domingo, 25 de janeiro de 2015

Lyon vence sua sétima consecutiva na Ligue1 e se isola mais na liderança

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


OL não encontra problemas com o Metz em casa e abre quatro pontos de vantagem do segundo colocado na tabela. Contudo, nem tudo é brilho. Lacazette machuca e preocupa torcida




Na manhã deste domingo, o Lyon recebeu em sua casa, no Stade Gerland, o Metz, até então 17º colocado no Campeonato Francês. O OL tinha a missão de continuar na liderança da competição. O seu adversário, por sua vez, precisava sair da incomoda situação e estar a somente uma colocação da zona de rebaixamento (que na França é composta somente de três equipes).  Para a partida de hoje, ao todo, dez desfalques foram consumados em função do andamento da Copa Africana de Nações. Cada equipe sem cinco atletas. O departamento médico também tirou três jogadores de cada elenco. Definitivamente, o duelo de hoje era defasado pela ausência de oito atletas de cada lado.

Apesar desses vários desfalques, as ausências não machucavam muito o time titular do OL. No departamento, Grenier e Fofana estão fora praticamente toda a temporada. E nesta semana ainda ganhou a companhia de Lindsay Rose, que é reserva. Dentre aqueles que estão na CAN: Bedimo e N'Jie (Camarões), Yattara (Guiné), Zeffane (Argélia), e Koné (Burkina Faso), somente o primeiro é titular. Portanto, mesmo com diversas ausências, o Lyon estava sem somente uma grande peça para o jogo de hoje. Em compensação, dois jogadores voltavam do departamento médico: Bisevac e Benzia. Abaixo, você pode conferir como ficou armado o OL para confronto contra o Metz:




Diferentemente do Lyon, o Metz tinha desfalques de extrema importância, não só por serem jogadores atuantes no time titular, como também pela fase difícil que a equipe vive na Ligue1. Fora pela Copa Africana estavam: Anthony M'Fa (Gabão), Ferjani Sassi (Túnisia), Ahmed Kashi (Argélia), Cheick Doukouré (Costa do Marfim) e Modibo Maïga (Mali). Além destes desfalques, o departamento médico ainda conta com Federico Andrada, Fakhreddine Ben Youssef e o melhor jogador do time na temporada: Sergey Krivets. Mas, ainda assim, o Metz contava com o jogador mais experiente dos dois elencos. Trata-se de Florent Malouda, ídolo da torcida do OL que retornava ao Gerland vestindo a camisa de outra cor. Veja abaixo a formação do Metz:




Por ser o líder do Campeonato Francês, o Lyon tinha a dura consequência de ser o time mais visado da competição. Todos os jogos são transmitidos, todos envolvidos querem ver o que a melhor equipe tem para oferecer. E já perceberam que a válvula de escape do ataque dos Gones chama-se Nabil Fekir. No começo da partida, percebia-se uma forte marcação no franco-argelino a ponto de neutralizá-lo. Lacazette era outro que pouco se via nos primeiros minutos de partida.


A primeira oportunidade real de jogo surgiu antes mesmo dos 10’ iniciais. Florent Malouda, antes da linha do meio-campo, achou N’Sor se deslocando entre os dois defensores do Lyon e colocou o atacante para correr. Bisevac não conseguiu nem começar a acompanhar, mas Umtiti foi atrás do lance e na hora da finalização do centroavante do Metz, o jovem denfensor do Lyon fez o corte no momento exato. Depois do lance pagou pau para toda a defesa... e com razão. Umtiti foi perfeito no lance.

O Lyon respondeu aos 18’. Jallet começou a jogada pelo lado direito. A bola passou pelos pés de Ghezzal até chegar a Fekir. Fekir finalizou e ia colocar no ângulo, mas acabou acertando seu colega de equipe, Ghezzal, que se deslocava pro rebote. A bola rebateu e caiu nos pés de Lacazette que prendeu, segurou e fez a bola cruzar toda a área novamente para Jallet receber e finalizar de qualquer jeito, mandando na arquibancada.

Aos 23’, a partida precisou sofrer uma parada. Florent Malouda sentiu dores na parte posterior de coxa e ficou caído por alguns minutos no gramado. Com a entrada dos médicos do Metz em campo foi comprovado que um dos ídolos do heptacampeonato do Lyon precisava deixar o gramado e Albert Cartier queimou sua primeira alteração de forma precoce. Entrou em campo N’Gbakoto.

