domingo, 26 de abril de 2015

Lyon vence, Lacazette marca e entra pra história do clube

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi
Adaptado do texto de: Renato Gomes (Vavel Brasil)


Atacante faz seu 26º gol na temporada e alcança marca nunca antes atingida por qualquer atleta do clube, superando André Guy, que marcou 25 gols em 1968/69




No encerramento da 34ª rodada da Ligue 1, o Lyon foi até Reims e bateu o Stade de Reims por 4 a 2. Tolisso e Lacazette fizeram o 2 a 0 logo com cinco minutos de jogo e Peuget diminuiu para o time da casa antes de Njie marcar o terceiro do Lyon. No final da segunda etapa, Tacalfred marcou contra sua própria equipe e Charbonnier entrou para fazer o 4 a 2 de cabeça.


Com a vitória, o Olympique Lyonnais volta a assumir a ponta da Ligue 1 por conta do saldo de gols, já que possui a mesma pontuação que a equipe do Paris Saint-Germain. O Stade de Reims segue na briga para não cair para a Ligue 2 e está apenas uma posição acima da zona de rebaixamento com 38 pontos, um a mais que o Evian, primeiro time dentro da zona.

Guégan não pôde contar com três jogadores, sendo que todos estão lesionados. Os laterais Franck Signorino e Chris Mavinga e o zagueiro Anthony Weber estão entregues ao departamento médico e desfalcaram a equipe do Reims frente ao Lyon.


Fournier teve duas ausências por conta de lesão, sendo que o zagueiro Milan Bisevac operou o joelho e não deve mais jogar na atual temporada e Yoann Gourcuff sentiu uma lesão na coxa no duelo frente ao Nice e se recupera para a reta final de Ligue 1.

Os próximos compromissos das duas equipes acontecem no próximo sábado (2). Enquanto o Lyon recebe o Evian no Stade de Gerland, o Reims irá até a região da Bretanha visitar a equipe do Guingamp.

Lyon garante vitória parcial num primeiro tempo de bastante ação


Com dois minutos de jogo, o Olympique Lyonnais conseguiu surpreender e abrir o placar num lance de bola parada. Clément Grenier cobrou escanteio, Clinton Njie se antecipou na primeira trave e confundiu a marcação e o goleiro Kossi Agassa. Corentin Tolisso aproveitou a falha do Reims e cabeceou a bola sem dificuldades para as redes, abrindo o placar no início da partida.

Já com a bola rolando, o Lyon precisou de três minutos para ampliar a vantagem numa jogada de contra-ataque fatal. Clinton Njie, aberto no lado direito, recebeu bola e inverteu o jogo para Alexandre Lacazette, que bateu de primeira para as redes de Agassa, fazendo o 2 a 0. O Reims quase cedeu o terceiro, em mais uma jogada de velocidade do ataque do Lyon, mas o zagueiro Mohamed Fofana evitou o gol tirando a bola em cima da linha.


Apesar de mostrar fragilidade defensiva, o Stade de Reims voltou ao jogo aos 12 minutos para diminuir a vantagem, após o volante Pauget chutar a bola de fora da área e fazer ela desviar em Maxime Gonalons, tirando qualquer chance do goleiro Anthony Lopes de defender o remate que levou ao 2 a 1.

A equipe da casa tentava buscar espaços diante da defesa adiantada do Lyon, mas os visitantes, bem postados no seu campo, tinham êxito em interceptar os passes do adversário e sair em contra-ataque. Com a bola, o Lyon tinha seus homens de frente usando da velocidade e técnica para romper as linhas e antecipar a marcação nos espaços existentes entre os jogadores do Reims e foi justamente num desses movimentos que o Olympique Lyonnais aumentou o placar.


Clinton Njie, posicionado no lado direito do campo, penetrou em diagonal na defesa aberta do Reims, o que foi suficiente para Henri Bedimo receber a bola e cruzar para o atacante do Lyon, que desviou a bola de primeira para marcar o terceiro do Lyon na partida.

Antes do árbitro finalizar os 45 minutos iniciais, houveram mais duas boas chances do Reims e uma do Lyon de ampliar o placar. Enquanto o Stade de Reims melhorou o desempenho defensivo, compactando a sua equipe e cedendo menos espaços, os jogadores do Lyon tinham um aproveitamento melhor nas disputas de bola principalmente no campo de defesa, isso quando não estavam sem a bola, pois a posse do OL na primeira etapa foi de 65%, o que traduz um jogo sob controle da equipe de Hubert Founier em boa parte da primeira etapa.

Reims melhora, mas não faz o suficiente para impedir a vitória do Lyon


Na segunda etapa, o Reims buscou ter mais a bola e seguiu buscando produzir algo efetivo durante 12 minutos, até acertar uma bola no travessão de Anthony Lopes após uma cobrança de escanteio através de Antoine Devaux. Aos 19 minutos, Devaux teve mais outra chance de diminuir a desvantagem no placar, ao receber cruzamento da esquerda e cabecear a bola no canto de Lopes, que esticou o braço para efetuar a defesa e impedir o 3 a 2 do Reims.

Já com a metade do segundo tempo completa, o Lyon voltou a ter mais a bola no campo de ataque e conseguiu fazer o goleiro Agassa se movimentar depois de um início de protagonismo do Reims. Mesmo assim, o Stade de Reims tinha mais a posse da bola e tentava levar perigo ao Lyon, muitas vezes tropeçando na própria incapacidade técnica, tática coletiva e individual de furar o bloqueio adversário.


Aos 32 minutos, o Lyon chegou perto de marcar o quarto gol em mais um contra-ataque, onde o goleiro Agassa defendeu a bola em duas oportunidades antes do zagueiro Mickael Tacalfred tirar mais uma vez a bola em cima da linha. Sem forças para correr atrás do prejuízo, o Lyon foi esfriando o ritmo do Stade de Reims e quando parecia que o jogo estava terminado, as equipes reservaram mais emoções para o fim de jogo.

A equipe do Lyon viu surgir o 4 a 1 com um gol contra do zagueiro e capitão Tacalfred, que tentou interceptar um passe de Steed Malbranque para Lacazette e acabou desviando a bola direto para as redes. Por outro lado, o Reims ainda diminuiu o placar com a bola parada explorando a estatura de Gaëtan Charbonnier para fazer o atacante, que entrou no segundo tempo, selar o placar da partida aos 47 do segundo tempo em 4 a 2.


TEXTO: Vavel Brasil
FOTOS: olweb.fr / Vavel Brasil


MELHORES MOMENTOS:



Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

sábado, 25 de abril de 2015

[LIGUE1 14/15] 34ª rodada - Reims x Lyon

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr


Faltando somente cinco rodadas para o fim da temporada, o Lyon se vê em uma situação de decisão. O PSG é o atual líder da competição com três pontos de diferença. Acontece que o time da capital não jogou a 32ª rodada ainda, então, mesmo cogitando uma vitória do OL amanhã, diante do Reims, os Gones ainda terão de torcer para o Paris Saint-Germain tropeçar no meio do caminho até o fim. Neste sábado, o vudu não deu certo. Diante do Lille, o time comandado por Blanc venceu por 6 a 1, mesmo sem o suspenso Ibrahimovic.

