitar a oportunidade que teve de ampliar o marcador.

Antes do apito final, Kolodziejczak teve boa chance para se livrar da partida ruim que realizou, mas assim como os atacantes, o lateral também desperdiçou. Mas para a alegria do Stade de Gerland, mesmo com um placar curto, o Lyon conseguiu levar o mais importante: A vitória. O saldo de gols, nesse caso, ficou em segundo plano.

No mais, temos que enfatizar as confusas escolhas de Puel, ao colocar o jovem Pied no lugar de Michel Bastos que fazia boa partida. Não era o dia, a hora e nem a competição para fazer testes. De negativo, fica marcado a atuação de Kolodziejczak. Jogou mal, inseguro e ainda não está pronto para a UCL. De positivo, alguns jogadores brilharam tanto individualmente quanto coletivamente: A dupla Diakhaté e Lovren. Lisandro, Bastos, Lloris e Toulalan, esse último parece que reencontrou o seu futebol na sua posição de origem.

Próximo adversário: 6ª Rodada da Ligue1. O adversário é o Bordeaux, fora de casa. Dia 19/09 – Domingo, às 16h de Brasília.

FOTOS: olweb.fr


COMPACTO DE LYON 1-0 SCHALKE04

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

[UCL – 10/11] Grupo B - Lyon x Schalke04

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

Sem viverem um bom momento em seus campeonato locais, Lyon e Schalke 04 se enfrentam, nesta terça-feira, às 15h45 (de Brasília), na estreia dos clubes na temporada 2010/11 da Liga dos Campeões da Europa. Para voltar a vencer, o clube alemão confia em Raul, sua principal contratação. Do outro lado, os franceses - com cinco pontos em cinco jogos -, bonham repetir a brilhante parcicipação da última Champions, quando, surpreendentemente, participou das semifinais.

O técnico do Lyon confia no talento de Gourcuff, contratado junto ao Bordeaux, e no oportunismo do argentino Lisandro López para conseguir a vitória dentro de seus domínios. Na temporada passada, a equipe surpreendeu o Real Madrid e avançou para as semifinais da principal competição do futebol da Europa. Com este pensamento, os franceses pretendem, no mínimo, repetir a façanha.

No time do Schalke 04, que perdeu a tercera partida seguida no Alemão e segue zerado, Raul, ex-Real Madrid, é a grande aposta. Porém, a equipe, treinada por Felix Magath, também conta em seu elenco com jogadores como Huntelaar, ex-Milan, e Farfan, ex-Atlético Madrid. Porém, os alemães não contarão com o zagueiro Christoph Metzelder, lesionado na virilha.

FONTE: Lancenet



LYON:

GOLEIROS: Hugo LLORIS e Rémy VERCOUTRE;
LATERAIS: Anthony RÉVEILLÈRE, Timothée KOLODZIEJCZAK e Lamine GASSAMA;
ZAGUEIROS: Pape DIAKHATÉ e Dejan LOVREN;
VOLANTES: Jean II MAKOUN, Jérémy TOULALAN e Maxime GONALONS;
MEIAS: Kim KÄLLSTRÖM, Yoann GOURCUFF, Michel BASTOS e Miralem PJANIC;
ATACANTES: Bafétimbi GOMIS, Alexandre LACAZETTE, Jérémy PIÉD, LISANDRO Lopez e Jimmy BRIAND;
TÉCNICO: Claude PUEL;
DESFALQUES: César DELGADO, Aly CISSOKHO, CRIS e Honorato EDERSON



SCHALKE 04:

Informações não-confirmadas
GOLEIROS: Manuel NEUER e Mathias SCHOBER;
LATERAIS: Atsuto UCHIDA, Hans SARPEI e Joel MATIP;
ZAGUEIROS: Benedikt HÖWEDES, Nicolas PLESTAN e Kyriakos PAPADOPOULOS;
VOLANTES: Jermaine JONES, Christoph MORITZ, Christoph MORITZ, Alexander BAUMJOHANN;
MEIAS: Ivan RAKITIĆ, Jefferson FARFÁN, Ciprian DEAC, José Manuel JURADO, Hao JUNMIN e Peer KLUGE;
ATACANTES: RAÚL González, Klaas-Jan HUNTELAAR, EDÚ e Erik JENDRISEK;
TÉCNICO: Felix MAGATH;
DESFALQUES: Tim HOOGLAND, Mario GAVRANOVIĆ, Levan KENIA, Christoph METZELDER e Christian PANDER

sábado, 11 de setembro de 2010

Crise?

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi




Melhor em campo, o Lyon mostrou força, mas errou quando não deveria errar. Resultado? Empate com sabor de derrota.

Depois de uma semana sem a bola rolar nos gramados franceses, devido aos jogos da seleção principal, enfim, neste fim de semana, a 5ª rodada da Ligue1 voltou à ativa. Para o Lyon era a partida ideal. Talvez esse período sem bola, pode ter sido o tempo ideal para refletir e arrumar os defeitos das primeiras rodadas.

Gourcuff poderia jogar sem o peso da estreia, Diakhaté, esse sim, estreava, enquanto Toulalan voltava ao meio campo. Lisandro pela primeira vez na temporada começava de titular depois de uma séria lesão. No banco, Michel Bastos, também recuperado, esperava a chance de entrar durante o jogo. Veja o time inicial de Claude Puel:




Por outro lado, o Valenciennes, até então o nono colocado na tabela, tinha certa tranquilidade pra visitar o OL. O único problema do técnico Philippe Montanier era não poder contar com várias peças do seu elenco. Ao todo eram 9 desfalques. Veja a formação do VAFC:




Com o Gerland abarrotado de torcedores, o Lyon começou empolgado e realmente disposto a apagar esse início trágico de temporada, enquanto o Valenciennes parecia assustado e perdido em campo.

Até os primeiros minutos mostrava um problema nos dois times: A armação. Gourcuff estava muito bem marcado pelo Lyon e o VAFC apostava nos pontas para atacar. No entanto, Réveillère e Kolodziejczak estavam concentrados na marcação e faziam um excelente primeiro tempo.

Com Lisandro e Briand se movimentando mais, a marcação adversária se dispersou. Era o que Gourcuff precisava para trabalhar, mas ainda assim encontrava dificuldades para penetrar na defesa.




O placar foi aberto aos 26’. O volante Gomis, do Valenciennes, saiu errado. Yoann Gourcuff aproveitou a oportunidade e descobriu Briand passando pela direita. O francês cruzou na área e Pied completou de cabeça. Uma jogada rápida, aproveitando o erro do adversário.

Com a vantagem no placar, Lyon adquiriu mais confiança e conseguia explorar mais as jogadas no ataque. O VAFC atrás no placar procurava atacar um pouco mais, mas era ineficaz. A melhor oportunidade parou nas mãos de Lloris, sem muito susto.

O primeiro tempo foi impecável para o OL. Não fez muitos gols, mas sou jogar com precisão. Os zagueiros com o tempo certo da bola. Os laterais corretíssimos. Toulalan e Gonalons jogando o que sabem.

No segundo tempo o panorama se manteve mas com duas ressalvas: O Lyon tentava trabalhar com mais calma o seu ataque e o Valenciennes estava mais desesperado para chegar a meta de Lloris.

Com 8’ da segunda etapa, o Lyon quase ampliou. Jogada individual de Gourcuff, que penetrou com rapideza na área do Valenciennes, cercado de marcadores, e chutou com precisão. Penneteau fez uma ótima defesa.

Com 18’, Puel faz sua primeira alteração. Colocou Michel Bastos, que voltava de lesão, no lugar de Lisandro, provavelmente cansado. Uma alteração no mínimo curiosa, pois dessa forma o Lyon não teria nenhum atacante de área. Briand poderia até fazer a função, mas não tem a mesma qualidade.



Aproveitando o recuo diferente do Lyon, o Valenciennes conseguiu igualar o marcador. Após cobrança de escanteio, Lovren e Gonalons falharam no momento de cabecear, permitindo a penetração do lateral Bong. Um empate não merecido, mas encomendado por Puel.

Após a lambança na substituição e do gol tomado, Puel colocou Gomis no lugar de Briand, voltando com a formação original. Como já era de se esperar, o OL voltou a dominar. Gourcuff voltou a ter mobilidade, mas o gol ainda era difícil de se encontrar. Faltando 10’, Puel colocou Pjanic no lugar de Gonalons, na tentativa de não sair com o ingrato empate.

Já no desespero, o Lyon tentava jogar na base do abafa e explorando os passes longos e lançamentos que percorriam todo o campo. Obviamente não deram certos.

Um jogo em que o Lyon tinha de tudo pra se reerguer, saiu com um amargo empate. Culpa mais uma vez das decisões erradas de Puel, e dessa vez, uma mãozinha do azar. A partida era do Lyon, mas errou quando não devia. Enquanto isso, a crise tende a aumentar.

FOTOS: olweb.fr