quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Hubert Fournier é demitido. Bruno Génésio assume o comando

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


O até então auxilar técnico já começa as mudanças no time a partir da próxima segunda-feira




Através de um comunicado de imprensa postado no site oficial hoje a tarde, o Lyon oficializou a demissão do técnico Hubert Fournier. Após sequências de resultados ruins desde o começo da temporada, o treinador não suportou a pressão dos torcedores e dos próprios jogadores, que demonstraram ao presidente Jean-Michel Aulas uma insatisfação com os modos como o sistema vinha sendo trabalhado. Em reunião com o vice-presidente do OL Groupe, Aulas decidiu, portanto, reorganizar a comissão técnica e Bruno Génésio, que vestiu a camisa do Lyon por 10 temporadas e atuava como auxiliar técnico do clube desde os tempos de Gérard Houllier, assume o comando.

O Lyon não trocava de treinador durante uma temporada desde o ano de 1996, quando em 25 de outubro, o time comandado por Guy Stéphan sofreu uma goleada por 7 a 0 do Auxerre. Naquele momento, o mesmo Jean-Michel Aulas decidiu por sua demissão. De lá pra cá, o clube sempre optou por só trocar de técnico ao encerrar uma temporada. Desta vez, não foi o caso. Abaixo, traduzimos, na íntegra, a carta do presidente à imprensa:



Quinta-feira, 24 dezembro, 2015

Em uma temporada marcada por muitas lesões, incluindo um séria de Clément Grenier no verão, em seguida, Nabil Fekir, e o longo tempo de inatividade de Gueïda Fofana, a primeira parte da temporada 2015/2016 do Olympique Lyonnais foi consideravelmente abaixo das expectativas do clube no esporte.

· Terminamos o primeiro turno em 9º lugar na Ligue1, 6 pontos atrás segundo lugar que se classifica direto para a Liga dos Campeões, que é o nosso principal objetivo da temporada, e ainda a 13 pontos do total adquirido no mesmo período na última temporada, 2014/2015

· Fomos eliminados dos campeonatos europeus com um 4º lugar no grupo da Liga dos Campeões e um total baixo de 4 pontos na fase de grupos.

Amplas consultas foram realizadas com o pessoal técnico mais gabaritado e muitos jogadores, gestores internos, e também uma parte externa vinculada ao clube, para entender as razões que poderiam explicar os resultados decepcionantes combinados com uma má qualidade de jogo, e comportamento individual dos jogadores bem abaixo da temporada passada. Após estas consultas, o presidente Jean-Michel Aulas, em contato com o Vice-Presidente do Grupo, Jérôme Seydoux, decidiu alterar a organização do staff da equipe de profissionais.

Diferentes hipóteses foram estudadas (chegadas de técnicos estrangeiros, franceses, promoção interna). E a conclusão que chegamos, já imaginando algo rápido em função do jogo da Copa da França, contra o Limoges, no dia 03 de janeiro, foi a decisão de confiar na nossa instituição até o fim da temporada. No primeiro momento, o Bruno Génésio assumirá a posição de treinador, até o final da atual temporada, já assumindo o cargo na próxima segunda-feira, 28 de dezembro.

Formado em OL, Bruno Génésio vestiu a camisa do time profissional por 10 anos. Ele tem um profundo conhecimento do clube e dos jovens profissionais de nossa academia, sendo alguns deles campeões franceses com o treinador nas categorias de base em 2011. Desde a chegada de Gerard Houllier em 2005, Bruno Génésio foi adquirindo novas exigências ao time principal, em especial, interagir com os jogadores para criar um grupo forte.

Na próxima segunda-feira (28), às 16h (13h do horário de verão do Brasil), Jean-Michel Aulas e Bruno Génésio realizarão uma coletiva de imprensa para esclarecer os próximos passos dessa nova comissão técnica e explicar o que eles esperam deste novo grupo de profissional, de sua equipe, e dos jogadores para a segunda metade da temporada, tanto coletivamente, quanto individualmente.