Diante de tal circunstância, o Lyon não se vê com outro objetivo a não ser vencer todas as partidas que tiver pela frente com a esperança de um tropeço do time parisiense. E o próximo adversário é o atual 17º colocado na tabela. Um time que Hubert Fournier conhece bastante por ser seu ex-clube e que está motivado a sair da incomoda situação de ser o primeiro time acima da zona de rebaixamento. O OL terá que ter cuidado e cautela, pois além de jogar fora de casa, estará diante de um time que também necessita somar pontos.

O confronto entre Reims e Lyon acontece neste domingo (26/04), às 16h do horário de Brasília. A ESPN e o SPORTV2 transmitem o jogo, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, Henri BEDIMO e Mouhamadou DABO;
ZAGUEIROS: Bakary KONÉ e Samuel UMTITI;
VOLANTES: Corentin TOLISSO, Gueïda FOFANA, Maxime GONALONS e Jordan FERRI;
MEIAS: Nabil FEKIR, Clément GRENIER e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Mohamed YATTARA, Alexandre LACAZETTE, Maxwell CORNET e Clinton N'JIE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Lindsay ROSE, Milan BIŠEVAC e Yoann GOURCUFF


REIMS:

GOLEIROS: Kossi AGASSA e Johnny PLACIDE;
LATERAIS: Aïssa MANDI e Omenuke M'FULU;
ZAGUEIROS: Mickaël TACALFRED, Valentin ROBERGE, Mohamed FOFANA e Antoine CONTE;
VOLANTES: Antoine DEVAUX, Mads ALBAEK, Prince ONIANGUÉ e Alexis PEUGET;
MEIAS: Odaïr FORTES e DIEGO Rigonato;
ATACANTES: Benjamin MOUKANDJO, Gaëtan CHARBONNIER, Nicolas DE PRÉVILLE e David N'GOG;
TÉCNICO: Olivier GUEGAN;
DESFALQUES: Chris MAVINGA e Anthony WEBER


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

domingo, 19 de abril de 2015

Derby termina empatado e Lyon prossegue na liderança da L1

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi
Adaptado do texto de: Renato Gomes (Vavel Brasil)


Duelo entre rivais termina igual após Lyon ter um expulso ainda na primeira etapa e ter alcançado o empate diante de um Saint-Étienne que pouco fez para conseguir a vitória




No clássico da região de Rhône-Alpes disputado pela 33ª rodada da Ligue1, Lyon e Saint-Étienne empataram em 2 a 2 num jogo com bastante polêmica por parte das duas equipes. Enquanto o time da casa teve um jogador expulso e um pênalti marcado contra, o treinador Galtier mexeu com na equipe ainda no primeiro tempo mostrando insatisfação com o que foi desempenhado pelo Saint-Étienne.


O empate deixa o Lyon como líder da Ligue1 ao lado do Paris Saint-Germain. As duas equipes possuem 65 pontos, mas o PSG ainda tem um jogo adiado a ser disputado. Já o Saint-Étienne perdeu a oportunidade de assumir a terceira posição e está com 57 pontos no quinto lugar, mesma quantidade do Marseille e dois a menos que o Monaco, terceiro colocado.

Hubert Fournier, treinador do Lyon, não teve três jogadores à disposição para o jogo deste domingo. O zagueiro Milan Bisevac, o lateral Mouhamadou Dabo e o meia Yoann Gourcuff estão lesionados e sob cuidado do departamento médico da equipe.


O ASSE também não pôde contar com três atletas. Os zagueiros Florentin Pogba e Bayal Sall estão com problemas na coxa, enquanto o meia Renaud Cohade sofre de uma lesão no joelho.

As equipes voltam a jogar no próximo domingo (26), pela 34ª rodada da Ligue 1.  O Lyon joga fora de casa contra o Stade de Reims e o Saint-Étienne recebe o Montpellier em seus domínios.

Lyon é superior, mas pênalti e expulsão levam Sainté a virar o jogo


A equipe do Lyon iniciou o jogo atacando de forma rápida e direta, usando a habilidade e velocidade de seus homens de frente para buscar espaços na defesa do Saint-Étienne. Após ter várias chances para abrir o placar, colocando uma bola no travessão e obrigando o zagueiro Loïc Perrin tirar em cima da linha em outro lance, o Olympique Lyonnais conseguiu fazer o 1 a 0 com Clinton N'Jie. Após receber a bola na intermediária e girar sobre a marcação, Nabil Fekir ficou de frente para defesa do Saint-Étienne e segurou a bola até ver N'Jie surgir do lado direito sem marcação. O camaronês recebeu em velocidade e, já dentro da área, finalizou cruzado para tirar qualquer chance de defesa do goleiro Stephane Ruffier.


Os visitantes não tiveram um bom início de primeiro tempo por não conseguirem esfriar a pressão do Lyon, que se mostrou efetiva a cada tentativa do Sainté em organizar uma saída de bola no seu campo defensivo. Tanto que, insatisfeito com o desempenho de sua equipe, o treinador Christophe Galtier resolveu realizar alterações na sua equipe ainda na primeira etapa. Paul Baysse, que sofreu com a velocidade dos atacantes do Lyon, foi substituído pelo ponta Romain Hamouma.

A partida parecia seguir favorável ao Lyon, mas um erro defensivo custou caro para a equipe da casa. Num momento de desconcentração, a defesa do OL deixou o ataque do Sainté frente a frente com Anthony Lopes. Após o goleiro conseguir impedir Max Gradel de finalizar, a bola sobrou para Landry N'Guemo na entrada da área. O volante chutou e a bola bateu no braço do zagueiro Lindsay Rose, que imediatamente foi expulso e fez com que o árbitro marcasse o pênalti. O ponta Gradel bateu a penalidade e empatou a partida para o Saint-Étienne.


Após sofrer o empate, o Lyon seguiu com a sua característica, mantendo a posse de bola, mas não teve tanto êxito em achar espaços pela compactação do Saint-Étienne e por estar com um a menos. Já o Saint-Étienne tentou contra-atacar em velocidade, mas teve dificuldade de acionar seus jogadores por conta da pressão exercida pelo adversário e pela falta de qualidade dos meio-campistas centrais ao tentar passar a bola de forma longa.

Sem tanto êxito jogando por conta própria, o Saint-Étienne conseguiu aproveitar nova falha da linha defensiva do Lyon e Hamouma, em velocidade, ficou na frente de Lopes, passou pelo goleiro com um drible da vaca e colocou a bola no fundo das redes para virar a partida para o ASSE antes do apito do árbitro finalizando a primeira etapa.

Jallet marca de cabeça e clássico termina com placar empatado


Já no início do segundo tempo, o Lyon aproveitou a bola parada para empatar o jogo. O baixinho Christophe Jallet antecipou a defesa do Saint-Étienne e colocou a bola entre o goleiro Ruffier e a primeira trave para empatar o jogo em 2 a 2.

Logo após o gol, o ambiente da partida esquentou entre os jogadores numa cobrança de escanteio do Saint-Étienne, com os jogadores se envolvendo numa confusão dentro da área causada por um atrito entre Max Gradel e Nabil Fekir. Após o árbitro advertir com cartão amarelo Anthony Lopes, por reclamação, e Gradel, pela atitude antidesportiva, o jogo voltou a ter a bola rolando.