Cinco minutos após a saída de Malouda, o jogo teve seu momento polêmico. Em jogada de ataque do Lyon promovida por Lacazette, Ghezzal recebeu na área e em lance que, para o BrasiLyonnais não houve pênalti, o árbitro Olivier Thual apontou a marca da cal e ainda expulsou o zagueiro Guido Milan. Na cobrança, Alexandre Lacazette, como já de costume, não perdoou e fez o seu 25º gol na temporada. 1 a 0 e o OL com um a mais dentro de campo.


Após o gol, momento de preocupação para o Lyon. Lacazette abandonou a partida com dores na coxa e, imediatamente, deixou o gramado dando lugar a Maxwell Cornet – que fazia sua estreia com a camisa do Lyon. No Metz, devido a expulsão do zagueiro Milan, Cartier se viu obrigado a mexer de novo, ainda no primeiro tempo. Entrou Marchal no lugar de N’Gbakoto, que estava a minutos dentro de campo. Ele havia acabado de entrar no lugar de Malouda. Mas o jogador se mostrou profissional e não reclamou da alteração.

Na segunda etapa, o Lyon voltou determinado a ampliar o marcador. Aos 9’, Fekir armou um contra-golpe e conseguiu achar Ferri entrando sozinho na área após inversão de jogo. O volante do OL se desvencilhou muito bem da marcação e tinha o gol livre para arrematar, mas ele preferiu o passe. Na área, Ghezzal recebeu e bateu na zaga. No rebote, Tolisso, já na pequena área, também desperdiçou e bola saiu para escanteio. Na sequência do lance, Cornet, após receber cruzamento, cabeceou mal e a bola saiu por cima em chance claríssima de gol.


Apesar do Lyon ditar o jogo e comandar os domínios da partida, criava poucas chances reais de gols. Ghezzal e Fekir até tentavam. Mas Cornet, meio afobado, perdia todas as oportunidades que eram criadas. A bola batia e voltava. O jovem atacante que estreava com a camisa do OL estava visivelmente nervoso, porém era complacente com a vontade do grupo. Precisando injetar experiência lá na frente, Fournier colocou Gourcuff no lugar de Ghezzal. Mexeu sem alterar a formação tática.

De fato, a entrada de Gourcuff reoxigenou o ataque dos Gones e deu muito mais qualidade ao setor, inclusive somando em bolas paradas. Mas, ainda assim, o Lyon tinha os mesmos problemas quando Ghezzal estava em campo: tinha mais posse de bola mas criava pouco. Talvez a ausência de Lacazette no ataque, como uma referência para as jogadas ofensivas, tivesse fazendo uma tremenda falta. Aos menos o OL não sofria no seu setor defensivo.


Sem conseguir bater muito forte num Metz desfalcado com um expulso, Cartier percebeu que poderia explorar um pouco mais o ataque do seu time e acabou queimando sua última alteração faltando um pouco mais de 10’ para o término do jogo. Ele tirou o volante luxemburguês Chris Philipps e colocou o atacante Juan Falcón. A colocação do Metz na tabela não permitia deslizes e o treinador se viu em uma tática kamikaze: tudo ou nada!

Aos 37’ do segundo tempo, a tática kamikaze de Cartier foi por água abaixo. Muito em função da inteligência e da técnica de Gourcuff. O meia recebeu bola dentro da área, viu que estava apertado e puxou a bola para o canto esquerdo do ataque. Com ele, o camisa 8 acabou atraindo quatro marcadores. Percebendo a falha na marcação adversária, Gourcuff voltou o jogo e achou Tolisso na entrada da área. O lateral/volante/meia bateu com muita curva, rasteiro, e Carrasso não conseguiu alcançar! 2 a 0 e tranquilidade para o OL manter o resultado no jogo.


Por fim, o Lyon conseguiu administrar a vantagem construída na partida. Não havia mais tempo para o Metz esboçar qualquer tipo de reação, muito em função da desvantagem numérica no elenco. A expulsão (injusta) de Milan colaborou bastante para o OL não ter uma partida difícil neste domingo. Agora, resta saber como o time irá se comportar com a ausência de Lacazette, isso, é claro, se ele ficar ausente por muito tempo. O time terá uma semana para avaliar o jogador e fazer de tudo para manter a estrela do time jogando.

O Lyon volta aos campos no dia 1º de fevereiro, no próximo domingo. O adversário é barra pesada: o Monaco, no Stade Louis II. O jogo será às 18h do horário de Brasília, válido pela 23ª rodada da Ligue1. Até lá!

FOTOS: L'Equipe / olweb.fr / Le Progrès / Le Parisien


GOLS DA PARTIDA:
video


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário