domingo, 30 de novembro de 2014

E caiu o tabu de mais de 20 anos!

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


Finalmente, Saint-Étienne vence o Lyon dentro do Geoffroy-Guichard, quebra um jejum de duas décadas e encosta no rival na tabela do Francesão




20 anos de tabu! A última vez que o Saint-Étienne venceu o Lyon dentro de seus domínios foi em 06 de abril de 1994. Essas duas décadas de jejum estavam em voga na partida de hoje, além, é claro, da luta pela parte de cima da tabela do Campeonato Francês. O clássico no Geoffroy-Guichard colocavam dois rivais frente a frente em uma partida que colocava em prova muito mais do que 22 jogadores em campo. A rivalidade, as circunstâncias, o tabu e os torcedores faziam do Derby du Rhône algo muito mais especial do que uma partida comum. Hoje, Saint-Étienne x Lyon já pode ser considerado um dos maiores clássicos do futebol mundial.

Chrsitophe Galtier tinha em mãos boa parte do seu time. As ausências ficavam por conta do experiente Mevlut Erding, do jovem Allan Saint-Maximin e do ex-lionês François Clerc. Por outro lado, já poderia contar com o retorno de Franck Tabanou, que vem jogando na lateral esquerda esta temporada. Para enfrentar o OL, o ASSe entrou em campo com uma formação que, na teoria, mostrava-se bastante defensiva: um 3-5-2. Contudo, com essa aplicação tática, ele poderia liberar seus dois laterais sem ter muita obrigação de marcação. E esse poderia ser o diferencial para bater o bom meio de campo adversário. Veja como ficou montado o time:




Já podendo contar com o retorno de Nabil Fekir, que estava suspenso na última partida, Hubert Fournier tinha em mãos o time titular que fez ótimas partidas neste mês e em outubro. O 4-4-2 com jogadores do meio de campo que sabem marcar e sair pro jogo é a tônica que diferencia o OL dos demais times da Ligue1. Principalmente quando fala-se em Ferri e Tolisso. Eles conseguem deixar Gonalons na marcação e flutuam facilmente em todos os setores do meio. Hoje, Malbranque era o responsável pela articulação do time, uma vez que Gourcuff e Grenier não retornaram de lesão ainda. Fekir, de novo, ganhava uma chance no ataque, formando dupla com o artilheiro Lacazette. Bisevac, que era dúvida durante a semana, entrava entre os titulares. Confira a o time titular do OL:




Com a bola rolando, foi o Lyon quem assustava os torcedores presentes no estádio. Por jogar um futebol mais vistoso ultimamente, o time de Fournier começou com um gol anulado logo nos primeiros minutos. E com razão! Lacazette encostou a mão na bola em cobrança de falta levantada na área por Fekir. Mas não foi somente este lance que incomodou Ruffier no começo do jogo. Em duas outras oportunidades, ainda antes dos 15’ iniciais, o OL teve a chance de abrir o placar.


O ASSE demorou a entrar no jogo. Mas quando o fez, conseguiu ser mais prático e chegar com mais aplicação e objetividade. A primeira grande oportunidade veio com Van Wolfswinkel. O centroavante recebeu passe cruzado e finalizou de forma esquisita. Ainda assim, a bola passou a esquerda do gol de Anthony Lopes, que já parecia estar batido no lance. A jogada era só um alerta do que vinha por aí.

Aos 18’, o ASSE teve uma cobrança de escanteio a seu favor. Max-Alain Gradel cobrou e o zagueiro Bayal Sall subiu mais alto que todo mundo, inclusive o goleiro Anthony Lopes. O tiro de cabeça afundou as redes e colocou o estádio Geoffroy-Guichard abaixo. Euforia nas arquibancadas e o St.Étienne na frente no placar. Sinal de que a formação tática inicial de Gaultier parecia ser realmente eficiente para a ocasião, mesmo o gol saindo em bola parada.


A resposta do Lyon quase veio em forma de gol. Com a desvantagem no placar, o time visitante foi pra cima em busca do empate. Primeiramente, em bola parada levantada por Fekir. Logo depois, o mesmo Fekir teve a oportunidade de ouro de marcar, quando em um rebote, ficou frente a frente com Ruffier e decidiu finalizar rasteiro. O terceiro goleiro da Seleção Francesa fez uma defesa milagrosa com o joelho esquerdo, evitando o empate.

Quando o Lyon parecia querer ir em busca do gol de empate e, de fato, estava melhor na partida, o ASSE chegou com o segundo banho de água fria: o segundo gol da partida! Em apagão da defesa dos Gones, Max-Alain Gradel apareceu com muita velocidade pela esquerda e sem nenhuma marcação. Avançou por dentro da área e só esperou a passagem de Van Wolfswinkel para concluir. Umtiti tentou interceptar o lance mas já estava sem recursos. 2 a 0 no placar e torcedores ainda mais eufóricos!


O segundo gol fez o Lyon abaixar seu ânimo e ir para o intervalo sem qualquer reação em busca do empate. Contudo, na volta do intervalo, o OL voltou com força total. Com menos de 1’ da etapa final, Lacazette disparou em arrancada, passou por quem quis da defesa adversária e arrematou com força... mas sem direção. Era a chance de diminuir a vantagem do ASSE e ele desperdiçou por falta de pontaria no momento.

Sem deixar seu poder de mandrião de lado, o ASSE provava que não estava dormindo no jogo e respondeu em menos de três minutos. Em lance de bola parada, Max Gradel levantou na área e Loïc Perrin subiu mais alto que todos os defensores do Lyon. No cabeceamento, ele mandou a bola no travessão de Anto Lopes, que se esticou por inteiro e ainda assim não conseguiu alcançar a bola do defensor dos Verts. Por pouco não saia o 3º do ASSE no jogo.


Antes dos 10’ do segundo tempo, o St.Étienne estava mais próximo do terceiro gol do que o Lyon do seu primeiro. Tabanou quase marcou se não fosse intervenção providencial de Anthony Lopes, saindo aos pés do lateral. Naquele momento do jogo, os dois times também faziam suas primeiras alterações. No ASSE, entrava Diomandé no lugar de Clément, que parece ter sentido algo. No OL, era N’Jie quem entrava para saída de Malbranque. O meio ficava para Fekir e o camaronês fazia a dupla de ataque com Lacazette.

A opção de Fournier não deu muito certo e o ASSE continuava mandando no jogo. Agora não mais somente pela superioridade dentro de campo, mas também pela força de sua torcida e o ânimo que atingiu dentro de campo. O jovem time do OL se enervava e não tinha a sabedoria e experiência suficiente para sair de uma situação tão incomoda que o próprio time criou na partida. A saída de Malbranque só dificultou ainda mais a ordenação cerebral do time. Naquele momento do jogo, Fournier já havia feito uma troca: Ghezzal no lugar de Ferri. Galtier também colocou Monnet-Paquet no lugar de Van Wolfswinkel.


A troca do treinador do ASSE surtiu mais efeito. O time só reiterava que estava melhor psicologicamente e futebolisticamente dentro de campo. A prova veio quando o jovem Tolisso tentou sair jogando dentro da sua própria área e furou o chute. A bola sobrou para Cohade que só teve o trabalho de carrega-la por alguns passos antes de fazer o terceiro do ASSE no jogo. Virou goleada!


Com as últimas alterações realizadas (Mvuemba no lugar de Tolisso e Brison por Tabanou) a partida mantinha-se no mesmo panorama. A torcida empurrava o time da casa e o Lyon sofria para chegar ao ataque. Fekir era o jogador mais lúcido do Lyon e conseguiu, inclusive, um pênalti para o seu time, que Lacazette desperdiçou finalizando para fora. Definitivamente, não era noite para o Lyon no Geoffroy-Guichard.


Por fim, mesmo ao som de “olé”, entoados pelos entusiasmados torcedores verdes, Lacazette quase conseguiu diminuir a vantagem, cabeceando uma bola na trave do já batido Ruffier. Ainda assim, mesmo com o advento de três minutos de acréscimos, o OL não conseguiu nem chegar perto de se igualar ao que o St.Étienne foi dentro de campo hoje. Uma verdadeira aula de superioridade. Para lavar a alma do tabu quebrado. Agora, o ASSE está somente a um ponto do OL na tabela e visa, assim como todos os outros concorrentes, os primeiros colocados da Ligue1. Disputa boa.

O Lyon volta aos campos na quinta-feira, dia 04 de dezembro para enfrentar ex-time do treinador Fournier: o Reims! O jogo é válido pela 16ª rodada da Ligue1 e será no mesmo horário do clássico, às 18h de Brasília. O Lyon ainda quer continuar no topo da tabela e enfrentará o adversário dentro de sua casa, no Stade Gerland. Até lá!

FOTOS: asse.fr || L'Equipe || olweb.fr


GOLS DA PARTIDA:
video


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

[LIGUE1 14/15] 15ª rodada - Saint-Étienne x Lyon

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

O Derby du Rhône é a atração que encerra a 15ª rodada da Ligue 1. Às 18h (de Brasília), o Saint-Étienne recebe o Lyon, no Stade Geoffroy-Guichard, neste domingo (30), buscando quebrar um tabu: há mais de 20 anos, o Sainté não vence o Lyon em casa. A partida é confronto direto da parte de cima da tabela. Caso vença, os verts se aproximarão do rival e até subir três posições, enquanto os gones não querem se distanciar dos líderes.