O jogo seguiu com o Lyon tendo o domínio da bola em maior parte do tempo, mas sem levar o perigo que levou em outros momentos da partida pelo adversário ter corrigido seu setor defensivo. Sem a bola, o Saint-Étienne se limitou a defender e explorou os contra-ataques principalmente pelo lado do campo, para usar o futebol de Gradel e Hamouma como arma.

Na reta final, os visitantes tiveram a chance de virar o jogo num lance de bola parada. Após alçar dentro da área, Anthony Lopes subiu com Maxime Gonalons, que tirou a bola da área e, no rebote, N'Guemo chutou para o gol com o goleiro já fora do lance. Com Lopes retornando para debaixo das traves, Samuel Umtiti se posicionou em cima da linha do gol e impediu a bola de ultrapassar a linha e do rival virar o placar a seu favor.

Com lançamentos para seus atacantes, o Lyon tentou achar alguma oportunidade de concretizar a virada, mas com a equipe já alterada no setor ofensivo e com Alexandre Lacazette realizando um jogo abaixo do nível já mostrado durante a temporada, o empate de 2 a 2 acabou sendo o placar final do clássico entre Lyon e Saint-Étienne.


TEXTO: Vavel Brasil
FOTOS: olweb.fr / Vavel Brasil


MELHORES MOMENTOS:
video


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

sábado, 18 de abril de 2015

[LIGUE1 14/15] 33ª rodada - Lyon x Saint-Étienne

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr


Na briga pelo título do Campeonato Francês, o Lyon receberá, neste domingo, o Saint-Étienne, pela 33ª rodada da competição. Somando 64 pontos, a equipe heptacampeã nacional mantém uma disputa acirrada com o PSG pela liderança do campeonato. Já o Saint-Étienne, com 56 pontos, ainda vê uma chance de conquistar uma vaga nas ligas europeias.

Para o meia Clément Grenier, a partida será uma oportunidade de revanche para o Lyon, já que o time foi derrotado pelo rival por 3 a 0, fora de casa, no jogo do primeiro turno. Minimizando a disputa pelo título francês, o jogador mencionou apenas a vontade de derrotar o Saint-Étienne apesar da partida "só valer três pontos".

"O resultado na primeira fase foi muito doloroso para mim, porque eu estava nas arquibancadas. Não há o que reclamar do jogo de ida, já que não fizemos nada para apresentar um desempenho superior ao deles em campo. Jogando lá, sabíamos o que precisávamos fazer. Devemos ao nosso time esta vingança, mesmo que sejam apenas três pontos em jogo", observou o atleta.

Já o técnico do clube, Hubert Fournier, manteve o otimismo para o confronto contra o Saint-Étienne, alegando que o Lyon adquiriu experiência desde o embate entre os times na primeira fase da competição. "Há muito o que corrigir em relação ao jogo de ida, mas a água correu por baixo da ponte desde então. Os meus jogadores ganharam experiência. Esse clássico vai necessitar de um bom psicológico de nossa parte, mas precisamos mostrar o quanto progredimos desde novembro do ano passado", afirmou.

ADAPTADO DE: Yahoo BR

O confronto entre Lyon e Bastia acontece neste domingo (19/04), às 16h do horário de Brasília. A ESPN e o SPORTV2 transmitem o jogo, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Christophe JALLET, Henri BEDIMO e Mehdi ZEFFANE;
ZAGUEIROS: Lindsay ROSE, Bakary KONÉ e Samuel UMTITI;
VOLANTES: Corentin TOLISSO, Maxime GONALONS e Jordan FERRI;
MEIAS: Nabil FEKIR, Rachid GHEZZAL, Clément GRENIER e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Mohamed YATTARA, Alexandre LACAZETTE e Clinton N'JIE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES: Mouhamadou DABO, Milan BIŠEVAC e Yoann GOURCUFF


ST.ÉTIENNE:

GOLEIROS: Stéphane RUFFIER e Jessy MOULIN;
LATERAIS: François CLERC, Franck TABANOU, Jonathan BRISON e Kévin THÉOPHILE-CATHERINE;
ZAGUEIROS: Paul BAYSSE e Loïc PERRIN;
VOLANTES: Fabien LEMOINE, Landry N'GUEMO, Ismaël DIOMANDÉ e Jérémy CLÉMENT;
MEIAS: Benjamin CORGNET, Romain HAMOUMA e Kévin MONNET-PAQUET;
ATACANTES: Mevlüt ERDING, Ricky VAN WOLFSWINKEL e Max-Alain GRADEL;
TÉCNICO: Christophe GALTIER;
DESFALQUES: Florentin POGBA, Moustapha BAYAL SALL e Renaud COHADE


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Grenier volta ao time, dá assistência e Lyon derruba o Bastia

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


Depois de ficar afastado por oito meses devido a uma grave lesão, Clément Grenier voltou aos campos hoje e foi fundamental para o time no segundo tempo. Com o resultado e um jogo a mais que o PSG, o OL retoma a liderança da Ligue1




Depois de tropeçar diante do Nice, na 30ª rodada, o Lyon não mais ficou na liderança da Ligue1 e foi ultrapassado pelo Paris-Saint Germain, que estava na cola e aproveitou a brecha para assumir o posto. Hoje, o OL tinha a oportunidade de sentir o gostinho da liderança novamente. Isso se deve ao fato da 32ª rodada do campeonato ter sido dissolvida. Oito jogos aconteceram no fim de semana, o Lyon x Bastia aconteceu hoje e o PSG só jogará contra o Metz somente no dia 28 de abril. Isso significava que, uma vitória do OL hoje, poderia deixa-lo na liderança. Claro que o jogo a mais era um fator evidente. Mas reassumir o posto poderia dar um ânimo novo ao grupo, que estava determinado a isto, uma vez que disputa somente esta competição há alguns meses.

Em campo, o Lyon tinha outras duas grandes novidades que, em termos de motivação, nada poderia superar: Clément Grenier e Gueïda Fofana estavam novamente prontos para jogar. O primeiro não atua desde os primeiros jogos da temporada. O último, foi contra o Astra, pela Liga Europa, em agosto. Fofana era pior. Com uma lesão inédita para um jogador de futebol, ele não atuava desde março de 2014. Ambos estavam presentes nos últimos jogos do Lyon B, mas voltam ao time principal somente agora e ficariam no banco. Entre as demais novidades do time, com a ausência de Bisevac (lesionado) e Rose (suspenso), a zaga só poderia ser formada por Umtiti e Koné. Na lateral, a ausência de Jallet foi suprida por Dabo. No meio, Gonalons, voltando de lesão, ficava no banco e dava lugar a Malbranque. Tolisso foi recuado para ficar de primeiro volante. Lacazette de capitão. Confira a formação logo abaixo:




O Bastia, que entrou em campo sendo o 14º colocado, tinha o objetivo de sair de vez da zona incomoda próxima ao rebaixamento. Uma vitória o colocaria em 11º. Ghislain Printant armou o time num 5-4-1, que poderia variar para o 5-3-2 ou até o 4-4-2. A grande novidade do time da Córsega era a presença do brasileiro Brandão entre os titulares. Ele estava suspenso desde agosto do ano passado após uma agressão a Thiago Motta. Voltou e jogou dez minutos da partida contra o mesmo PSG, pela final da Copa da Liga, no fim de semana e, agora, retorna ao time titular.  Outra novidade era o reencontro de Gaël Danic com o seu antigo clube. Ele também começava como titular. Abaixo, a escalação do Bastia para o confronto:




Mesmo com um time de postura bastante defensiva, o Lyon incomodava muito os visitantes logo no começo da partida. A barreira montada por Printant era firme, porém injustificável o seu extremismo. O toque de bola fácil entre Fekir e Lacazette era o diferencial a ser explorado para penetrar por ali. O ponto fora da curva era N’Jie, que não pensava na mesma agilidade dos companheiros de ataque.


Logo nos primeiros minutos, o OL teve a sua primeira grande chance de abrir o placar. Quando Lacazette se recuou um pouco e buscou a jogada, acabou achando Jordan Ferri se infiltrando e fez o passe. A falta de cacoete do volante foi fundamental para o gol não aparecer. Apesar dele ter cortado bem e batido com categoria, Aréola foi mais feliz no momento e fez a defesa providencial, evitando, assim, o placar ser aberto.

Durante toda a primeira etapa, o OL tinha enormes dificuldades. O Bastia, com uma linha de cinco e outra, logo a frente, com quatro jogadores, congestionava bastante a região intermediária. Lacazette e Fekir, muito bem marcados, praticamente não conseguiam aparecer. Nem coletivamente e nem individualmente. Restava a Malbranque tentar utilizar o máximo de sua técnica para descolar algum passe diferenciado e isso não acontecia.


Antes mesmo dos 40’ iniciais, o Lyon precisou fazer sua primeira alteração. Dabo, ao dividir bola com Gaël Danic, sofreu algum problema de lesão e pediu pra sair. No seu lugar, entrou o jovem Mehdi Zeffane. Uma alteração que não mexia taticamente com o time. A grande diferença é que o argelino não tem muita habilidades ofensivas, diferentemente de Dabo, que sabe fazer uma tabela para arrumar espaços para cruzar. Com Zeffane preso, o Fournier poderia soltar um pouco mais Ferri para subir.

Perto do fim da primeira etapa, o Lyon teve algumas oportunidades para marcar. Primeiramente, N’Jie conseguiu dominar na intermediária, cortou um marcador e bateu rasteiro, forçando Aréola a mandar pra escanteio. Posteriormente, Aréola também evitou um chute de Fekir, em cobrança de falta próxima a entrada da área. Definitivamente, as bolas paradas e jogadas individuais eram as melhores armas para o OL abrir espaços na defesa intensa do SCB.


No segundo tempo, o Lyon entrou com a mesma postura, assim como o seu adversário. Era pressão e quase uma dezena de jogadores perto da entrada da área. A penetração era extremamente complicada e faltava uma melhor explorada das bolas paradas e jogadas individuais. Lacazette e Fekir, muito apagados em função da forte marcação. A alternativa poderia estar nas cobranças de faltas, com Grenier, que estava no banco de reservas.

E não demorou para Huber Fournier perceber que ele poderia ser a arma que ele precisava. Aos 16’ da etapa final, ele entrou no lugar de Steed Malbranque. A torcida ovacionou Grenier na sua entrada e ele tinha o roteiro de filme em mãos para fazer a diferença no jogo. Enquanto isso, o Bastia também fazia sua alteração. O brasileiro Brandão, que jogava isolado no ataque, deu lugar a Giovanni Sio.


Diferentemente do primeiro tempo, o Bastia começava a ficar ligado nos contra-ataques na segunda metade do jogo. Giovanni Sio era um jogador de maior movimentação e contava com Gillet e Kamano para auxiliar nessas jogadas de rapidez. O que a defesa do OL não teve de trabalho antes, começava a enxergar alguns problemas depois. Em contrapartida, o Lyon continuava tentando. Aos 21’ do segundo tempo, Grenier quase colocou uma bola no ângulo e Aréola foi firme para evitar o tento.

Perto dos 30’ da etapa final, o Lyon queimou sua última alteração com a saída de Fekir. Ele não fez um jogo bom – pela primeira vez com a camisa dos Gones – e acabou deixando o campo para a entrada de Mohamed Yattara. Fournier colocava um homem de área na expectativa de alçar bolas aéreas, uma vez que o time conseguia chegar pelos lados e não encontrava uma referência dentro da pequena área.



O gol não surgiu pelo alto. Mas foi justamente em jogada pela lateral. Grenier carregou a bola pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro. Com poucos segundos de Momo Yattara em campo, ele recebeu e bateu de primeira, sem chance dessa vez para o ótimo Aréola poder evitar. Rede estufada, delírio no Gerland e Grenier participando ativamente do primeiro gol do time. Ótimo retorno.

A partir do primeiro gol, Printant quebrou totalmente o seu esquema defensivo. Se via na necessidade de sair pro jogo com poucos minutos restantes. O perigo para o OL era iminente, claro. Mas, ainda assim, a vantagem era dos donos da casa. O que Printant não esperava acontecer era ficar sem o seu resguardo lá atrás – algo que parecia improvável durante todo o jogo. E foi assim que o Lyon chegou ao seu segundo gol.


E ele surgiu com um contra-ataque fulminante puxado por Clinton N’Jie. O camaronês arrancou do campo de defesa, pelo lado esquerdo, até a linha de fundo. Por lá, cruzou para Lacazette, dentro da área, com o trabalho somente de empurrar para as redes. 2 a 0! Nem a saída de Danic para a entrada de Maboulou ajeito as coisas para o time visitante, que se acovardou e sofreu a derrota pelo pecado. Lyon agora assume a liderança, mesmo que de forma provisória, esperando pelo jogo do Paris-Saint Germain.

O OL agora terá somente três dias de descanso, pois já recebe no Gerland o maior rival, Saint-Étienne, no clássico da 33ª rodada. O jogo será no próximo domingo, às 16h do horário de Brasília. Até lá!

FOTOS: olweb.fr / L'Equipe


OS GOLS DA PARTIDA:
video


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

terça-feira, 14 de abril de 2015

[LIGUE1 14/15] 32ª rodada - Lyon x Bastia

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

Em duelo reprogramado da 32ª rodada do Campeonato Francês, o Lyon recebe o Bastia nesta quarta-feira, no Estádio Gerland, buscando uma vitória que o colocará, pelo menos provisoriamente, na ponta da tabela de classificação.

Atualmente, o Lyon aparece em segundo lugar, com 61 pontos, um a menos que o Paris Saint-Germain, que só vai cumprir seu jogo da 32ª rodada, diante do Metz, no dia 28 de abril. Portanto, se vencer a partida, os donos da casa poderão jogar pressão no adversário, além de abrir uma confortável vantagem para o terceiro colocado Monaco, que tem 58 pontos.

"Esse jogo se tornou estrategicamente muito importante para o Lyon, pois pode nos recolocar na liderança e pressionar nossos concorrentes. Sabemos que o Campeonato Francês será decidido nos detalhes", disse o técnico Hubert Fournier.

O Bastia, rival do Lyon, também precisa do resultado positivo, pois aparece apenas na 14ª posição, com 37 pontos, somente dois a mais que o Toulouse, que hoje abre a zona de rebaixamento.

Os duelos entre Lyon e Bastia e PGS e Metz foi adiado do fim de semana, porque, no último sábado, aconteceu a final da Copa da Liga da França, com o Paris Saint-Germain ficando com o caneco após golear o Bastia por 4 a 0 na decisão.

ADAPTADO DE: Terra

O confronto entre Lyon e Bastia acontece nesta quarta (15/04), às 13h30 do horário de Brasília. A ESPN e o SPORTV2 transmitem o jogo, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Mouhamadou DABO, Henri BEDIMO e Mehdi ZEFFANE;
ZAGUEIROS: Bakary KONÉ e Samuel UMTITI;
VOLANTES: Corentin TOLISSO, Gueïda FOFANA, Maxime GONALONS e Jordan FERRI;
MEIAS: Nabil FEKIR, Rachid GHEZZAL, Clément GRENIER e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Mohamed YATTARA, Alexandre LACAZETTE e Clinton N'JIE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES:  Christophe JALLET, Lindsay ROSE, Milan BIŠEVAC e Yoann GOURCUFF



BASTIA:

GOLEIROS: Alphone AREOLA e Thomas VINCENSINI;
LATERAIS: Drissa DIAKITÉ, Julian PALMIERI e Gilles CIONI;
ZAGUEIROS: Mathieu PEYBERNES, François MODESTO, Alexander DJIKU e ROMARIC;
VOLANTES: Guillaume GILLET, El-Hadji BA e Yannick CAHUZAC;
MEIAS: Ryad BOUDEBOUX, Gaël DANIC e François KAMANO;
ATACANTES: BRANDÃO, Giovanni SIO e Christopher MABOULOU;
TÉCNICO: Ghislain PRINTANT;
DESFALQUES: Sébastien SQUILLACI e Floyd AYITÉ


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

sábado, 4 de abril de 2015

Com resultado expressivo, Lyon reassume a liderança provisoriamente

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


Fora de casa, OL bateu o Guingamp por 3 a 1. Confronto entre Marseille e PSG, amanhã, decide quem será o líder da Ligue1 após a 31ª rodada




Depois da pausa de uma semana para jogos de data FIFA, o Campeonato Francês voltou a ativa com a 31ª rodada. Um final de semana interessante para o topo da tabela, já que haverá um confronto direto entre Paris Saint-Germain e Olympique de Marseille. Em contrapartida, o Lyon enfrentava o Guingamp, time que atualmente está exatamente no meio da tabela e sonha somar pontos para tentar abocanhar uma vaga em competições internacionais. Jogando fora de casa, a maior arma do EAG era, realmente, o fator casa. O Stade du Roudourou estava completamente lotado para receber o OL.

Além do fator casa, Jocelyn Gourvennec tinha uma outra vantagem sobre o  OL: poucos desfalques. Na verdade, somente um, Benjamin Angoua. Fora ele, o treinador do Guingamp tinha em mãos força máxima para o confronto de hoje. Outro fator interessante para o duelo de hoje era o reencontro de Jérémy Pied com o seu ex-clube. O atacante velocista do time da casa foi formado nas categorias de base do Lyon e reencontrava o seu clube formador neste sábado. Pied é de uma geração depois do surgimento de Benzema. Abaixo, a formação titular do EAG para o confronto:




Ainda sofrendo com o departamento médico, o Lyon entrava em campo sem quatro titulares para o jogo de hoje: Jallet, Bisevac, Gonalons e Gourcuff. Grenier poderia ter chances de jogo, mas Fournier preferiu que ele retornasse de lesão pelo Lyon B, na CFA (quarta divisão francesa, e ele voltou marcando gol, contra o Monaco B). Com os desfalques, Dabo assumia a lateral, Rose na zaga, Tolisso fazia o primeiro volante e Malbranque ganhava vaga no meio. No ataque, Fekir jogava na posição de Gourcuff e N’Jie tinha mais uma chance entre os 11 iniciais. Confira formação abaixo:




Nitidamente adotando uma postura defensiva, o Guingamp tinha uma proposta clara: jogar no contra-ataque. Esperava um erro do meio de campo do OL para acionar seus três homes de velocidade: Pied, Beauvue e Mandanne. Dessa maneira, dava muito campo para o time visitante explorar com muita calma os espaços abertos. O problema, neste caso, para o Lyon, era conseguir transformar esses espaços em oportunidade de gol.


Na primeira metade da etapa inicial, os goleiros não trabalharam. Apesar de ser um jogo praticamente ataque contra defesa, o Guingamp postava bem sua defesa e esperava aquela única falha do OL para agir. O OL até chegava a errar, mas era lá na frente. E isso não possibilitava um avanço em velocidade do time da casa, que se sentia acuado e se comportava dignamente na defesa.

O que Gourvennec não contava era com o inesperado. Aos 26’, Lacazette dominou bola na entrada da área e avançou. Rapidamente, achou Fekir se deslocando pela esquerda. O mais novo jogador da Seleção Francesa dominou, olhou e bateu. Sem pensar muito. A bola não era perigosa, mas o goleiro Jonas Lössl acabou aceitando. Ele tentou encaixar e a bola tocou nos braços dele e acabou entrando. Placar aberto no Roudourou para delírio da pequena torcida do OL presente.


Com o gol inesperado, o Guingamp tinha a missão de ter que sair pro jogo. Não esperava tomar um gol tão cedo e precisava, então, mudar toda uma postura que já estava definida desde o início do jogo. Os espaços, que já existiam, agora eram bem mais claros e o esquema de acionar contra-golpes já não poderia ser eficaz. Gourvennec tinha uma dor de cabeça e teria que contornar isso.

Mas aconteceu justamente o contrário. Aos 39’, quando o EAG tentava equilibrar as ações dentro de campo, o Lyon conseguiu marcar o segundo gol. Lacazette foi lançado e entrou dentro da área. No lance, acabou sendo encostado – de maneira sem querer – pelo lateral Sankoh. Na cobrança, o próprio Lacazette colocou com força no ângulo oposto de Lössl, que caiu do lado esquerdo. Baita cobrança. Sem chance! Lyon 2 a 0.


A coisa, que já não estava nada boa para o Guingamp, piorou quase perto do fim do primeiro tempo. O zagueiro Christophe Kerbrat entrou de tesoura em Jordan Ferri, carrinho frontal, de frente pra área. No lance, acabou acontecendo um contato joelho com joelho, mas o árbitro Clément Turpin achou violenta o suficiente para expulsar o defensor do EAG direto. Com um a menos, o time da casa ainda viu Lacazette cobrar a falta de forma espetacular e forçar Lössl a fazer uma defesa incrível para evitar o 3º gol antes do intervalo ainda.

Para a segunda etapa, o Guingamp voltou com uma alteração. O dinamarquês Lard Jacobsen entrou no lugar de Thibault Giresse. A troca foi para suprir a ausência de Kebrat, que havia sido expulso no primeiro tempo. Dessa maneira, o time da casa acaba perdendo mais força ofensiva, mesmo precisando marcar, ao menos, mais dois gols. Gourvennec preferiu recompor suas duas linhas de quatro do que ousar e tentar recompor o time de outra forma.