FOTOS: Made In Foot e Le Figaro


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


domingo, 20 de dezembro de 2015

Lyon finaliza o ano somando seis jogos seguidos sem vencer na Ligue1

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Hoje, diante do Gazélec Ajaccio, o time se demonstrou apático mais uma vez e coloca Hubert Fournier, definitivamente, corda bamba




O jogo de hoje parecia ser aquelas barbadinhas de apostas esportivas. O Lyon, com um elenco de Liga dos Campeões, enfrentando um recém promovido da Ligue2 e que até há alguns anos atrás era tido como um time semi-amador, disputando divisões inferiores. Em jogo disputado no modesto Stade Ange-Casanova, com capacidade para seis mil pagantes, o OL tinha de tudo para quebrar a sequência de cinco jogos consecutivos sem vencer no Campeonato Francês. E não conseguiu. Sucumbiu diante de um time muito ruim, e uma partida muito pior, recheada de erros individuais e muito sono para os espectadores.

O time da casa, encabeçado pelo ótimo Mohamed Larbi – comandando o meio de campo da equipe da Córsega, tinha como seu principal ponto a qualidade individual de algumas peças. Fora o próprio Larbi, o time contava com a velocidade de Tshibumbu na frente, as experiências de Ducourtioux no meio e Bréchet na zaga, além, é claro, do “espião” Amos Youga, criado na base do OL e que saiu do time sem ter quaisquer chances no time principal, na época sob o comando de Rémi Garde. Abaixo, é possível ver a formação tática do Gazélec Ajaccio para o jogo deste domingo:




Pelo Lyon o maior duelo para a tarde foram as diversas ausências com base em lesões. É de se espantar um time com a estrutura do OL não ter a disposição dez jogadores em função do departamento médico. Era quase possível montar um time inteiro: Gorgelin, Jallet, Bisevac, Umtiti, Morel, Fofana, Valbuena, Fekir, Kalulu e Lacazette. Felizmente, podia contar com Bedimo, que voltava de uma gastroenterite e estava disponível para o jogo. Ainda assim, Fournier adotou uma formação tática jamais vista no Lyon e entrou de uma forma inexplicavelmente recuada, no 5-3-2. Abaixo, é possível ver (porém, não entender) o time que entrou em campo hoje.




Como já era de se esperar, o jogo começou com uma pressão muito forte do Gazélec Ajaccio que poderia ter aberto o placar logo nos primeiros momentos da partida. Somava-se a formação tática defensiva do OL, o fato de ser visitante e o acanhado estádio fazendo muita pressão os jogadores. Todos esses fatores contribuíram para o Lyon demorar muito a entender sua posição dentro de campo e entender o jogo.

O Gazélec Ajaccio poderia ter aberto o placar logo aos 11’ de jogo, quando David Ducourtioux subiu mais alto que todo mundo em cobrança de escanteio de Mohamed Larbi. No entanto, a arbitragem – e só ela mesma – enxergou uma falta de Kader Mangane em cima de Bakary Koné, que nem participavam ativamente do lance e, por isso, o gol acabou sendo anulado, para incompreensão dos jogadores da casa.

Pouco tempo depois do gol anulado, o brasileiro Rafael estendeu a parte do calção que tampava a sua coxa e, claramente alegava dores físicas na região. Ele até tentou se esforçar para continuar em campo, mas rapidamente Hubert Fournier ajeitou uma alteração e queimou sua primeira troca logo aos 14’ de jogo. Jordan Ferri entrava em campo e Corentin Tolisso faria a lateral direita.

O jogo se arrastava de forma lenta e dolorosa para aqueles que assistiam. Muitos erros de passes, jogadas mal conectadas e quase nenhum dos dois ataques sendo acionados – muito em função da má qualidade de ambos também. Mas havia um nome que se destacava em meio aos cegos: Mohamed Larbi. E foi pelos pés dele que o placar foi aberto aos 32’ de jogo, tudo por causa de duas falhas do capitão Gonalons. Explico...

Jogando no miolo de zaga, Maxime Gonalons era sempre o responsável para sair jogando e dar o começo das armações das jogadas. Em um momento em que tinha poucas opções, tentou forçar um passe alto para Malbranque, que foi interceptado pelo adversário que, com muita velocidade conseguiu ligar a jogada à Larbi. O meia técnico do Gazélec Ajaccio partiu pra cima do próprio Gonalons, que errou ao dar o bote e acabou deixando o tunisiano girar e balançar as redes de Lopes. 1 a 0!

Já perto do fim do primeiro tempo, Lopes fez quase um milagre para evitar o segundo gol. Tudo começou com uma pixotada de Bedimo, que recebeu bola no meio de campo e, do nada, deu um chutão pra cima. O Gazélec recuperou a bola e saiu em disparada. Na troca de passes, Tshibumbu saiu de frente com Lopes que conseguiu sair nos pés do atacante adversário e efetuar uma defesa quase que debaixo do gol.

Ainda antes do intervalo, o Gazélec Ajaccio teve mais oportunidades de gol e poderia ter expandido o placar até com certa folga para voltar pro segundo tempo pronto para se poupar para as festividades do fim do ano. Pela falta de qualidade de seu elenco, isso não aconteceu e, felizmente para eles, não fez peso no placar final. Mas, definitivamente, para um time que não quer voltar para a Ligue2, precisariam ser mais eficientes em colocar a bola para o fundo das redes.

A única chance real de gol do Lyon apareceu já nos acréscimos do primeiro tempo. Beauvue recebeu uma bola esticada ainda do campo de defesa, conseguiu dominar de frente para o gol e na hora de finalizar se embananou todo e nos fez lembrar o motivo dele talvez ser a contratação mais fiasco deste primeiro turno do Campeonato Francês. Para se ter uma noção da gravidade de ruindade do lance, veja só a reação do presidente e do diretor do Lyon.




No segundo tempo, o Lyon não mudou sua postura. Continuava aquele time sem combate, sem criação e sem qualquer esperança de uma jogada que resolvesse o jogo. E não à toa o Gazélec Ajaccio chegou ao seu segundo gol. E, mais uma vez, o culpado direto pelo tento adversário foi o capitão Maxime Gonalons. Ele ficou frente a frente com Larbi e, mais uma vez, o meia levou a melhor. Dessa vez, contou com um escorregão do volante improvisado e acabou finalizando para marcar o segundo. 2 a 0!

Com quase todas as alterações já realizadas pelos dois treinadores. O Lyon conseguiu ter um pouquinho mais de ímpeto ofensivo, mas nada que lhe desse garantias de conseguir reverter o quadro. Além de Ferri por Rafael, que já havia ocorrido no primeiro tempo, Fournier também colocou Ghezzal no lugar de Bedimo e depois Darder por Malbranque. OL abandonava sua formação defensiva e se lançava como, costumeiramente, joga. E, dessa forma, conseguiu diminuir.

Em jogada de Ghezzal pelo lado esquerdo, meia canhoto do Lyon levou pela linha de fundo, sambou diante do marcador e, em uma jogada que não tínhamos visto até então no jogo, conseguiu efetuar o cruzamento para a chegada de Grenier marcar de cabeça. 2 a 1! Havia ainda chances de buscar o gol de empate, mas Thierry Laurey também mexeu e deu mais sustentação ao o seu time, que conseguia segurar a vitória.

O OL até tentou, batalhou, mas, realmente não tinha qualidade para tal, mesmo diante de um adversário tão mediano. É preciso muito mais do que foi apresentado em jogo hoje. Para se ter uma ideia, das nove finalizações dos Gones no jogo, somente duas foi em direção ao gol (uma delas convertidas). O Gazélec Ajaccio conseguiu oito. Se não fosse Anthony Lopes, o resultado poderia ser catastrófico.

O Lyon agora dá uma pausa em função das festividades de fim de ano e só volta a campo no dia 03 de janeiro, em jogo eliminatório válido pela Copa da França. O adversário é o pequeno Limoges, da CFA2, equivalente a 5ª divisão da França. O jogo será no Stade Saint-Lazare. Esperamos que, até lá, os lesionados já retornem. Até lá!

FOTOS: L'Equipe / olweb.fr


OS MELHORES MOMENTOS:
video


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


[LIGUE1 15/16] 19ª rodada - Gazélec Ajaccio x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: olweb.fr

Sem vencer há cinco jogos pela Ligue1, o Lyon tenta, neste domingo, fechar o ano com uma vitória diante do modesto Gazélec Ajaccio. Sem poder contar com nove desfalques, e ainda Gueïda Fofana, que ganha ritmo de jogo no Lyon B, o OL busca sair da zona intermediária para voltar a brigar pela parte de cima da tabela.

O Gazélec Ajaccio também busca sair de uma posição que lhe incomoda. Recém promovido da Ligue2, o time comandado por Thierry Laurey recebe o Lyon para tentar não ficar perto da zona da degola. Atualmente na 16ª colocação, o time da casa pode alcançar até mesmo a 12ª colocação em caso de vitória. Importante personagem da partida é o jovem volante Amos Youga, formado nas categoria de base do OL, o jogador poderá rever seus antigos colegas.

A partida acontece neste domingo (20/12), às 14h do horário de verão de Brasília. No Brasil, nenhuma emissora de TV irá transmitir o jogo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.


LYON:

GOLEIROS: Lucas MOCIO e Anthony LOPES;
LATERAIS: RAFAEL e Henri BEDIMO;
ZAGUEIROS: Mapou YANGA-M'BIWA, Lindsay ROSE e Bakary KONÉ;
VOLANTES: Maxime GONALONS, Arnold MVUEMBA, Corentin TOLISSO, Sergi DARDER e Jordan FERRI;
MEIAS: Romain DEL CASTILLO, Clément GRENIER, Steed MALBRANQUE e Rachid GHEZZAL;
ATACANTES: Maxwell CORNET e Claudio BEAUVUE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Mathieu GORGELIN, Christophe JALLET, Jérémy MOREL, Milan BIŠEVAC, Samuel UMTITI, Mathieu VALBUENA, Nabil FEKIR, Alexandre LACAZETTE e Aldo KALULU



GAZÉLEC AJACCIO:
(RELAÇÃO NÃO OFICIAL! Baseada na 18ª rodada, em jogo contra o Marseille)

GOLEIROS: Paul-André GUERIN e Clément MAURY;
LATERAIS: Alexandre COEFF e Issiaga SYLLA;
ZAGUEIROS: Rodéric FILIPPI, Jérémie BRÉCHET e Kader MANGANI;
VOLANTES: David DUCOURTIOUX, Jérôme LE MOIGNE, Amos YOUGA e Damjan DJOKOVIC;
MEIAS: Louis POGGI, Issiar DIA e Mohamed LARBI;
ATACANTES: Jacques ZOUA, Kévin MAYI, Khalid BOUTAÏB e John TSHIBUMBU;
TÉCNICO: Thierry LAUREY;
DESFALQUES: Jules GODA, Alassane TOURÉ, Pablo MARTINEZ e Grégory PUJOL


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Lyon passa apertado, mas avança na Copa da Liga

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


OL bateu o Tours, da Ligue2, em casa. Beauvue marcou os dois gols dos Gones




Com a ausência de suas principais estrelas ofensivas, o Lyon entrou em campo hoje pelas oitavas de final da Copa da Liga Francesa. Enfrentando o Tours, adversário da Segunda Divisão do Campeonato Francês, o time acabou vencendo o jogo por 2 a 1 e avançou para as quartas de final da competição. O jogo marcou a despedida oficial do Stade Gerland, que não será mais casa do Lyon a partir do ano que vem. O estádio viveu 65 anos de história com o OL.

Com a bola rolando, Claudio Beauvue, substituindo Lacazette, abriu o placar aos 39 minutos de jogo, quando Rachid Ghezzal penetrou pelo lado direito e foi derrubado na área. Ele cobrou pênalti no canto esquerdo do goleiro e fez o primeiro. Aos 26 minutos do segundo tempo, em bola alçada na área, o atacante Ibrahima Tandia, do Tours, subiu entre Tolisso e Koné e conseguiu o empate. Contudo, já aos 40 minutos da etapa final, o mesmo Beauvue recebeu cruzamento da direita com a bola já quase saindo pela linha de fundo e conseguiu completar para as redes, desempatando o jogo e dando a vaga ao OL.

O time agora volta a campo no próximo domingo, no encerramento do primeiro turno da Ligue1. O adversário será o Gazeléc Ajaccio, fora de casa, pela 19ª da competição. O jogo será às 14h do horário de verão de Brasília. Até lá!




TOURS: Westberg - Gradit, Cillard, Miguel, Bouhours - Belkebla, Louvion, Khaoui (Malfleury 86') - Santamaria, Miracoli (Kouakou 12'), Bergougnoux (cap - Tandia 60').

LYON: Gorgelin - Jallet (Yanga-M'Biwa 46'), Koné, Morel, Tolisso - Ferri (Grenier 83'), Gonalons (cap.), Darder (Malbranque 63') - Cornet, Ghezzal, Beauvue.

FOTOS: Le Progrès


OS MELHORES MOMENTOS:
video


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


terça-feira, 15 de dezembro de 2015

[COPA DA LIGA 15/16] Oitavas de Final - Lyon x Tours (despedida oficial do Stade Gerland)

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: olweb.fr

O primeiro dia de jogos das oitavas de final da Copa da Liga Francesa já começaram nesta terça-feira. Dentre os principais confrontos, o Guingamp eliminou o Nice e o Toulouse bateu o Rennes fora de casa. Amanhã, quarta-feira, é vez do Bordeaux decidir contra o Mônaco, o Marseille enfrentar o Bourg-Péronnas (da Ligue2) e o PSG fazer um grande duelo contra o Saint-Étienne.

O Lyon também joga amanhã, em casa, recebe o Tours, da segunda divisão. O jogo terá três grandes personagens: o capitão do time visitante, Bryan Bergougnoux, que é cria da casa do OL e poderá reencontrar seu clube formador; o Stade Gerland, que terá, oficialmente, sua última partida sediando jogos do Lyon; e o jovem Gaëtan Perrin, que foi chamado pela primeira para disputar, quem sabe, uma partida entre os profissionais dos Gones.

A partida acontece na tarde de amanhã, (16/12), às 17h do horário de verão de Brasília. Nenhuma TV no Brasil irá transmitir quaisquer partidas desta fase da Copa da Liga Francesa. Abaixo, os relacionados para o confronto.



LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Jérémy MOREL, Christophe JALLET e Henri BEDIMO;
ZAGUEIROS: Mapou YANGA-M'BIWA e Bakary KONÉ;
VOLANTES: Maxime GONALONS, Arnold MVUEMBA, Corentin TOLISSO, Sergi DARDER e Jordan FERRI;
MEIAS: Romain DEL CASTILLO, Clément GRENIER, Steed MALBRANQUE e Rachid GHEZZAL;
ATACANTES: Maxwell CORNET, Gaëtan PERRIN e Claudio BEAUVUE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: RAFAEL, Milan BIŠEVAC, Samuel UMTITI, Mathieu VALBUENA, Nabil FEKIR, Alexandre LACAZETTE e Aldo KALULU



TOURS:
RELAÇÃO NÃO OFICIAL!

GOLEIROS: Quentin WESTBERG e Bingourou KAMARA;
LATERAIS: Samuel BOUHOURS e Jonathan GRADIT;
ZAGUEIROS: Bogdan MILOŠEVIĆ, Cyriaque LOUVION, Florian MIGUEL e Thibaut CILLARD;
VOLANTES: Haris BELKEBLA, Mohamed-Labib MAOUCHE, Laurent AGOUAZI e Baptiste SANTAMARIA;
MEIAS: Ibrahima TANDIA, Bryan BERGOUGNOUX e Saïf-Eddine KHAOUI;
ATACANTES: Luca MIRACOLI, Christian KOUAKOU, Geoffrey MALFLEURY e Alexy BOSETTI;
TÉCNICO: Marco SIMONE;
DESFALQUES: (?)


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


domingo, 13 de dezembro de 2015

PSG passa o carro em cima do remendado Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Com vários desfalques, OL até conseguiu fazer um primeiro tempo justo. Mas sofreu muito na segunda etapa e deixou o líder do campeonato realizar um jogo-treino de luxo




Após resultado bem contestado contra o Angers no último final de semana, o Lyon tinha uma prova de fogo para reconquistar o torcedor e a própria direção – com o cargo do treinador Fournier na reta. Os dois jogos seguintes seriam importantes: o Valência, fora de casa, pela Liga dos Campeões (resultado positivo de 2 a 0) e hoje, diante do Paris Saint-Germain, também longe de Lyon. Com uma pitada de dificuldade, o OL tinha nove desfalques e ainda tinha que conviver sem duas três principais estrelas ofensivas, Lacazette, Fekir e Valbuena, todos machucados. Enquanto isso, o time parisiense defendia uma invencibilidade que já vem se arrastando desde o começo da competição e poderia entrar em campo com a tranquilidade de líder que está a 14 pontos de distância do concorrente seguinte.