O clássico é considerado por muitos o maior da França. Reúne 17 títulos em campo, além disso, as cidades são muito próximas, 60 quilômetros. Os verts são vistos como um time popular, já o OL, como burguês. A primeira partida foi em 28 de outubro de 1951, onde o Lyon venceu por 4 a 2. O último aconteceu em 30 de março, onde o Saint-Étienne encerrou um jejum de sete jogos, triunfando por 2 a 1, fora de casa.

Ao todo aconteceram 108 encontros entre os verdes e os azuis, válidos por todas as competições. O Lyon venceu 37 vezes, o ASSE 40 e ocorreram 31 empates. Cem desses duelos foram pelo Campeonato Francês, onde o Sainté também leva vantagem. Pela Coupe de France, os gones venceram três vezes, perderam uma, além de um empate. No total de gols: 144 contra 122 para o Saint-Éteinne.

Para quebrar escrita, os verts devem superar maratona de jogos

O Saint-Étienne vem de cinco empates seguidos, dados de todas as competições. O clube se encontra na sétima posição, com 23 pontos. Caso vença, ficará apenas um ponto atrás do rival e dependendo do resultado do Bordeaux, até assumindo a quarta posição, que dá vaga para a Uefa Europa League. Competição esta que o clube não vai muito bem, pois empataram todas as cinco partidas disputadas e está na terceira posição, necessita da vitória na última rodada. Para essa partida importante, Galtier não contará com Saint-Maximin e Erdinç.

Essa será a terceira partida em menos de uma semana. Christophe Galtier comentou sobre essa sequência, para ele o risco são as lesões: “Os meus jogadores estão bem. A sequência de jogos nos permite estar no ritmo. O risco são as lesões. Quando há essas sequências, a fadiga é muitas vezes relacionada com resultados ruins. Não é o nosso caso. Nossos resultados certamente não são mágicos, mas eles não são ruins.”

Para o técnico, o Lyon é o favorito do jogo, pois está nas primeiras colocações: “Lyon é o favorito nesse jogo dada a sua dinâmica atual, a sua eficiência ofensiva e calendário, pois eles não jogaram no meio da semana. Dito isso, estamos confiantes. Conseguimos ter sucesso em grandes jogos no campeonato depois de nossos encontros pela competição europeia.”

Max-Alain Gradel comentou sobre o derby ser o jogo do ano, falou sobre o que representa e a sensação de jogar contra o OL: “É necessariamente para os fãs. Para nós jogadores é um jogo importante, mas temos que jogar cada partida, sendo derby ou não. Ainda é uma partida especial, um encontro separado. Nós jogamos para a família, os fãs, a história do clube que representamos. Quando você joga um derby, você joga um pouco diferente.”

A última vitória do Saint-Étienne foi em 6 de abril de 1994, 3 a 0. De lá para cá, apenas derrotas e empates no Stade Geoffroy-Guichard. Muito se deu ao bom time do Lyon nos anos 2000. De 1994 para cá, o ASSE venceu apenas duas vezes: em 2010, 1 a 0 pela Ligue 1, gol de Payet e 2 a 1 no último encontro deles, tento de Gradel.

Tentando manter diferença para os líderes, OL tem que superar seu rival mais uma vez

Quatro pontos separam os dois clubes, uma vitória de cada lado pode mudar os rumos da equipe na competição, principalmente do Lyon. Olympique de Marseille e Paris Saint-Germain se consolidaram como favoritos. Algum outro time conseguirá acompanhar o ritmo? Caso vença, os gones manterão a diferença em três pontos, caso tropecem, a desvantagem ficará na casa dos cinco ou seis pontos. Além de deixar seu rival encostar.

Na conferência pré-jogo, o treinador Hubert Fournier conversou com a imprensa. O favoritismo foi novamente pautado: “É difícil citar um favorito neste tipo de jogo. O favorito será a equipe que começar melhor, com mais intensidade. Nós não podemos jogar a partida antes de começar. Vamos jogar o nosso próprio jogo, não importa o que o Saint-Etienne irá fazer.”

Sobre a pressão que existe diante do Saint-Étienne, pelo tabu, sequência de jogos e necessidade do resultado, ele comentou: “Eu acho que sim. Os Verts estão jogando em casa. Eles têm lutado recentemente para conseguir uma boa vitória. Eles são obrigados a obter um resultado. Se vencermos eles ficarão sete pontos atrás de nós. Essa é uma boa diferença de tamanho.”

Perguntado se o seu time depende muito de Lacazette e Fekir, Fournier tentou contornar, mas admitiu que são importantes para o Lyon: “Eles estão jogando bem e são importantes para nós. Combinam bem juntos, eles têm uma abordagem semelhante em seu movimento e visão, que se entendem. Eles criam chances de perigo para si mesmos e para os outros.”

O Lyon está há dez jogos invictos, não perde desde agosto, quando sucumbiu diante do Metz (2 a 1, fora de casa). O time folgou no meio de semana, já que não disputa mais a Europa League [foi eliminado na fase preliminar]. Milan Bisevac lesionou-se no treino, Clement Grenier vai perder o jogo, enquanto Yoann Gourcuff também está fora, assim como Fofana.

TEXTO: Vavel Brasil

O jogo acontece neste domingo, às 18h do horário de verão de Brasília. Nenhuma emissora de TV no Brasil irá transmitir o jogo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, Mouhamadou DABO, Henri BEDIMO e Corentin TOLISSO;
ZAGUEIROS: Milan BIŠEVAC, Samuel UMTITI e Bakary KONÉ;
VOLANTES: Arnold MVUEMBA, Jordan FERRI e Maxime GONALONS;
MEIAS: Nabil FEKIR, Rachid GHEZZAL e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Clinton N'JIE, Mohamed YATTARA, Yassine BENZIA e Alexandre LACAZETTE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Lindsay ROSE, Gueïda FOFANA, Yoann GOURCUFF e Clément GRENIER


SAINT-ÉTIENNE:

GOLEIROSStéphane RUFFIER, Jessy MOULIN e Baptiste VALETTE;
LATERAIS: Franck TABANOU, Paul BAYSSE e Jonathan BRISON;
ZAGUEIROS: Loïc PERRIN, Moustapha BAYAL SALL, Kévin THÉOPHILE-CATHERINE e Florentin POGBA;
VOLANTES: Fabien LEMOINE, Jérémy CLÉMENT e Ismaël DIOMANDÉ;
MEIAS: Renaud COHADE, Benjamin CORGNET, Romain HAMOUMA e Yohan MOLLO;
ATACANTES: Max-Alain GRADEL, Ricky VAN WOLFSWINKEL e Kévin MONNET-PAQUET;
TÉCNICO: Christophe GALTIER;
DESFALQUES: François CLERC, Allan SAINT-MAXIMIN e Mevlut ERDING


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

sábado, 22 de novembro de 2014

Lyon interrompe série de vitórias, mas já acumula dez jogos seguidos sem perder

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


Em empate contra o Bastia, time sentiu muito no setor de criação e quase se complica em jogo de baixa qualidade técnica




Depois de ganhar uma “folga” de uma semana, o Lyon voltou aos trabalhos neste sábado (22/11). O adversário era o Bastia, que tinha a missão de quebrar os nove jogos consecutivos do Lyon sem perder. A tarefa era complicada, mas o fator casa pode ajudar o time, assim como fez na vitória por 2 a 0 sobre o Montpellier na rodada passada. O OL, por sua vez, se conseguisse mais uma vitória, poderia assumir a segunda colocação – mesmo que provisoriamente. Para tomar o posto de vez, precisaria torcer por uma derrota do Olympique de Marseille, no domingo, contra o Bordeaux.

Dentro de campo, o Bastia não tinha grandes novidades. As ausências ficavam por conta de dois lesionados: Ba e Mokulu, além do suspenso Brandão. A grande diferença mesmo ficava no banco de reservas. E não estamos falando de algum jogador suplente. Na verdade, o Bastia despediu recentemente o treinador que havia começado a temporada a frente do grupo, o ex-volante Claude Makélélé. Dessa maneira, o comando do time estava sob a batuta do interino Ghislain Printant, que conseguiu dar a vitória ao seu elenco no jogo contra o MHSC na 13ª rodada. Abaixo, você pode ver como ficou escalado o time de Printant:




A semana do Lyon foi em tom de comemoração. Isso se deve ao fato do departamento médico do clube ter esvaziado. Apenas Fofana se cura de uma lesão grave. O resto dos jogadores estão treinando – mesmo que um treino leve. Para o jogo de hoje, havia a esperança de poder contar com Gourcuff e Grenier, contudo o segundo ainda não conseguiu pegar o ritmo dos treinos e o primeiro, apesar de ter sido relacionado, foi cortado do banco de reservas alegando se poupar para o clássico contra o St.Étienne na semana que vem. Sem poder contar com Fekir, suspenso, o OL entrou em campo sem seus três principais meias de ligação. Dessa maneira, Malbranque se encarregou de ser o homem a fazer este papel. Fournier colocou três volantes para dar esta sustentação ao belga. Outro destaque ficava por conta de Ferri, que se recuperou de lesão e integrava o banco de reservas. Abaixo, veja a formação do OL para o jogo:




Com a bola rolando no Stade Armand Cesari, o que parecia ser um jogo que ficaria bastante agarrado no meio de campo, acabou surpreendendo. Apesar do congestionamento no setor, as duas equipes jogavam com muita velocidade e abriam muito seus espaços. Nos primeiros vinte minutos, tanto o Lyon quanto o Bastia conseguiam chegar com certa facilidade nas metas adversárias. Contudo, o gol era questão de capricho... ou a falta dele! Muito em função disso, no começo do jogo, nenhuma ótima chance de gol foi criada.


Pelo lado do OL, um jogador ganhava certa liberdade exagerada dentro de campo: Henri Bedimo. O lateral conseguia carregar a bola da lateral, no seu campo de defesa, e avançar em diagonal até conseguir penetrar pela entrada da área. Erro de marcação do Bastia que poderia ser fatal, haja visto a qualidade de criação e de passe que o camaronês possui. E foi através dos pés dele que o Lyon criou sua primeira grande chance, aos 24’. Ele conseguiu ter espaço para dominar a bola, olhar pra área e levantar para Tolisso chegar de cabeça e, por centímetros não acertar a bola. Ele já estava de frente pro gol.

A resposta do Bastia veio cinco minutos depois, com Kamano. O atacante do SCB carregou a bola do meio de campo e foi avançando em velocidade exponencial. Não se deu conta de Umtiti e passou do zagueiro como quis. Na hora de entrar na área, conseguiu fazer o chute, mas de última hora foi travado por Bisevac, que fazia a cobertura e chegou na hora exata para evitar a abertura do placar.


De maneira não muito evidente, o Lyon era um pouco melhor que o Bastia na partida. Conseguia tocar a bola com muita facilidade e extrema velocidade. Mas faltava eficácia. As vezes a posse de bola era fantasiosa, com toques pra trás, pouco envolvente e que não tinha quase nenhum propósito. Quando resolvia “jogar pra frente”, a situação não se desenvolvia justamente pela falta de criação que o time sofria no jogo de hoje. Definitivamente, Fekir (ou Gourcuff ou Grenier) faziam falta.

Fournier tinha até como resolver essa situação com rapidez. A primeira opção era dar mais liberdade a Mvuemba. Desprender ele um pouco da marcação e fazer com que ele encostasse um pouco mais em Malbranque. A segunda opção era fazendo uma troca. Colocando Ghezzal em campo para auxiliar um pouco na parte técnica. A última, era um pouco mais ousada, mas que na circunstância do jogo poderia dar certo: liberar Bedimo a penetrar pelo meio e deixar Tolisso fazendo a sobra, já que ele é lateral de origem. De qualquer maneira, Fournier foi para o intervalo sem mudar sua formação tática.


No segundo tempo, os times voltaram sem quaisquer alterações. O jogo só havia recomeçado de maneira um pouco mais violenta. Nos primeiros minutos, Bisevac e Squillaci já haviam recebido cartão amarelo. O zagueiro do Bastia, inclusive, foi punido depois de derrubara Lacazette na entrada da área e permitir uma cobrança de falta perigosíssima para o Lyon. Umtiti cobrou de maneira quase perfeita, tirando tinta da trave de Aréola.


Perto dos 15’ da etapa final, o Bastia fez a primeira alteração da partida. Quase um “seis por meia dúzia”. Fôlego novo no time: Ayité entrou no lugar de Kamano. A troca surtiu efeito minutos depois. Em contra-ataque do time da casa, o próprio Ayité recebeu em velocidade, avançou, entrou na área quase sem marcação e chutou no ângulo. Anthony Lopes, goleiro do Lyon, foi buscar e fez uma defesa cinematográfica!


Melhor em campo, o Bastia parecia mais próximo do gol do que o OL. Para evitar percalços na sua defesa, Printant tirou o exausto Squillaci e deu fôlego novo ao setor, colocando Romaric. Em tempo, o Lyon também trocava, colocando Mohamed Yattara no lugar de Clinton N’Jie, que até tentou fazer algo na partida, mas foi muito bem marcado pelos defensores córsegos. Ainda assim, não era a troca que os Gones precisavam. O setor de criação era quem estava carente.

Faltando um pouco menos de dez minutos para o fim de jogo, Printant fez sua última troca, colocando Maboulou no lugar de Ongenda. Saiu um atacante por outro. Mas Ongenda não tinha feito um bom jogo e a ideia era buscar a vitória. O SCB apertava muito o OL e era totalmente plausível um gol nos últimos minutos. Enquanto isso, o Lyon precisando de força ofensiva, Fournier colocou um outro volante. Ferri no lugar de Mvuemba. Não surtiria muito efeito. Aos 85’, ele tiraria o melhor em campo, Alexandre Lacazette, para colocar Yassine Benzia.


Como já era de se esperar, mesmo com as duas últimas trocas, o Lyon não melhorou em campo. Muito pelo contrário. Taticamente, o Bastia era superior naquele momento da partida e fazia valer o seu mando. Pressionava, atacava, empurrava! Mas ainda assim falta o fator qualidade para poder surpreender o OL e marcar o único gol da partida. Lopes não trabalhou muito, é verdade, mas o segundo tempo, definitivamente, teve um dono e foi o Bastia.

Perto do fim do jogo, o Lyon ainda teve uma última chance, muito em função de uma falha na saída de bola de Aréola do que méritos da criação do time. Em bola alçada na área, o goleiro saiu errado e Benzia, sem sair do chão, conseguiu cabecear e tirar o arqueiro da jogada. A bola sobrou para Bisevac, no segundo pau, que tentou dar prosseguimento ao lance, mas acabou errando o passe e acabando com a jogada.


Por fim, nem o Bastia nem o Lyon conseguiram seus objetivos. O zero no placar foi justo pelo futebol apresentado e pela deficiência exposta de ambos os grupos. O Lyon, definitivamente não pode ficar sem um dos seus três jogadores de criação. Ainda mais em um jogo onde Malbranque esteve bastante apagado. Agora é torcer para o empate entre Marseille e Bordeaux para que nem o Marseille avance na tabela e nem o Bordeaux encoste no Lyon.

Ainda lá em cima, o Lyon agora se foca totalmente no clássico contra o Saint-Étienne, no próximo domingo, dia 30/11, às 19h. O jogo é válido pela 15ª rodada da Ligue1 e pode colocar o Lyon de vez na briga e afastar o ASSE da parta de cima da tabela. Até lá!

FOTOS: FranceFootball.fr || L'Equipe || Aujourdhui-en-france.fr || Football365.fr || FootMercato || SoFoot || fb.com/olympiquelyonnais


MELHORES MOMENTOS:
video


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

[LIGUE1 14/15] 14ª rodada - Bastia x Lyon

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

Invicto há quase três meses, já contabilizando nove partidas, o Lyon volta aos gramados amanhã, às 14h, para enfrentar o Bastia, na Ilha da Córsega em busca da vice liderança da Ligue1. O time vem com duas novidades em relação a rodada anterior: Gourcuff e Ferri voltaram de lesão e integram os relacionados. Em contrapartida, Fekir, que levou o terceiro cartão amarelo, está ausente por conta da suspensão. Grenier, que voltou a treinar com bola essa semana, ainda não está 100% recuperado a ponto de ir para o jogo.

Do outro lado do campo, o Bastia quer se afastar da zona de rebaixamento da competição e precisa esquecer a recente demissão do ex-treinador Claude Makélélé. Em função disso, o time que enfrentará o Lyon virá sob a batuta do interino Ghislain Printant, que terá a missão de parar a ótima sequência do OL no torneio.

O jogo acontece neste sábado, às 14h do horário de verão de Brasília. A TV5 Monde (canal francês no Brasil) transmite a partida ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, Mouhamadou DABO, Henri BEDIMO e Corentin TOLISSO;
ZAGUEIROS: Milan BIŠEVAC, Samuel UMTITI e Bakary KONÉ;
VOLANTES: Arnold MVUEMBA, Jordan FERRI e Maxime GONALONS;
MEIAS: Nabil FEKIR, Rachid GHEZZAL, Yoann GOURCUFF e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Clinton N'JIE, Mohamed YATTARA, Yassine BENZIA e Alexandre LACAZETTE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Gueïda FOFANA, Clément GRENIER e Nabil FEKIR


BASTIA:

GOLEIROSAlphonse ARÉOLA, Thomas VINCENSINI e Jean-Louis LECA;
LATERAIS: Drissa DIAKITÉ, Julian PALMIERI e Florian MARANGE;
ZAGUEIROS: François MODESTO, Mathieu PEYBERNES, Sébastien SQUILLACI e ROMARIC;
VOLANTES: Guillaume GILLET e Yannick CAHUZAC;
MEIAS: Ryad BOUDEBOUZ, Juan Pablo PINO e Floyd AYITÉ;
ATACANTES: François KAMANO, Hervin ONGENDA, Christopher MABOULOU e Junior TALLO;
TÉCNICO: Ghislain PRINTANT (interino);
DESFALQUES: El-Hadji BA, Benjamin MOKULU e BRANDÃO


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Lyon é o quarto time que mais revelou jogadores para as 5 grandes ligas

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: rapfr-foot

O CIES Football Observatory fez um levantamento e constatou que o Lyon é o clube francês que mais revelou jogadores para as grandes ligas europeias. Dentre os clubes franceses, espanhóis, ingleses, italianos e alemães, o OL ficou atrás somente dos gigantes Barcelona, Manchester United e Real Madrid.

Atualmente, o Lyon mantém 15 jogadores de suas canteiras no elenco, exportou 18, totalizando 33 atletas. A pesquisa também aponta que a Ligue1 é a competição que mais aproveita garotos da base, com 24,6% dos atletas formados em casa.

De acordo com a pesquisa, para um jogador ser considerado da base, é preciso que ele tenha atuado pelo menos três temporadas entre 15 e 21 anos no clube. Na listagem de 52 clubes, nenhum brasileiro ficou ranqueado.

Confira abaixo os 12 primeiros:




Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

domingo, 9 de novembro de 2014

Lyon vence mais uma e se aproxima ainda mais do topo

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi




O Lyon teve poucas dificuldades, mas conseguiu vencer o Guingamp neste domingo por 3 a 1 no primeiro jogo do domingo na 13ª rodada do Campeonato Francês. Os gols foram marcados por Lacazzete e Fekir (duas vezes), pelo Lyon, e Marveaux para os visitantes.

A equipe da casa começou pressionando muito no início e praticamente matou o jogo antes da metade da primeira etapa. Aos sete, Lacazzete aproveitou cruzamento na área e testou para o fundo das redes. Quando o relógio completou 20 giros, Fekir aumentou e tranquilizou o Lyon na partida.
Durante todo o restante do tempo inicial, a equipe da casa trocava passes e buscava espaço para o terceiro. O Guingamp, que parecia perdido em campo, conseguiu diminuir já nos acréscimos, com Marveaux.

No segundo tempo o jogo ficou igual, mas as melhores chances ainda eram do Lyon, que definiu o resultado aos 41 minutos. Fekir recebeu passe em profundidade e tecou na saída do goleiro Lossl.

ADAPTADO DE: Gazeta Esportiva.net 

Com o resultado, o Lyon permanece na terceira colocação do Campeonato Francês, com 26 pontos. Com a derrota do Marseille para o PSG, os três primeiros colocados agora se embolam. OM segue líder com 28 pontos, seguido do time parisiense, com 27. O Lyon vem logo atrás. Em função das datas FIFA, a Ligue1 só volta a ativa daqui a duas semanas. O OL só joga no dia 22 de novembro, sábado, contra o Bastia, às 14h de Brasília. Jogo válido pela 14ª rodada.



FOTOS: olweb.fr


MELHORES MOMENTOS:
video


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

[LIGUE1 14/15] 13ª rodada - Lyon x Guingamp

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

Vindo de mais uma grande atuação e uma vitória convincente por 3 a 1 sobre o Nice, o Lyon já ocupa a terceira colocação do campeonato e pelo nível demonstrado, não é absurdo pensar que possam lutar por uma vaga na Champions. Até porque, foram muito sólidos defensivamente e estavam sem seu volante e capitão Gonalons, que volta hoje.

À frente, mesmo sem o novamente lesionado Gourcuff, o time mostrou muito dinamismo e capacidade criativa, contando com o bom apoio de Bedimo, uma tarde inspirada de Malbranque e mais uma grande atuação de Lacazette.

Nessa semana o Guingamp atuou pela 4ª rodada da Europa League e mais uma vez foi com o time titular à campo. A decisão não é por planejamento ou pedido da torcida, mas simplesmente porque a equipe não possui elenco para usar dois times diferentes.

O problema de usar o mesmo time nas duas competições é que a equipe apanha nos jogos em seguida da Ligue 1, a última vez foi aquele 7 a 2 para o Nice e hoje pode vir algo parecido.

O Lyon é o time em melhor fase na Ligue 1 atualmente, chega sem grandes baixas, à exceção de Gourcuff, cuja ausência o time já sabe dosar porque está acostumado a ela. É praticamente força máxima hoje e nenhum cansaço frente a um Guingamp que enfrentou uma dura viagem na última quinta.

ADAPTADO DE: Apostas Online (por Gustavo Maturano)

O jogo acontece neste domingo, às 11h do horário de verão de Brasília. A ESPN e a Watch ESPN transmitem a partida ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, Mehdi ZEFFANE, Henri BEDIMO e Corentin TOLISSO;
ZAGUEIROS: Milan BIŠEVAC, Samuel UMTITI e Bakary KONÉ;
VOLANTES: Arnold MVUEMBA e Maxime GONALONS;
MEIAS: Nabil FEKIR, Farès BAHLOULI, Rachid GHEZZAL e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Clinton N'JIE, Mohamed YATTARA e Alexandre LACAZETTE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Mouhamadou DABO, Gueïda FOFANA, Jordan FERRI, Clément GRENIER e Yoann GOURCUFF


GUINGAMP:

GOLEIROSHugo GUICHARD, Ali YIRANGO e Jonas LÖSSL;
LATERAIS: Lars JACOBSEN, Baissama SANKOH e Maxime BACA;
ZAGUEIROS: Jérémy SORBON, Christophe KERBRAT e Fabien GARCIA;
VOLANTES: Mustapha DIALLO, Lionel MATHIS, Sambou YATABARÉ e Younousse SANKHARÉ;
MEIAS: Thibault GIRESSE, Sylvain MARVEAUX e Claudio BEAUVUE;
ATACANTES: Jérémy PIED, Christophe MANDANNE, Rachid ALIOUI e Karim ACHAHBAR;
TÉCNICO: Jocelyn GOURVENNEC;
DESFALQUES: Mamadou SAMASSA, Dorian LÉVÊQUE, Reynald LEMAÎTRE, Benjamin ANGOUA, Laurent DOS SANTOS, Julien CARDY, Ladislas DOUNIAMA e Ronnie SCHWARTZ