Não tinha como ser diferente. O Lyon continuava mandando no jogo e dominava as rédeas do campo. Tocava a bola com extrema facilidade e calma. Não precisava acelerar o jogo e mantinha a marcha lenta para ver o cronometro passar. Numa dessas, controlando o jogo, jovem Clinton N’Jie dominou na entrada da área, cortou pro meio e bateu rasteiro. Lössl tentou cair pro canto esquerdo e a bola entrou no cantinho. Era o terceiro do OL.

Após o gol, três alterações. A primeira, o Guingamp entrou com Yatabaré no lugar de Mandanene. Depois foi a vez o OL mexer pela primeira vez e colocar Benzia para substituir N’Jie. Depois de algum tempo, o EAG mexeu de novo, tirando Sankhare e colocando Diallo. Aos 25’ do segundo tempo, Gourvennec tinha queimado todas as suas alterações e o time não esboçava qualquer tipo de reação.


Em ritmo de treino, o Lyon levava o jogo com extrema tranquilidade. As vezes, errava um passe o outro na saída de bola ou nas interceptações de passes em seu campo de defesa e até possibilitava uma oportunidade para os donos da casa. Mas, naquele momento, a desmotivação do EAG era grande, mesmo na hora de ter marcado o seu gol de honra, aos 35’ da etapa final. Beauvue aproveitou falha de Umtiti e Dabo e marcou na saída de Lopes.

Já perto do fim do jogo, Fournier fez sua segunda troca na busca de poupar um pouco Alexandre Lacazette, que já estava amarelado. Ele tirou o artilheiro da Ligue1 e colocou Momo Yattara, que tinha ali aproximadamente dez minutos para mostrar trabalho. E logo quando entrou, já abriu espaço para Fekir armar boa jogada desperdiçada em finalização de Benzia nas redes pelo lado de fora.


Aos 41’ do segundo tempo, o OL mexeu pela última vez e Ghezzal entrou no lugar de Fekir. Outra troca para poupar atletas. Mas ali já não havia tempo para mais nada, apesar do OL ter dado espaços bobos para EAG tentar se aproximar do segundo gol. Com o resultado, o Lyon assumia provisoriamente a liderança da Ligue1, e depende somente de um empate entre OM x PSG amanhã para se manter no topo.

O Lyon só volta a jogar agora no dia 15 de abril. Numa quarta-feira, às 13h30. O adversário será o Bastia, no Stade Gerland. Jogo válido pela 32ª rodada. OL segue na sua batalha pelo título. Nos encontramos lá!

FOTOS: olweb.fr / L'Equipe


OS GOLS DA PARTIDA:
video


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

sexta-feira, 3 de abril de 2015

[LIGUE1 14/15] 31ª rodada - Guingamp x Lyon

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


FOTO: olweb.fr

A 31ª rodada do Campeonato Francês promete tornar ainda mais acirrada a já emocionante disputa pela liderança da competição. Com três postulantes ao título, o fim de semana se desenha de fortes emoções. Atualmente, o Paris Saint-Germain aparece na ponta da tabela de classificação com 59 pontos, um a mais do que o Lyon. Em terceiro lugar e rigorosamente no páreo vem o Olympique de Marselha, que tem 57 pontos.

O fim de semana, porém, pode ser benéfico ao Lyon. Isso porque no domingo acontece o clássico entre Olympique de Marselha e Paris Saint-Germain, que duelam no Estádio Velódrome, em Marselha.

Antes do clássico, no sábado, às 12h (de Brasília), o Lyon jogará na condição de visitante, contra o Guingamp, que tem apenas 39 pontos e praticamente cumpre tabela. Ganhando, os visitantes dormem na liderança e jogam pressão dos concorrentes.

Fournier também comentou sobre o retorno dos jovens Lacazette e Fekir, que estavam com a seleção francesa durante a data Fifa. "Eles estão em grande forma", comentou. "O fato de eles terem jogado bem dá ideia do seu futuro, e eles sabem que se quiserem continuar em nível internacional precisam jogar bem aqui no Lyon", completou.

ADAPTADO DE: Terra

O confronto entre Guingamp e Lyon acontece neste sábado (04/04), meio dia do horário de Brasília. A ESPN, a Watch ESPN (via internet), a TV5 Monde, e o SPORTV3 transmitem o jogo, ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois clubes.


LYON:

GOLEIROS: Mathieu GORGELIN e Anthony LOPES;
LATERAIS: Mouhamadou DABO, Henri BEDIMO e Mehdi ZEFFANE;
ZAGUEIROS: Bakary KONÉ, Samuel UMTITI e Lindsay ROSE;
VOLANTES: Corentin TOLISSO, Arnold MVUEMBA e Jordan FERRI;
MEIAS: Nabil FEKIR, Rachid GHEZZAL e Steed MALBRANQUE;
ATACANTES: Mohamed YATTARA, Alexandre LACAZETTE, Yassine BENZIA e Clinton N'JIE;
TÉCNICO: Hubert FOURNIER;
DESFALQUES:  Christophe JALLET, Milan BIŠEVAC, Maxime GONALONS, Yoann GOURCUFF e Maxwel CORNET


GUINGAMP:

GOLEIROS: Jonas LÖSSL e Mamadou SAMASSA;
LATERAIS: Lars JACOBSEN, Baissama SANKOH, Dorian LÉVÊQUE e Reynald LEMAÎTRE;
ZAGUEIROS: Jérémy SORBON e Christophe KERBRAT;
VOLANTES: Julien CARDY, Younousse SANKHARÉ, Mustapha DIALLO, Lionel MATHIS e Sambou YATABARÉ;
MEIAS: Sylvain MARVEAUX, Thibault GIRESSE e Jérémy PIED;
ATACANTES: Ladislas DOUNIAMA, Claudio BEAUVUE, Christophe MANDANNE e Ronnie SCHWARTZ;
TÉCNICO: Jocelyn GOURVENNEC;
DESFALQUES: Benjamin ANGOUA


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Tem time especulando jogadores do Lyon? Pois então desconfie!

Filipe Frossard Papini
@BrasiLyonnais / @FilipeDidi


Grenier, Lacazette, Gonalons e Umtiti: crias da base do Lyon. É provável que eles não deixem o time por agora

A temporada europeia ruma-se para o seu final e é chegado o momento mais conturbado que envolve o futebol europeu: as especulações em torno das transferências do mercado de verão. Hoje em dia, sites com não muita credibilidade possuem o comum ato ventilar nomes por puro achismo para agradar duas vertentes:

A primeira vertente são os eufóricos torcedores do time para o qual especula-se certo jogador. Cria-se um imaginário lúdico na cabeça dos fãs e os sites não oficiais dos clubes começam até a imaginar como, supostamente, ficaria o futuro novo time, recheado das especulações;

A segunda, seriam os donos dos sites. Ser o primeiro veículo a disparar uma informação de que tal time estaria fechando com aquele bom jogador sempre trará acessos. Curiosos e ansiosos querem ficar por dentro das novidades e, mesmo pensando duas vezes, acessam o site para tentar acreditar nas falsas verdades.

A história são sempre as mesmas: jogador já estaria procurando apartamento em Paris; a esposa e os filhos foram vistos em um dos bairros de Londres; olheiros estavam no estádio para observar "Fulano de Tal" na partida do fim de semana; pai de "Beltrano" deu entrevista para uma rádio do interior. O repertório praticamente não muda.

OS MOTIVOS PARA O LYON SEGURAR ATLETAS

Acontece é que, especificamente neste fim de temporada, é preciso ficar ainda mais ressabiado com as transferências envolvendo saídas de jogadores do Lyon. Algum motivo em especial? Sim. Alguns!... E explico. O primeiro seria pelo fato do caixa do time está saudável. O Lyon não é um clube rico, mas também não deve a ninguém. Já adaptado ao fair-play financeiro há algumas temporadas, o presidente Jean-Michel Aulas - há 28 anos no comando do clube - talvez seja o dirigente mais pé no chão do futebol francês atualmente. Exatamente por isso, não haveria motivos para uma venda a qualquer preço.

Situação atual do Stade des Lumières, o novo estádio do Lyon

Outro fator - o mais forte -, que ajuda a explicar a teoria, é o fato de que o Lyon está construindo o seu novo estádio: o Stade des Lumières, que será particular (em parceria com a iniciativa privada), terá espaço para 59 mil torcedores, e está previsto para ficar 100% pronto no dia 29 de janeiro de 2016. Para comemorar o feito histórico do clube, o presidente Jean-Michel Aulas também já foi enfático várias vezes ao dizer que, se depender dele, o elenco atual, caso se classifique para a próxima edição da Liga dos Campeões, será inteiramente mantido para fazer parte da inauguração do estádio e poder ter a honra de jogar na equipe/temporada de inauguração do novo patrimônio do clube.

Projeção de como deve ficar a chamada OL Land, o complexo esportivo que o Lyon criou na cidade vizinha, Décines

Algo que também ajuda a manter o elenco, como já foi dito, é uma possível classificação para a próxima edição da UEFA Champions League. É preciso considerar que o Lyon não disputa a fase de grupos da competição desde a temporada 2011/2012 e que o clube era frequentador ferrenho do torneio desde o começo da década passada. Portanto, torna-se um marco para a história do clube voltar a disputá-la. Para isso, basta ser campeão ou ficar na segunda colocação (posição em que, até o momento deste post, o OL encontra-se na Ligue1). Caso fique em terceiro, precisaria enfrentar uma fase eliminatória antes de entrar nos grupos, o que torna-se arriscado, já que compromete o orçamento anual.

Dados os fatores, é preciso considerar que, de algum tempo pra cá, o Lyon não costuma liberar suas grandes estrelas por pequenas quantias de dinheiro. Como não se esquecer de Benzema indo para o Real Madrid por 41M de euros? E Essian assinando com o Chelsea por 38M de euros? Ou então o Toulalan assinando por 15M de euros pelo Málaga e Lloris indo para o Tottenham pelo mesmo valor? Vale lembrar que, com exceção de Benzema, todos eles já tinham mais de 25 anos. Juntando todos estes fatores já citados, você acha mesmo que o Lyon iria liberar nomes como Anthony Lopes, Grenier, Umtiti, Ferri, Tolisso ou Gonalons por uma quantia abaixo dos 25M de euros? Lacazette e Fekir por menos de 30M de euros? Pode até acontecer, mas é algo bastante improvável.

Jordan Ferri e Samuel Umtiti correm para comemorar um gol

PRINCIPAIS JOVENS ESTRELAS

Anthony Lopes é um goleiro franco-português, de 24 anos, que assumiu a titularidade do Lyon a partir do momento da veda de Lloris. O substituto natural do arqueiro do Tottenham seria o experiente Rémy Vercoutre, que acabou sofrendo uma lesão e ficou vários meses ausentes. Aquele que, até então, era o terceiro goleiro do time até poucos dias, Lopes chamou a responsabilidade e de lá pra cá não a deixou mais. Recentemente tem sido elogiado por toda a crítica francesa por ser um dos melhores goleiros da Ligue1.

Samuel Umtiti é um zagueiro/lateral-esquerdo, franco-camaronês, daqueles que aparecem no time de repente. Em determinada situação, o Lyon tinha diversos desfalques na zaga e ele acabou sendo chamados às pressas do time júnior. Nunca mais voltou pra base. Lateral no Lyon B, rapidamente tornou-se imprescindível no miolo de zaga do time principal. Com passagem pelas seleções de base de Camarões no sub-17 e da França, do sub-18 até o sub-21, Umtiti, mesmo com 21 anos, é o típico jogador de presença, um líder nato.

Jordan Ferri é um volante francês de 23 anos e foi aparecendo no Lyon aos poucos há três temporadas. Inicialmente, jogava improvisado na lateral direita, entrando no segundo tempo, na época quando o time era comandado pelo treinador Rémi Garde. Na primeira oportunidade que teve no meio de campo, rapidamente mostrou que estava pra ficar. Entrosado com o capitão Gonalons, Ferri tornou-se titular absoluto como segundo volante no OL.

Corentin Tolisso é um volante/lateral-direito de apenas 20 anos. Apareceu no time do Lyon de maneira até mais repentina que Umtiti. Jamais havia sido relacionado entre os profissionais e na semana seguinte já estava tendo chances entre os titulares. Mais do que ninguém, tornou-se peça fundamental no encaixe do time. Primeiro, como lateral direito (sua posição de origem), depois, Fournier percebeu que dava para utiliza-lo, melhor ainda, como terceiro volante. Tolisso impressiona por sua qualidade em chutes de fora da área e cobranças de falta com potência.

Maxime Gonalons é um volante francês de 26 anos. Capitão do time, é o maior exemplo para as jovens promessas do elenco. Pretendido diversas vezes pelo Napoli, o volante já foi enfático ao dizer que quer ser o capitão do Lyon na inauguração do novo estádio, nem que para isso ele perca mercado na Europa e tenha que jogar toda sua carreira no clube. Primeiro volante, austero, sério e quebrador de galho no setor defensivo, Gonalons é a essência da geração criada em Tola-Vologe. O atleta já teve diversas passagens pela Seleção Francesa.


Jordan Ferri, Maxime Gonalons e Corentin Tolisso comandam o meio-campo defensivo do Lyon

Clément Grenier é um meia francês, cerebral, de 24 anos, que carregou o Lyon nas costas na última temporada. Bate faltas ao mesmo modo Juninho Pernambucano. Seria titular absoluto, se não tivesse passado esta temporada inteira se recuperando de uma seríssima lesão, com direito a agravamento por estafilococos. Deverá retornar em breve ao cenário de protagonismo do time.

Nabil Fekir é um meia armador/atacante franco-argelino de 21 anos. O jogador assusta por sua extrema qualidade e habilidade com a perna esquerda. Jogador profissional há pouco mais de um ano, o atleta, recentemente, vivei um dilema: foi chamado para integrar a Seleção Argelina e a Seleção Francesa praticamente ao mesmo tempo. Optou pela França. Com a lesão de Grenier, assumiu o protagonismo no meio de campo do time de forma completamente estrondosa e tem a marca em 2014/15 de 31 jogos, 13 gols e 11 assistências. É o quarto artilheiro da Ligue1 e terceiro melhor passador.

Alexandre Lacazette é atacante (joga pelas beiradas ou pelo centro), de 23 anos e talvez seja o mais famoso jogador do Lyon no momento. Na temporada, possui 33 jogos, 27 gols e 7 assistências, é o artilheiro da Ligue1 e principal jogador do Campeonato Francês no momento. Recentemente, foi convocado novamente para a Seleção Francesa e marcou seu primeiro gol com a camisa gaulesa na vitória por 2 a 0 sobre a Dinamarca. É um jogador extremamente rápido, de instinto apurado e uma frieza absurda na frente do gol. Além disso, é bastante inteligente no toque de bola rápido na entrada da área.


Fekir e Lacazette formam a dupla mais temida do Campeonato Francês no momento

SIM! HÁ PEÇAS DESCARTÁVEIS

Repito que não é impossível que os jogadores deixem o clube. Tudo é possível no mundo do futebol, principalmente quando se envolve grandes cifras. A questão central aqui é que dificilmente o Lyon abrirá mão de suas pratas da casa quando se tem um planejamento a curto prazo pra elas e quando, obviamente, existe um cenário de possível grandes arrecadações monetárias para cada um deles. Especular uma transferência desses atletas (e demais outros do elenco) para times de segundo escalão da Europa - ou clubes endividados - é quase uma blasfêmia.

Mas calma lá! Nem todo o cenário está perdido. Se algum time ainda quiser levar um jogador desta ótima safra do Lyon, separamos alguns nomes que podem ser titulares em times da Europa e que, por algum motivo, não deram certos no Lyon, ou que poderiam deixar o clube por qualquer proposta razoável. São eles:

Milan Bisevac, zagueiro sérvio de 31 anos. Apesar de ser titular absoluto, a idade já começa a pesar. O defensor, que sofreu uma séria lesão e deverá voltar aos campos só na próxima temporada, poderia ter caminho livre, caso apareça uma proposta razoável.

Bakary Koné, zagueiro de 26 anos. Contratado junto ao Guingamp há três temporadas, Koné talvez seja o ponto fraco do Lyon quando ele está em campo. Atabalhoado e afoito, o defensor é extremamente inconstante: muitas vezes faz ótimas partidas mas, em outras, comete falhas bizarras. Contudo, apesar da idade, é um dos principais jogadores da Seleção de Burkina Faso há alguns anos e pode ser um grande ponto em termos de experiência para times menores.

Koné e Gourcuff batem bola no treinamento. Ambos podem deixar o clube em breve

Mouhamadou Dabo, lateral direito e esquerdo de 28 anos. Apesar de polivalente e de não comprometer a defesa quando é acionado, Dabo também não é um jogador que faz a diferença. Qualquer proposta baixa não faria Jean-Michel Aulas segurá-lo.

Arnold Mvuemba, volante de 30 anos. Mvuemba é ex-jogador do Lorient e chegou ao Lyon achando que teria espaço fácil no time. Mas, por má sorte dele, subiram da base Jordan Ferri e Corentin Tolisso, fora a chegada do então jovem Gueïda Fofana, vindo do Le Havre. Rapidamente foi jogado para escanteio e tornou-se peça no banco de reservas.

Steed Malbranque, meia de 35 anos. Cria da base do Lyon, Malbranque depois que voltou do futebol inglês, teve uma rápida passagem pelo St.Étienne e ficou uma temporada parado. Decidiu voltar ao seu time de origem e no OL está há três temporadas. E a cada dia vem perdendo espaço para os garotos. Este, se sair, não deve se aventurar em outro time. As chuteiras, provavelmente, seriam penduradas.

Yoann Gourcuff, meia de 28 anos. Este é um caso raríssimo no futebol. A maior contratação da história do clube: 22M de euros junto ao Bordeaux. Era a principal estrela do futebol francês naquele momento. Acontece que ele já está no clube há cinco temporadas, sofreu 18 lesões e só jogou uma partida inteira em 23 oportunidades. Além disso, é aquele que tem, disparadamente, o maior salário do elenco. Alguns veículos já especularam que ele recebe algo em torno de 400 mil euros semanais. Definitivamente, trata-se de um dos piores custos benefícios da história do futebol. Apesar de ser queridinho do presidente, ele deve deixar o clube, ainda mais por estar com contrato encerrando. Arsenal, Rennes e Bordeaux já apareceram como possíveis candidatos a levá-lo.

Gourcuff sentindo o seu clássico problema na coxa, no último jogo, contra o Nice

Mohamed Yattara, atacante de 21 anos. O jovem guineense, apesar de ter muito a evoluir, ainda não conseguiu apresentar um futebol de encher os olhos. Antes de vir da base, Yattara já esteve emprestado por três clubes de menor escalação na França: Arles-Avignon, Troyes e Angers. Este último, na temporada passada, foi um dos artilheiros da Ligue2. Ainda assim, quando se apresentou pelo Lyon na atual temporada, se mostrou um atacante muito afoito e desesperado para mostrar serviço. Acredito que o Lyon não veria empecilhos para ele tentar um novo caminho em um time diferente.

Yassine Benzia, atacante de 20 anos. Alguns irão se surpreender por este blog citá-lo. Benzia, desde os 17 anos, vem alternando entre o Lyon e o Lyon B, mas nunca conseguiu se firmar. Com passagens extremamente vitoriosas por todas as seleções de base da França, o atacante tem um grande problema: cabeça fraca. Pela pouca idade e um potencial muito grande, muitas vezes Benzia acha que deveria ter mais oportunidades que vem tendo e causa problemas internos. Como medida educacional, a equipe técnica acaba deixando-o algum tempo no time B. Além disso, o atacante também, frequentemente, vem sendo incomodado por lesões. Para tirá-lo do Lyon, é preciso uma quantia de dinheiro razoável - e somente isso. Assim como foi com Anthony Martial, que transferiu-se para o Monaco no início da atual temporada.

Benzia: jovem com muito potencial e pouco psicológico. Acaba ganhando poucas chances

Em suma, basicamente é isso: o Lyon prepara um time praticamente inteiro formado em Tola-Vologe, seu centro de treinamentos. De lá já saíram, recentemente, nomes como Karim Benzema, Hatem Ben Arfa, Loïc Rémy, Anthony Mounier, Alassane Pléa, Mouhamadou-Naby Sarr, Anthony Martial, Enzo Reale, Jérémy Pied, Lamine Gassame, Ishak Belfodil, Timothée Kolodziejczak, entre outros. A grande questão é que, agora, os pratas da casa são protagonistas e não apenas meras esperanças. E o Lyon, para abrir mão deles, vai querer dinheiro, muito dinheiro. Se não for um grande clube especulando, não há motivos para imaginá-los deixando o clube.

FOTOS: fotbollskanalen.se / Le Figaro / olweb.fr / BBC / Le Libero / LyonMag / Le Progrès / L'Equipe / Olympique-et-Lyonnais


Quer notícias diárias sobre o Lyon? Clique no banner abaixo e siga-nos no Twitter