Mesmo detendo essa vantagem, digamos, o treinador Laurent Blanc entrou em campo com força máxima. Seu único desfalque era o argentino Javier Pastore e isso significava um enorme poderio para enfrentar os Gones, que já não era favorito hoje e, com os desfalques, perdia ainda mais força diante dos bilionários de Paris. Adotando a já tradicional formação do 4-3-3, Blanc depositava esperanças na sua defesa basicamente compostas de brasileiros e seu ataque encabeçado por Ibrahimovic, Cavani e Di María. Abaixo, é possível ver como ficou o esquema do Paris Saint-Germain




Pelo lado do Lyon, a falta de opções forçou Fournier a praticamente jogar com o que tinha em suas mãos. Rafael voltando de lesão, assim como Yanga-M’Biwa, reforçavam a parte defensiva, que mais uma vez também dava chances para Morel atuar no setor. Utilizando-se do 4-3-3 que também deu certo contra o Valência, Fournier optou pelo meio de campo que jogou a última temporada praticamente toda como titular: Gonalons, Ferri e Tolisso. Na frente, Cornet, que brilhou no meio de semana, ganhava espaço entre os titulares mais uma vez, ao lado de Grenier e de Claudio Beauvue, que agora substitui Lacazette, pelo menos, até o final do ano. Abaixo, veja como ficou o time:




Não era de se esperar uma postura diferente de um Lyon combalido. Entrou em campo com uma postura defensiva bem cuidadosa e, quando tinha a bola aos pés, saia com poucos homens. O receio da diferença de qualidade dos elencos dentro de campo era fator fundamental para o OL se reprimir e tentar errar o menos possível. Essa postura nunca foi comum para o time. Mas, hoje, fazia-se necessário na visão de Fournier.

A cautela durou um pouco mais do que dez minutos. Foi o tempo necessário para o PSG abrir o placar em casa. A jogada começou com uma bola alçada na área por Thiago Silva. Nervoso, Yanga-M’Biwa fez o corte de cabeça e acabou entregando nos pés de Zlatan Ibrahimovic, que não teve muito trabalho de caminhar e finalizar para fazer o primeiro. Já era a sua segunda finalização e, nessa, ele não parou em Lopes. PSG 1 a 0.

Não demorou muito para o segundo gol sair. Para ser mais específico, cinco minutos. Em jogada de bola parada, cobrança de falta pela esquerda, o argentino Ángel Di María cobrou cruzado na área. O lateral Serge Aurier apareceu mais alto que todo mundo e quase sem marcação para empurrar para as redes em uma finalização fortíssima de cabeça. 2 a 0 e só com 16’ de partida.

Aos poucos, o OL tentava se soltar um pouco mais. Mas não podia se lançar com tudo ao ataque para não correr risco de levar uma goleada. Com poucos homens de frente, Rafael finalizou a primeira vez ao tabelar com Cornet e chegar pela direita. Fácil para Trapp. Seria fácil também a finalização de Ferri, aos 24’, do meio da rua ele arriscou forte. O chute altamente defensável se tornou complicado para o goleiro do PSG que, ao tentar evitar, acabou empurrando para o próprio gol, em uma falha gritante. Lyon diminuía para 2 a 1.

Já perto do fim da primeira etapa, o Lyon começou a querer gostar um pouco mais do jogo. Beauvue incomodava um pouco o já amarelado David Luiz e conseguia dar um fio de esperança aos torcedores dos Gones quando já começava atuar mais no campo de ataque. O time parisiense se assustou muito depois da falha do Trapp e começou a, misteriosamente, dar espaço para o OL jogar e começar a vislumbrar até mesmo um improvável empate.

Para a segunda etapa, o jogo retomava como havia terminado o segundo: o PSG com vantagem, ditando o jogo, mas com pouco poder de fogo com base naquilo que poderia e tinha condições de oferecer. O Lyon, por sua vez, quase como franco atirador, conseguia chegar e até assustar Kévin Trapp em alguns momentos, ousando buscar o empate e fazendo por onde para conseguir seu segundo gol.

Quem começou atacando no segundo tempo foi o próprio Lyon, em chute de fora da área de Beauvue. Contudo, nos dois lances seguintes, foi o PSG quem chegou. Primeiro com Di María em lance que Anthony Lopes se saiu muito bem para evitar o terceiro. Depois com David Luiz, em cobrança de escanteio do próprio Di María que fez o brasileiro chegar mais rápido e mais alto que todo mundo... mas errou o alvo por pouco.

Quando o OL tentava gostar um pouco mais do jogo, o castigo veio em mais um gol do time parisiense. E não tinha como ser diferente. Era muito mais eficiente do meio pra frente e assustava mais. Após duas tentativas de cruzamento, Di María, enfim, acertou o alvo e descobriu Edinson Cavani na área. Em uma finalização um pouco estranha, o uruguaio foi certeiro e Lopes, desta vez, nem apareceu na foto. 3 a 1.

Aos 24’ do segundo tempo, a primeira alteração do jogo aconteceu. Marco Verratti entrou no lugar de Adrién Rabiot, no PSG. Rabiot fez uma partida muito consistente e parecia ser somente uma rotação no plantel promovida por Laurent Blanc. Poucos minutos depois, o OL também mexeu, entrando Sergi Darder no lugar de Clément Grenier. Naquele momento, mesmo precisando de um resultado, Hubert Fournier tirava um meia e colocava seu quarto volante em campo. Medo de tomar uma goleada e bambear no cargo? Não saberemos...

Com vantagem no placar, o PSG voltava a dominar com total maestria, como acontecia lá no comecinho do jogo. Isso era fundamental para o time de Blanc criar sem medo e jogar o que sabe jogar. E quem sofria com isso era o Lyon, que agora voltava a apanhar muito de um time bastante superior, que agora goleava. Aos 32’, Ibrahimovic deu um rabo de vaca em Bedimo e caiu no gramado. O árbitro Ruddy Buquet viu pênalti e apontou pra marca da cal. O próprio Ibra cobrou, batendo no canto direito de Lopes que ainda tentou buscar. Em vão. 4 a 1 aos gritos de “olé”.

Após o quarto gol, o PSG se lançou ainda mais. O brasileiro Lucas entrou no lugar de Blaise Matuidi e dava ainda mais velocidade para os ataques parisienses. Fournier respondia com a saída de Maxwell Cornet e a entrada de Rachid Ghezzal. Perto do fim, entrava Marquinhos no lugar de Thiago Motta e Ferri dava vaga à Malbranque, na queima da última alteração dos treinadores. A essa altura do jogo, a alteração não mudava muita coisa. O cenário já estava traçado e o objetivo tornava-se não amargurar um resultado ainda mais negativo.

O que não aconteceu. Nos acréscimos, quando o Lyon tentava buscar mais um, com um chute de fora da área de Beauvue, o PSG puxou um contra-golpe fulminante com Cavani. Ele avançou muito rápido por todo o gramado enquanto Lucas passava pelo outro lado, na direita. No momento certo, o brasileiro foi acionado, continuou a avançar e finalizou na saída de Anthony Lopes, sacramentando o caixão do Lyon: 5 a 1. Um resultado que, apesar de ser possível, não era previsto. Ninguém prevê goleadas desse calibre. Mas, certamente, o OL continua precisando se reinventar.

O Lyon volta a campo na próxima quarta-feira, dia 16/12, na despedida oficial do Stade Gerland. A partida será contra o Tours, 13º colocado da Ligue2, em partida válida pelas oitavas de final Copa da Liga Francesa. Até lá!

FOTOS: PSG.fr / L'Equipe


OS GOLS DA PARTIDA:
video


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


sábado, 12 de dezembro de 2015

[LIGUE1 15/16] 18ª rodada - PSG x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


FOTO: olweb.fr

O Paris Saint-Germain lidera com folga o Campeonato Francês, com 45 pontos conquistados, e já venceu o título simbólico do primeiro turno, uma vez que já não pode mais ser alcançado pelo vice-líder Angers até o returno. Mas neste domingo, pela 18ª rodada, o time deverá encontrar alguma dificuldade, mesmo atuando no Estádio Parc dos Princes, em Paris. Isso porque vai receber o Lyon, que tem 26 pontos e deseja brigar por uma vaga nas próximas competições europeias.

Jogando em casa, o PSG projeta um duelo equilibrado, mas garante que vai buscar a vitória desde o primeiro momento e pretende pressionar o rival. “Temos por característica pressionar qualquer adversário em qualquer campo e em qualquer situação. Por isso mesmo não consigo ver como poderemos mudar agora”, apontou Laurent Blanc.

“Respeitamos o Lyon, que tinha condições inclusive de estar com uma pontuação melhor e tem grande qualidade. Mas vamos jogar em casa, com o apoio de nossa torcida, e não podemos cogitar a possibilidade de perder pontos. Tenho convicção de que os torcedores vão nos ajudar muito. Estou confiante que podemos obter o resultado que nos interessa”, concluiu o técnico do PSG.

FONTE: Gazeta Press

A partida acontece neste domingo (13/12), às 18h do horário de verão de Brasília. O SporTV transmite o confronto, ao vivo.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: RAFAEL, Jérémy MOREL e Henri BEDIMO;
ZAGUEIROS: Mapou YANGA-M'BIWA e Bakary KONÉ;
VOLANTES: Maxime GONALONS, Arnold MVUEMBA, Corentin TOLISSO, Sergi DARDER e Jordan FERRI;
MEIAS: Romain DEL CASTILLO, Clément GRENIER, Steed MALBRANQUE e Rachid GHEZZAL;
ATACANTES: Maxwell CORNET e Claudio BEAUVUE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Christophe JALLET, Milan BIŠEVAC, Samuel UMTITI, Gueïda FOFANA, Mathieu VALBUENA, Nabil FEKIR, Alexandre LACAZETTE e Aldo KALULU



PSG:

GOLEIROS: Salvatore SIRIGU e Kevin TRAPP;
LATERAIS: Serge AURIER, MAXWELL, Layvin KURZAWA, Grégory VAN DER WIEL;
ZAGUEIROS: DAVID LUIZ, MARQUINHOS e THIAGO SILVA;
VOLANTES: Blaise MATUIDI, Adrien RABIOT, Benjamin STAMBOULI, THIAGO MOTTA e Marco VERRATTI;
MEIAS: Ángel DI MARÍA e LUCAS;
ATACANTES: Edinson CAVANI, Zlatan IBRAHIMOVIC e Ezequiel LAVEZZI;
TÉCNICO: Laurent BLANC;
DESFALQUES: Javier PASTORE


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Lyon se despede da UCL com vitória fora de casa

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Time bateu o Valência por 2 a 0 no Mestalla. Zenit e Gent acabaram avançando




Com apenas o Zenit classificado, o Grupo H da Liga dos Campeões da Europa viveu nesta quarta-feira a definição de sua outra vaga às oitavas de final. Valencia e Gent eram os que brigavam por ela, e no fim os belgas levaram a melhor, bateram o Zenit por 2 a 1, em casa, e ficaram com a classificação. Já os espanhóis decepcionaram, caíram em casa para o Lyon, por 2 a 0, e terão que se contentar com a Liga Europa.

Mesmo perdendo os 100% de aproveitamento, o Zenit passou às oitavas com a ponta da chave, com 15 pontos, seguido pelo Gent, que somou 10. A terceira colocação ficou com o Valencia, com seis pontos, enquanto o Lyon terminou na lanterna, com quatro, e só conquistou sua primeira vitória nesta quarta.

Para não depender do resultado da outra partida, o Gent foi para cima do Zenit e marcou o primeiro aos 17 minutos. Depoitre recebeu cruzamento da esquerda e desviou de cabeça para a rede. Mas o empate saiu no segundo tempo, aos 20 minutos, quando Dzyuba aproveitou confusão na área e bateu cruzado.

Com o resultado, o Gent dependeria da outra partida para saber se estava classificado ou não, mas as dúvidas dos belgas terminariam aos 32 minutos. Milicevic aproveitou sobra na entrada da área e encheu o pé para definir o triunfo dos anfitriões.

Já na Espanha, quem deu as cartas foi o Lyon. Mesmo sem qualquer chance de classificação, ou sequer de ir à Liga Europa, o time francês surpreendeu o Valencia do técnico recém-contratado Gary Neville.

O primeiro gol saiu ainda no primeiro tempo, e foi um golaço. Cornet recebeu pelo lado direito do ataque, cortou seu marcador e colocou no ângulo. Com o Valencia todo em cima na etapa final, os franceses aproveitaram para matar o jogo. Aos 30 minutos, Lacazette puxou contra-ataque, avançou sem marcação e bateu cruzado, para a rede.


FONTE: Estadão
FOTOS: olweb.fr / uefa.com


MELHORES MOMENTOS:
video


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!