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

sábado, 1 de novembro de 2014

Lacazette marca duas vezes, chega a dez gols e Lyon vence

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi




Lacazette uma vez. Lacazette, duas vezes. O atacante do Lyon não para: somente nesta temporada, são dez gols e quatro assistências em 12 partidas pela Ligue 1. O destaque dos heptacampeões franceses fez outros dois na vitória de virada por 3 a 1 sobre o Nice, neste sábado, fora de casa, e manteve o clube na perseguição ao Olympique de Marseille na briga pelo título.

O OL saiu atrás no placar após Grégoire Puel, filho do treinador Claude Puel, pôr o Nice à frente aos seis minutos do segundo tempo.




A reação dos visitantes começou com o veterano Steed Malbranque, 34 anos, completando cruzamento de Mvuemba pouco tempo depois, aos 19 minutos. Lacazette fechou a conta em seguida, em lance individual aos 35 e chute à distância aos 45 minutos da etapa final.

Com o resultado, o Lyon fica na terceira colocação do Campeonato Francês, com 23 pontos, dois atrás do Marseille, enquanto o Nice segue na faixa intermediária da tabela, em 10º lugar, com 17.

FONTE: ESPN.com.br 
FOTOS: ESPN.com.br  / OGCNice.com


GOLS DA PARTIDA:



Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

[LIGUE1 14/15] 12ª rodada - Nice x Lyon

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

O Nice tem ocupado boa parte das manchetes no Brasil e no mundo pelo recente 7-2 que sapecou no Guingamp, um resultado atípico, sim, mas não é isso que tem chamado a atenção da mídia, especialmente a nossa. O que tem chamado a atenção de todos são os 5 gols marcados pelo jovem brasileiro, Carlos Eduardo, meia emprestado pelo Porto e que saiu cedo daqui. No meio da semana, o time teve a excelente notícia de que Cvitanich está em forma e pronto para a ação. Agora é observar o que esse time com jogadores promissores e talentosos pode produzir tendo seu matador pra meter as bolas na rede.

Na semana passada o Lyon deixou claro que é um time preparado para encarar um jogo grande. A equipe conseguiu derrubar ninguém menos que o empolgante Olympique Marseille e o fez sem sofrer um único gol sequer. A notícia ruim que saiu nessa sexta e que já é sinônimo de piada sempre que sai, é a mais nova lesão de Gourcuff, um jogador de cristal, aparentemente. Além da ausência do meia, o Lyon não poderá contar com o capitão Gonalons, que está suspenso.

Agora que o Nice está completo, acredito que veremos um bom time ser formado. O Lyon traça o mesmo caminho, parece apenas alguns metros à frente, com um time que tem mostrado atuações mais do que decentes contra todos os tipos de adversários que possamos imaginar. Esse jogo será bem empolgante e movimentado. Os dois times são leves e possuem ataques de qualidade, de forma que devem produzir alguns gols.

ADAPTADO DE: Apostas Online (por Gustavo Maturano)

O jogo acontece às 17h do horário de verão de Brasília. Não haverá transmissão da partida por nenhuma emissora de TV no Brasil. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, Mehdi ZEFFANE, Henri BEDIMO e Corentin TOLISSO;
ZAGUEIROS: Milan BIŠEVAC, Lindsay ROSE, Samuel UMTITI e Bakary KONÉ;
VOLANTES: Arnold MVUEMBA;
MEIAS: Nabil FEKIR, Farès BAHLOULI, Rachid GHEZZAL e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Clinton N'JIE, Mohamed YATTARA e Alexandre LACAZETTE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Mouhamadou DABO, Gueïda FOFANA, Jordan FERRI, Maxime GONALONS, Clément GRENIER, Yoann GOURCUFF e Yassine BENZIA


NICE:

GOLEIROSMouez HASSEN e Simon POUPLIN;
LATERAIS: Jordan AMAVI, Grégoire PUEL e Lloyd PALUN;
ZAGUEIROS: Mathieu BODMER, Souleymane DIAWARA, Romain GENEVOIS e Kévin GOMIS;
VOLANTES: Albert RAFETRANIAINA e Nempalys MENDY;
MEIAS: Valentin EYSSERIC, CARLOS EDUARDO, Niklas HULT e Vincent KOZIELLO;
ATACANTES: Darío CVITANICH, Alexy BOSETTI, Eric BAUTHÉAC, Alassane PLÉA e Neal MAUPAY;
TÉCNICO: Claude PUEL;
DESFALQUES: Didier DIGARD e Mahamane TRAORÉ


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter